Salmos 119

1BEM-AVENTURADOS os que trilham caminhos rectos, e andam na lei do Senhor. 2Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e o buscam de todo o coração, 3E não praticam iniquidade, mas andam nos seus caminhos. 4Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos. 5Oxalá os meus caminhos fossem dirigidos de maneira a poder eu observar os teus estatutos. 6Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos. 7Louvar-te-ei com rectidão de coração, quando tiver aprendido os teus justos juízos. 8Observarei os teus estatutos: não me desampares totalmente. 9Como purificará o mancebo o seu caminho? observando-o, conforme a tua palavra. 10De todo o meu coração te busquei: não me deixes desviar dos teus mandamentos. 11Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. 12Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos. 13Com os meus lábios, declarei todos os juízos da tua boca. 14Folgo mais com o caminho dos teus testemunhos, do que com todas as riquezas. 15Em teus preceitos meditarei, e olharei para os teus caminhos. 16Recrear-me-ei nos teus estatutos: não me esquecerei da tua palavra. 17Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra. 18Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei. 19Sou peregrino na terra: não escondas de mim os teus mandamentos. 20A minha alma está quebrantada de desejar os teus juízos em todo o tempo. 21Tu repreendeste asperamente os soberbos, amaldiçoados, que se desviam dos teus mandamentos. 22Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois guardei os teus testemunhos. 23Enquanto os príncipes se conluiavam e falavam contra mim, o teu servo meditava nos teus estatutos. 24Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros. 25A minha alma está pegada ao pó: vivifica-me, segundo a tua palavra. 26Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste: ensina-me os teus estatutos. 27Faze-me entender o caminho dos teus preceitos: assim falarei das tuas maravilhas. 28A minha alma consome-se de tristeza: fortalece-me segundo a tua palavra. 29Desvia de mim o caminho de falsidade, e concede-me piedosamente a tua lei. 30Escolhi o caminho da verdade: propus-me seguir os teus juízos. 31Apego-me aos teus testemunhos: Ó Senhor, não me confundas. 32Correrei pelo caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração. 33Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até ao fim. 34Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei, e observá-la-ei de todo o meu coração. 35Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer. 36Inclina o meu coração aos teus testemunhos, e não à cobiça. 37Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho. 38Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor. 39Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons. 40Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça. 41Venham também sobre mim as tuas misericórdias, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra. 42Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra. 43E de minha boca não tires nunca de todo a palavra de verdade, pois me atenho aos teus juízos. 44Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente. 45E andarei em liberdade; pois busquei os teus preceitos. 46Também falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei. 47E recrear-me-ei nos teus mandamentos, que eu amo. 48Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos. 49Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar. 50Isto é a minha consolação na minha angústia, porque a tua palavra me vivificou. 51Os soberbos zombaram grandemente de mim; apesar disso, não me desviei da tua lei. 52Lembrei-me dos teus juízos antiquíssimos, ó Senhor, e assim me consolei. 53Grande indignação se apoderou de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei. 54Os teus estatutos têm sido os meus cânticos no lugar das minhas peregrinações. 55De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei. 56Isto fiz eu, porque guardei os teus mandamentos. 57O Senhor é a minha porção: eu disse que observaria as tuas palavras. 58Implorei deveras o teu favor, de todo o meu coração: tem piedade de mim, segundo a tua palavra. 59Considerei os meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos. 60Apressei-me, e não me detive, a observar os teus mandamentos. 61Bandos de ímpios me despojaram; apesar disso, eu não me esqueci da tua lei. 62À meia-noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos. 63Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos. 64A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade: ensina-me os teus estatutos. 65Fizeste bem ao teu servo, Senhor, segundo a tua palavra. 66Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos. 67Antes de ser afligido, andava errado; mas agora, guardo a tua palavra. 68Tu és bom e abençoador: ensina-me os teus estatutos. 69Os soberbos forjaram mentiras contra mim; mas eu, de todo o coração, guardarei os teus preceitos. 70Engrossa-se-lhes o coração como gordura, mas eu me recreio na tua lei. 71Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos. 72Melhor é para mim a lei da tua boca do que inúmeras riquezas em ouro ou prata. 73As tuas mãos me fizeram e me afeiçoaram; dá-me inteligência para que aprenda os teus mandamentos. 74Os que te temem alegraram-se quando me viram, porque tenho esperado na tua palavra. 75Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são justos, e que em tua fidelidade me afligiste. 76Sirva, pois, a tua benignidade para consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo. 77Venham sobre mim as tuas misericórdias, para que viva, pois a tua lei é a minha delícia. 78Confundam-se os soberbos, pois me trataram de uma maneira perversa, sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos. 79Voltem-se para mim os que te temem, e aqueles que têm conhecido os teus testemunhos. 80Seja recto o meu coração para com os teus estatutos, para que eu não seja confundido. 81Desfaleceu a minha alma, esperando por tua salvação; mas confiei na tua palavra. 82Os meus olhos desfaleceram, esperando por tua promessa; entretanto dizia: Quando me consolarás tu? 83Pois fiquei como odre no fumo; mas não me esqueci dos teus estatutos. 84Quantos serão os dias do teu servo? Quando me farás justiça contra os que me perseguem? 85Os soberbos abriram covas para mim, o que não é conforme à tua lei. 86Todos os teus mandamentos são verdade: com mentiras me perseguem; ajuda-me. 87Quase que me têm consumido sobre a terra; mas eu não deixei os teus preceitos. 88Vivifica-me, segundo a tua benignidade; então guardarei o testemunho da tua boca. 89Para sempre, ó Senhor, a tua palavra permanece no céu. 90A tua fidelidade estende-se de geração a geração: tu firmaste a terra e firme permanece. 91Conforme o que ordenaste, tudo se mantém até hoje; porque todas as coisas te obedecem. 92Se a tua lei não fora toda a minha recreação, há muito que teria perecido na minha angústia. 93Nunca me esquecerei dos teus preceitos; pois por eles me tens vivificado. 94Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos. 95Os ímpios me esperam para me destruírem, mas eu atentarei para os teus testemunhos. 96A toda a perfeição vi limite, mas o teu mandamento é amplíssimo. 97Oh! quanto amo a tua lei! é a minha meditação em todo o dia. 98Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio do que os meus inimigos; pois estão sempre comigo. 99Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos. 100Sou mais prudente do que os velhos; porque guardo os teus preceitos. 101Desviei os meus pés de todo o caminho mau, para observar a tua palavra. 102Não me apartei dos teus juízos, porque tu me ensinaste. 103Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! mais doces do que o mel à minha boca. 104Pelos teus mandamentos, alcancei entendimento; pelo que aborreço todo o falso caminho. 105Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho. 106Jurei, e cumprirei, que hei-de guardar os teus justos juízos. 107Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra. 108Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca; ensina-me os teus juízos. 109A minha alma está de contínuo nas minhas mãos; todavia, não me esqueço da tua lei. 110Os ímpios me armaram laço; contudo, não me desviei dos teus preceitos. 111Os teus testemunhos tenho eu tomado por herança para sempre, pois são o gozo do meu coração. 112Inclinei o meu coração a guardar os teus estatutos, para sempre, até ao fim. 113Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei. 114Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra. 115Apartai-vos de mim, malfeitores, para que guarde os mandamentos do meu Deus. 116Sustenta-me, conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança. 117Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo me recrearei nos teus estatutos. 118Tu desprezas a todos os que se desviam dos teus estatutos, pois o engano deles é falsidade. 119Tu tiraste da terra, como escórias, a todos os ímpios, pelo que amo os teus testemunhos. 120O meu corpo se arrepiou com temor de ti, e temi os teus juízos. 121Fiz juízo e justiça: não me entregues aos meus opressores. 122Fica por fiador do teu servo para o bem; não deixes que os soberbos me oprimam. 123Os meus olhos desfaleceram, esperando pela tua salvação e pela promessa da tua justiça. 124Trata com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos. 125Sou teu servo: dá-me inteligência, para entender os teus testemunhos. 126Já é tempo de operares, ó Senhor, pois eles têm quebrantado a tua lei. 127Pelo que amo os teus mandamentos, mais do que o ouro, e ainda mais do que o ouro fino. 128Por isso, tenho, em tudo, como rectos todos os teus preceitos, e aborreço toda a falsa vereda. 129Maravilhosos são os teus testemunhos; por isso a minha alma os guarda. 130A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos símplices. 131Abri a minha boca, e respirei, pois que desejei os teus mandamentos. 132Olha para mim, e tem piedade de mim, conforme usas com os que amam o teu nome. 133Ordena os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniquidade alguma. 134Livra-me da opressão do homem; assim, guardarei os teus preceitos. 135Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos. 136Rios de água correm dos meus olhos, porque não guardam a tua lei. 137Justo és, ó Senhor, e rectos são os teus juízos. 138Os teus testemunhos que ordenaste são rectos e muito fiéis. 139O meu zelo me consumiu, porque os meus inimigos se esqueceram da tua palavra. 140A tua palavra é muito pura; por isso, o teu servo a ama. 141Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus mandamentos. 142A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade. 143Aperto e angústia se apoderam de mim; não obstante, os teus mandamentos são o meu prazer. 144A justiça dos teus testemunhos é eterna; dá-me inteligência, e viverei. 145Clamei de todo o meu coração; escuta-me, Senhor, e guardarei os teus estatutos. 146A ti te invoquei; salva-me, e guardarei os teus testemunhos. 147Preveni a alva da manhã, e clamei: esperei na tua palavra. 148Os meus olhos preveniram as vigílias da noite, para meditar na tua palavra. 149Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade: vivifica-me, ó Senhor, segundo o teu juízo. 150Aproximam-se os que seguem a malvados: afastam-se da tua lei. 151Tu estás perto, ó Senhor, e todos os teus mandamentos são a verdade. 152Acerca dos teus testemunhos, soube, desde a antiguidade, que tu os fundaste para sempre. 153Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueci da tua lei. 154Pleiteia a minha causa, e livra-me: vivifica-me segundo a tua palavra. 155A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos. 156Muitas são, ó Senhor, as tuas misericórdias: vivifica-me, segundo os teus juízos. 157Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos. 158Vi os transgressores, e me afligi, porque não observam a tua palavra. 159Considera como amo os teus preceitos: vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua benignidade. 160A tua palavra é a verdade, desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre. 161Príncipes me perseguiram sem causa, mas o meu coração temeu a tua palavra. 162Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo. 163Abomino e aborreço a falsidade, mas amo a tua lei. 164Sete vezes no dia te louvo, pelos juízos da tua justiça. 165Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço. 166Senhor, tenho esperado na tua salvação, e tenho cumprido os teus mandamentos. 167A minha alma tem observado os teus testemunhos; amo-os extremamente. 168Tenho observado os teus preceitos e os teus testemunhos, porque todos os meus caminhos estão diante de ti. 169Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor: dá-me entendimento, conforme a tua palavra. 170Chegue a minha súplica perante a tua face: livra-me, segundo a tua palavra. 171Os meus lábios proferiram o louvor, quando me ensinaste os teus estatutos. 172A minha língua falará da tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justiça. 173Venha a tua mão socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos. 174Tenho desejado a tua salvação, ó Senhor; a tua lei é todo o meu prazer. 175Viva a minha alma, e louvar-te-á: ajudem-me os teus juízos. 176Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos.

will be added

X\