Levítico 25

1FALOU mais o Senhor a Moisés no monte de Sinai, dizendo: 2Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando tiverdes entrado na terra que eu vos dou, então a terra guardará um sábado ao Senhor. 3Seis anos semearás a tua terra, seis anos podarás a tua vinha, e colherás a sua novidade; 4Porém, ao sétimo ano, haverá sábado de descanso para a terra, um sábado ao Senhor; não semearás o teu campo nem podarás a tua vinha. 5O que nascer de si mesmo, da tua sega, não segarás, e as uvas da tua vide não tratada, não vindimarás; ano de descanso será para a terra. 6Mas a novidade do sábado da terra vos será por alimento, a ti, e ao teu servo, e à tua serva, e ao teu jornaleiro: e ao estrangeiro que peregrina contigo; 7E ao teu gado, e aos teus animais que estão na tua terra, toda a sua novidade será por mantimento. 8Também contarás sete semanas de anos, sete vezes sete anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos. 9Então, no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra. 10E santificareis o ano quinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um, à sua possessão, e tornareis, cada um, à sua família. 11O ano quinquagésimo vos será jubileu; não semeareis nem segareis o que nele nascer de si mesmo, nem nele vindimareis as uvas das vides não tratadas. 12Porque jubileu é, santo será para vós: a novidade do campo comereis. 13Neste ano do jubileu tornareis, cada um, à sua possessão. 14E, quando venderdes alguma coisa ao vosso próximo, ou a comprardes da mão do vosso próximo, ninguém oprima a seu irmão; 15Conforme ao número dos anos, desde o jubileu, comprarás ao teu próximo; e conforme ao número dos anos das novidades, ele venderá a ti. 16Conforme à multidão dos anos, aumentarás o seu preço, e conforme à diminuição dos anos abaixarás o seu preço; porque conforme ao número das novidades é que ele te vende. 17Ninguém, pois, oprima ao seu próximo; mas terás temor do teu Deus: porque Eu sou o Senhor, vosso Deus. 18E fazei os meus estatutos, e guardai os meus juízos, e fazei-os; assim habitareis seguros na terra. 19E a terra dará o seu fruto, e comereis a fartar, e nela habitareis seguros. 20E se disserdes: Que comeremos no ano sétimo, visto que não havemos de semear nem colher a nossa novidade? 21Então, eu mandarei a minha bênção sobre vós, no sexto ano, para que dê fruto por três anos. 22E no oitavo ano semeareis, e comereis da colheita velha, até ao ano nono; até que venha a sua novidade, comereis a velha. 23Também a terra não se venderá em perpetuidade, porque a terra é minha; pois vós sois estrangeiros e peregrinos comigo. 24Portanto, em toda a terra da vossa possessão, dareis resgate à terra. 25Quando teu irmão empobrecer e vender alguma porção da sua possessão, então virá o seu resgatador, seu parente, e resgatará o que vendeu seu irmão. 26E se alguém não tiver resgatador, porém a sua mão alcançar e achar o que basta para o seu resgate, 27Então contará os anos desde a sua venda, e o que ficar restituirá ao homem a quem o vendeu, e tornará à sua possessão. 28Mas, se a sua mão não alcançar o que basta para restituir-lha, então, a que for vendida ficará na mão do comprador, até ao ano do jubileu; porém, no ano do jubileu, sairá, e ele tornará à sua possessão. 29E, quando algum vender uma casa de moradia, em cidade murada, então o pode resgatar até que se cumpra o ano da sua venda; durante um ano inteiro será lícito o seu resgate. 30Mas, se, passando-se-lhe um ano inteiro, ainda não for resgatada, então a casa, que estiver na cidade que tem muro, em perpetuidade ficará ao que a comprou, pelas suas gerações; não sairá no jubileu. 31Mas as casas das aldeias, que não têm muro em roda, serão estimadas como o campo da terra; para elas haverá resgate, e sairão no jubileu. 32Mas, no tocante às cidades dos levitas, às casas das cidades da sua possessão, direito perpétuo de resgate terão os levitas. 33E, havendo feito resgate um dos levitas, então a casa comprada e a cidade da sua possessão sairão no jubileu; porque as casas das cidades dos levitas são a sua possessão no meio dos filhos de Israel. 34Mas o campo do arrabalde das suas cidades não se venderá, porque lhes é possessão perpétua. 35E, quando o teu irmão empobrecer, e as suas forças decaírem, então sustentá-lo-ás, como estrangeiro e peregrino, para que viva contigo. 36Não tomarás dele usura nem ganho; mas do teu Deus terás temor, para que o teu irmão viva contigo. 37Não lhe darás o teu dinheiro com usura, nem darás o teu manjar por interesse. 38Eu sou o Senhor, vosso Deus, que vos tirei da terra do Egipto, para vos dar a terra de Canaan, para ser o vosso Deus. 39Quando, também, teu irmão empobrecer, estando ele contigo, e se vender a ti, não o farás servir serviço de escravo. 40Como jornaleiro, como peregrino, estará contigo; até ao ano do jubileu te servirá; 41Então sairá do teu serviço, ele e seus filhos com ele, e tornará à sua família, e à possessão dos seus pais tornará. 42Porque são meus servos, que tirei da terra do Egipto; não serão vendidos como se vendem os escravos. 43Não te assenhorearás dele com rigor, mas do teu Deus terás temor. 44E quanto ao teu escravo ou à tua escrava que tiveres, serão das gentes que estão ao redor de vós; deles comprareis escravos e escravas. 45Também os comprareis dos filhos dos forasteiros que peregrinam entre vós, deles e das suas gerações que estiverem convosco, que tiverem gerado na vossa terra; e vos serão por possessão. 46E possuí-los-eis por herança para os vossos filhos depois de vós, para herdarem a possessão; perpetuamente os fareis servir: mas, sobre os vossos irmãos, os filhos de Israel, cada um sobre o seu irmão, não vos assenhoreareis dele com rigor. 47E quando a mão do estrangeiro e peregrino que está contigo alcançar riqueza, e o teu irmão, que está com ele, empobrecer, e se vender ao estrangeiro ou peregrino que está contigo, ou à raça da linhagem do estrangeiro, 48Depois que se houver vendido, haverá resgate para ele; um dos seus irmãos o resgatará; 49Ou seu tio, ou o filho do seu tio o resgatará; ou um dos seus parentes, da sua família, o resgatará; ou, se a sua mão alcançar riqueza, se resgatará a si mesmo. 50E contará, com aquele que o comprou, desde o ano que se vendeu a ele até ao ano do jubileu, e o dinheiro da sua venda será conforme ao número dos anos; conforme aos dias de um jornaleiro estará com ele. 51Se ainda muitos anos faltarem, conforme a eles restituirá o seu resgate do dinheiro pelo qual foi vendido, 52E se ainda restarem poucos anos até ao ano do jubileu, então fará contas com ele; segundo os seus anos restituirá o seu resgate. 53Como jornaleiro, de ano em ano, estará com ele; não se assenhoreará sobre ele, com rigor, diante dos teus olhos. 54E se desta sorte se não resgatar, sairá no ano do jubileu, ele e os seus filhos com ele. 55Porque os filhos de Israel me são servos; meus servos são eles, que tirei da terra do Egipto: Eu sou o Senhor, vosso Deus.

will be added

X\