Salmos 35

1PLEITEIA, Senhor, com aqueles que pleiteiam comigo: peleja contra os que pelejam contra mim. 2Pega do escudo e da rodela, e levanta-te em minha ajuda. 3Tira da lança e obstrui o caminho aos que me perseguem; dize à minha alma: Eu sou a tua salvação. 4Sejam confundidos e envergonhados os que buscam a minha vida: voltem atrás e envergonhem-se os que contra mim intentam o mal. 5Sejam como pragana perante o vento, o anjo do Senhor os faça fugir. 6Seja o seu caminho tenebroso e escorregadio, e o anjo do Senhor os persiga. 7Porque, sem causa, encobriram de mim a rede na cova, que, sem razão, cavaram para a minha alma. 8Sobrevenha-lhe destruição sem o saber, e prenda-o a rede que ocultou; caia ele nessa mesma destruição. 9E a minha alma se alegrará no Senhor; alegrar-se-á na sua salvação. 10Todos os meus ossos dirão: Senhor, quem é como tu, que livras o pobre daquele que é mais forte do que ele? sim, o pobre, e o necessitado, daquele que o rouba. 11Falsas testemunhas se levantaram: depuseram contra mim coisas que eu não sabia. 12Tornaram-me o mal pelo bem, roubando a minha alma. 13Mas, quanto a mim, quando estavam enfermos, o meu vestido era o saco; humilhava a minha alma com o jejum, e a minha oração voltava para o meu seio. 14Portava-me com ele como se fora meu irmão ou amigo; andava lamentando e muito encurvado, como quem chora por sua mãe. 15Mas eles, com a minha adversidade se alegravam e se congregavam: os abjectos se congregavam contra mim, e eu não o sabia; rasgavam-me e não cessavam. 16Como hipócritas zombadores, nas festas, rangiam os dentes contra mim. 17Senhor, até quando verás isto? resgata a minha alma das suas assolações, e a minha predilecta dos leões. 18Louvar-te-ei na grande congregação: entre muitíssimo povo te celebrarei. 19Não se alegrem de mim os meus inimigos, sem razão, nem pisquem os olhos aqueles que me aborrecem sem causa. 20Pois não falam de paz; antes projectam enganar os quietos da terra. 21Abrem a boca de par em par contra mim, e dizem: Ah! Ah! os nossos olhos o viram. 22Tu, Senhor, o viste, não te cales: Senhor, não te alongues de mim; 23Desperta e acorda para o meu julgamento, para a minha causa, Deus meu e Senhor meu. 24Julga-me segundo a tua justiça, Senhor, Deus meu, e não deixes que se alegrem de mim! 25Não digam em seus corações: Eia, sus, alma nossa! Não digam: Nós o havemos devorado. 26Envergonhem-se e confundam-se à uma os que se alegram com o meu mal; vistam-se de vergonha e de confusão os que se engrandecem contra mim. 27Cantem e alegrem-se os que amam a minha justiça, e digam continuamente: O Senhor, que ama a prosperidade do seu servo, seja engrandecido. 28E assim a minha língua falará da tua justiça e do teu louvor, todo o dia.

will be added

X\