Isaías 11

1PORQUE brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. 2E repousará sobre ele o espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de inteligência, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor. 3E deleitar-se-á no temor do Senhor: e não julgará segundo a vista dos seus olhos, e nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos; 4Mas julgará com justiça os pobres, e repreenderá com equidade os mansos da terra: e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio. 5E a justiça será o cinto dos seus lombos, e a verdade o cinto dos seus rins. 6E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e a nédia ovelha viverão juntos, e um menino pequeno os guiará. 7A vaca e a ursa pastarão juntas, e seus filhos juntos se deitarão; e o leão comerá palha como o boi. 8E brincará a criança de peito sobre a toca do áspide, e o já desmamado meterá a sua mão na cova do basilisco. 9Não se fará mal nem dano algum em todo o monte da minha santidade, porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar. 10E acontecerá, naquele dia, que as nações perguntarão pela raiz de Jessé, posta por pendão dos povos, e o lugar do seu repouso será glorioso. 11Porque há-de acontecer, naquele dia, que o Senhor tornará a estender a sua mão para adquirir, outra vez, os resíduos do seu povo, que restarem da Assíria, e do Egipto, e de Patros, e da Etiópia, e de Elam, e de Sinear, e de Hamath, e das ilhas do mar. 12E levantará um pendão entre as nações, e ajuntará os desterrados de Israel, e os dispersos de Judá congregará, desde os quatro confins da terra. 13E desterrar-se-á a inveja de Efraim, e os adversários de Judá serão desarreigados: Efraim não invejará a Judá e Judá não oprimirá a Efraim. 14Antes, voarão sobre os ombros dos filisteus ao ocidente; juntos despojarão os filhos do oriente; em Edom e Moab porão as suas mãos, e os filhos de Amon lhes obedecerão. 15E o Senhor destruirá, totalmente, o braço de mar do Egipto, e moverá a sua mão contra o rio, com a força do seu vento, e, ferindo-o, dividi-lo-á em sete correntes, que qualquer atravessará com sapatos. 16E haverá caminho plano para os resíduos do seu povo, que restarem da Assíria, como sucedeu a Israel, no dia em que subiu da terra do Egipto.

will be added

X\