Êxodo 14

1ENTÃO, falou o Senhor a Moisés, dizendo: 2Fala aos filhos de Israel que voltem, e que acampem diante de Pi-hairoth, entre Migdol e o mar, diante de Baalzefon: em frente dele assentareis o campo, junto ao mar. 3Então Faraó dirá dos filhos de Israel: Estão embaraçados na terra, o deserto os encerrou. 4E eu endurecerei o coração de Faraó, para que os persiga, e serei glorificado em Faraó, em todo o seu exército, e saberão os egípcios que eu sou o Senhor. E eles fizeram assim. 5Sendo, pois, anunciado ao rei do Egipto que o povo fugiu, mudou-se o coração de Faraó e dos seus servos contra o povo, e disseram: Por que fizemos isso, havendo deixado ir a Israel, para que nos não sirva? 6E aprontou o seu carro, e tomou consigo o seu povo; 7E tomou seiscentos carros escolhidos e todos os carros do Egipto, e os capitães sobre eles todos. 8Porque o Senhor endureceu o coração de Faraó, rei do Egipto, para que perseguisse aos filhos de Israel: porém, os filhos de Israel saíram com alta mão. 9E os egípcios perseguiram-nos, todos os cavalos e carros de Faraó, e os seus cavaleiros, e o seu exército, e alcançaram-nos, acampados, junto ao mar, perto de Pi-hairoth, diante de Baalzefon. 10E, chegando Faraó, os filhos de Israel levantaram os seus olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então os filhos de Israel clamaram ao Senhor. 11E disseram a Moisés: Não havia sepulcros no Egipto, para nos tirares de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos fizeste isto, que nos tens tirado do Egipto? 12Não é esta a palavra que te temos falado no Egipto, dizendo: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? pois que melhor nos fora servir aos egípcios do que morrermos no deserto. 13Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará: porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais vereis, para sempre: 14O Senhor pelejará por vós, e vos calareis. 15Então, disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? dize aos filhos de Israel que marchem. 16E tu, levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar, em seco. 17E eis que endurecerei o coração dos egípcios, para que entrem nele atrás deles; e eu serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros e nos seus cavaleiros, 18E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando for glorificado em Faraó, nos seus carros e nos seus cavaleiros. 19E o anjo de Deus, que ia diante do exército de Israel, se retirou, e ia atrás deles: também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles. 20E ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel: e a nuvem era escuridade para aqueles, e para estes esclarecia a noite: de maneira que, em toda a noite, não chegou um ao outro. 21Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o Senhor fez retirar o mar por um forte vento oriental, toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas. 22E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar, em seco: e as águas foram-lhes como muro, à sua direita e à sua esquerda. 23E os egípcios seguiram-nos, e entraram atrás deles todos os cavalos de Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros, até ao meio do mar. 24E aconteceu que, na vigília daquela manhã, o Senhor, na coluna do fogo e da nuvem, viu o campo dos egípcios: e alvorotou o campo dos egípcios. 25E tirou-lhes as rodas dos seus carros, e fê-los andar dificultosamente. Então disseram os egípcios: Fujamos da face de Israel, porque o Senhor por eles peleja, contra os egípcios. 26E disse o Senhor a Moisés: Estende a tua mão sobre o mar, para que as águas tornem sobre os egípcios, sobre os seus carros e sobre os seus cavaleiros. 27Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o mar retomou a sua força ao amanhecer, e os egípcios fugiram ao seu encontro: e o Senhor derribou os egípcios no meio do mar, 28Porque as águas, tornando, cobriram os carros e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar: nem ainda um deles ficou. 29Mas os filhos de Israel foram pelo meio do mar seco: e as águas foram-lhes como muro, à sua mão direita e à sua esquerda. 30Assim o Senhor salvou Israel, naquele dia, da mão dos egípcios: e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar. 31E viu Israel a grande mão que o Senhor mostrara aos egípcios; e temeu o povo ao Senhor, e creram no Senhor e em Moisés, seu servo.

will be added

X\