Juízes 20

1ENTÃO todos os filhos de Israel saíram e a congregação se ajuntou, como se fora um só homem, desde Dan até Berseba, como também a terra de Gilead, ao Senhor em Mispa. 2E dos cantos de todo o povo se apresentaram, de todas as tribos de Israel, na congregação do povo de Deus, quatrocentos mil homens de pé, que arrancavam a espada. 3(Ouviram, pois, os filhos de Benjamim que os filhos de Israel haviam subido a Mispa.) E disseram os filhos de Israel: Falai, como sucedeu esta maldade? 4Então respondeu o homem levita, marido da mulher que fora morta, e disse: Cheguei com a minha concubina a Gibea, cidade de Benjamim, para passar a noite; 5E os cidadãos de Gibea se levantaram contra mim, e cercaram a casa de noite: intentaram matar-me, e violaram a minha concubina, de maneira que morreu. 6Então peguei na minha concubina e fi-la em pedaços, e a enviei por toda a terra da herança de Israel: porquanto fizeram tal malefício e loucura em Israel. 7Eis que todos sois filhos de Israel: dai aqui a vossa palavra e conselho. 8Então todo o povo se levantou como um só homem, dizendo: Nenhum de nós irá à sua tenda, nem nenhum de nós se retirará à sua casa. 9Porém isto é o que faremos a Gibea; procederemos contra ela por sorte. 10E tomaremos dez homens de cem de todas as tribos de Israel, e cem de mil, e mil de dez mil, para tomarem mantimento para o povo; para que, vindo eles a Gibea de Benjamim, lhe façam conforme a toda a loucura que tem feito em Israel. 11Assim ajuntaram-se contra esta cidade todos os homens de Israel, aliados como um só homem. 12E as tribos de Israel enviaram homens por toda a tribo de Benjamim, dizendo: Que maldade é esta que se fez entre vós? 13Dai- nos, pois, agora, aqueles homens, filhos de Belial, que estão em Gibea, para que os matemos, e tiremos de Israel o mal: porém, os filhos de Benjamim não quiseram ouvir a voz dos seus irmãos, os filhos de Israel. 14Antes, os filhos de Benjamim se ajuntaram, das cidades de Gibea, para saírem a pelejar contra os filhos de Israel. 15E contaram-se naquele dia os filhos de Benjamim, das cidades, vinte e seis mil homens que arrancavam a espada, afora os moradores de Gibea, de que se contaram setecentos homens escolhidos. 16Entre todo este povo havia setecentos homens escolhidos, canhotos, os quais todos atiravam, com a funda, uma pedra a um cabelo, e não erravam. 17E contaram-se dos homens de Israel, afora os de Benjamim, quatrocentos mil homens que arrancavam da espada, e todos eles homens de guerra. 18E levantaram-se os filhos de Israel, e subiram a Betel, e perguntaram a Deus, e disseram: Quem de entre nós subirá o primeiro a pelejar contra Benjamim? E disse o Senhor: Judá subirá primeiro. 19Levantaram-se, pois, os filhos de Israel, pela manhã, e acamparam-se contra Gibea. 20E os homens de Israel saíram à peleja contra Benjamim; e ordenaram os homens de Israel, contra eles, a peleja, ao pé de Gibea. 21Então os filhos de Benjamim saíram de Gibea, e derribaram por terra, naquele dia, vinte e dois mil homens de Israel. 22Porém esforçou-se o povo dos homens de Israel, e tornaram a ordenar a peleja no lugar onde, no primeiro dia, a tinham ordenado. 23E subiram os filhos de Israel e choraram perante o Senhor, até à tarde, e perguntaram ao Senhor, dizendo: Tornar-me-ei a chegar à peleja contra os filhos de Benjamim, meu irmão? E disse o Senhor: Subi contra ele. 24Chegaram-se, pois, os filhos de Israel, aos filhos de Benjamim, no dia seguinte. 25Também os de Benjamim, no dia seguinte, lhes saíram ao encontro, fora de Gibea, e derribaram ainda por terra mais dezoito mil homens, todos dos que arrancavam a espada. 26Então todos os filhos de Israel, e todo o povo, subiram, e vieram a Betel, e choraram, e estiveram ali perante o Senhor, e jejuaram aquele dia até à tarde; e ofereceram holocaustos e ofertas pacíficas perante o Senhor. 27E os filhos de Israel perguntaram ao Senhor (porquanto a arca do concerto de Deus estava ali naqueles dias; 28E Finéas, filho de Eleazar, filho de Aarão, estava perante ele naqueles dias), dizendo: Sairei ainda mais, a pelejar contra os filhos de Benjamim, meu irmão, ou pararei? E disse o Senhor: Subi, que amanhã eu tos entregarei na mão. 29Então Israel pôs emboscadas em redor de Gibea. 30E subiram os filhos de Israel, ao terceiro dia, contra os filhos de Benjamim, e ordenaram a peleja junto a Gibea, como das outras vezes. 31Então os filhos de Benjamim saíram ao encontro do povo, e desviaram-se da cidade; e começaram a ferir alguns do povo, atravessando alguns trinta dos homens de Israel, como das outras vezes, pelos caminhos (um dos quais sobe para Betel, e o outro para Gibea, pelo campo), 32Então os filhos de Benjamim disseram: Vão derrotados diante de nós, como dantes. Porém os filhos de Israel disseram: Fujamos, e desviemo-los da cidade para os caminhos. 33Então todos os homens de Israel se levantaram do seu lugar, e ordenaram a peleja em Baal-tamar; e a emboscada de Israel saiu do seu lugar, da caverna de Gibea. 34E dez mil homens escolhidos de todo o Israel vieram contra Gibea, e a peleja se engraveceu; porém eles não sabiam que o mal lhes tocaria. 35Então feriu o Senhor a Benjamim, diante de Israel; e desfizeram os filhos de Israel, naquele dia, vinte e cinco mil e cem homens de Benjamim, todos dos que arrancavam espada. 36E viram os filhos de Benjamim que estavam feridos; porque os homens de Israel deram lugar aos benjamitas, porquanto estavam confiados na emboscada que haviam posto contra Gibea. 37E a emboscada se apressou, e acometeu a Gibea; e a emboscada arremeteu contra ela, e feriu ao fio da espada toda a cidade. 38E os homens de Israel tinham um sinal determinado com a emboscada, que era fazerem levantar da cidade uma grande nuvem de fumo. 39Viraram-se, pois, os homens de Israel na peleja; e já Benjamim começava a ferir, dos homens de Israel, quase trinta homens, atravessando-os, porque diziam: Já, infalivelmente, estão derrotados diante de nós, como na peleja passada. 40Então a nuvem de fumo se começou a levantar da cidade, como uma coluna de fumo; e, virando-se Benjamim a olhar para trás de si, eis que o fumo da cidade subia ao céu. 41E os homens de Israel viraram os rostos, e os homens de Benjamim pasmaram; porque viram que o mal lhes tocaria. 42E viraram as costas diante dos homens de Israel, para o caminho do deserto; porém a peleja os apertou; e os das cidades os desfizeram no meio deles. 43E cercavam a Benjamim, e o seguiram, e à vontade o pisaram, até diante de Gibea, para o nascente do sol. 44E caíram de Benjamim dezoito mil homens, todos estes sendo homens valentes. 45Então viraram as costas e fugiram para o deserto, à penha de Rimon; e apanharam ainda deles, pelos caminhos, uns cinco mil homens; e de perto os seguiram até Gideon, e feriram deles dois mil homens. 46E foram todos, os que de Benjamim naquele dia caíram, vinte e cinco mil homens que arrancavam a espada, todos eles homens valentes. 47Porém seiscentos homens viraram as costas, e fugiram para o deserto, à penha de Rimon: e ficaram na penha de Rimon quatro meses. 48E os homens de Israel voltaram para os filhos de Benjamim, e os feriram ao fio da espada, desde os homens da cidade até aos animais, tudo quanto ali se achava, e também a todas as cidades quantas se acharam puseram a fogo.

will be added

X\