Salmos 28

1A TI clamarei, ó Senhor, Rocha minha; não emudeças para comigo; não suceda, calando-te tu a meu respeito, que eu me torne semelhante aos que descem à cova. 2Ouve a voz das minhas súplicas, quando a ti clamar, quando levantar as minhas mãos para o oráculo do teu santuário. 3Não me arremesses com os ímpios e com os que praticam a iniquidade, que falam de paz ao seu próximo, mas têm o mal nos seus corações. 4Retribui-lhes segundo as suas obras e segundo a malícia dos seus esforços; dá-lhes conforme a obra das suas mãos; envia-lhes a sua recompensa. 5Porquanto não atentam para as obras do Senhor, nem para o que as suas mãos têm feito; pelo que, ele os derribará e não os reedificará. 6Bendito seja o Senhor, porque ouviu a voz das minhas súplicas. 7O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele confiou o meu coração, e fui socorrido: pelo que, o meu coração salta de prazer, e com o meu canto o louvarei. 8O Senhor é a força do seu povo: também é a força salvadora do seu ungido. 9Salva o teu povo, e abençoa a tua herança; apascenta-os e exalta-os para sempre.

will be added

X\