Romanos 15

1MAS nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. 2Portanto, cada um de nós agrade ao seu próximo, no que é bom para edificação. 3Porque também Cristo não agradou a si mesmo, mas, como está escrito: sobre mim caíram as injúrias dos que te injuriavam. 4Porque tudo o que dantes foi escrito, para o nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança. 5Ora o Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentimento, uns para com os outros, segundo Cristo Jesus. 6Para que, concordes, a uma boca, glorifiqueis ao Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo. 7Portanto, recebei-vos uns aos outros, como também Cristo nos recebeu, para glória de Deus. 8Digo, pois, que Jesus Cristo foi ministro da circuncisão por causa da verdade de Deus, para que confirmasse as promessas feitas aos pais; 9E para que os gentios glorifiquem a Deus, pela sua misericórdia, como está escrito: Portanto, eu te louvarei entre os gentios, e cantarei ao teu nome. 10E, outra vez, diz: Alegrai-vos, gentios, com o seu povo. 11E, outra vez: Louvai ao Senhor, todos os gentios, e celebrai-o, todos os povos. 12Outra vez, diz Isaías: Uma raiz em Jessé haverá, e naquele que se levantar, para reger os gentios, os gentios esperarão. 13Ora o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz, em crença, para que abundeis em esperança, pela virtude do Espírito Santo. 14Eu próprio, meus irmãos, certo estou, a respeito de vós, que vós mesmos estais cheios de bondade, cheios de todo o conhecimento, podendo admoestar-vos uns aos outros. 15Mas, irmãos, em parte vos escrevi mais ousadamente, como para vos trazer outra vez isto à memória, pela graça que por Deus me foi dada; 16Que seja ministro de Jesus Cristo entre os gentios, ministrando o evangelho de Deus, para que seja agradável a oferta dos gentios, santificada pelo Espírito Santo. 17De sorte que tenho glória em Jesus Cristo, nas coisas que pertencem a Deus. 18Porque não ousaria dizer coisa alguma que Cristo por mim não tenha feito, para obediência dos gentios, por palavra e por obras; 19Pelo poder dos sinais e prodígios, na virtude do Espírito de Deus; de maneira que, desde Jerusalém e arredores, até ao Ilírico, tenho pregado o evangelho de Jesus Cristo. 20E, desta maneira, me esforcei por anunciar o evangelho, não onde Cristo houvera sido nomeado, para não edificar sobre fundamento alheio; 21Antes, como está escrito: Aqueles a quem não foi anunciado o verão, e os que não ouviram o entenderão. 22Pelo que, também, muitas vezes tenho sido impedido de ir ter convosco. 23Mas, agora, que não tenho mais demora nestes sítios, e tendo, já há muitos anos, grande desejo de ir ter convosco, 24Quando partir para Espanha, irei ter convosco; pois espero que, de passagem, vos verei, e que para lá seja encaminhado por vós, depois de ter gozado um pouco da vossa companhia. 25Mas, agora, vou a Jerusalém, para ministrar aos santos. 26Porque pareceu bem à Macedónia e à Acaia fazerem uma colecta para os pobres de entre os santos que estão em Jerusalém. 27Isto lhes pareceu bem, como devedores que são para com eles. Porque, se os gentios foram participantes dos seus bens espirituais, devem também ministrar-lhes os temporais. 28Assim que, concluído isto, e havendo-lhes consignado este fruto, de lá, passando por vós, irei à Espanha. 29E bem sei que, indo ter convosco, chegarei com a plenitude da bênção do evangelho de Cristo. 30E rogo-vos, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo, e pelo amor do Espírito, que combatais comigo nas vossas orações, por mim, a Deus, 31Para que seja livre dos rebeldes que estão na Judeia, e que esta minha administração, que em Jerusalém faço, seja bem aceita pelos santos; 32A fim de que, pela vontade de Deus, chegue a vós com alegria, e possa recrear-me convosco. 33E o Deus de paz seja com todos vós. Ámen.

will be added

X\