Actos 20

1E, DEPOIS que cessou o alvoroço, Paulo chamou a si os discípulos, e, abraçando-os, saiu para a Macedónia. 2E, havendo andado por aquelas terras, exortando-os com muitas palavras, veio à Grécia. 3E, passando ali três meses, e sendo-lhe pelos judeus postas ciladas, como tivesse de navegar para a Síria, determinou voltar pela Macedónia. 4E acompanhou-o, até à Ásia, Sopater, de Bereia, e, dos de Tessalónica, Aristarco e Segundo, e Gaio de Derbe, e Timóteo, e, dos da Ásia, Tíquico e Trófimo. 5Estes, indo adiante, nos esperaram em Troas. 6E, depois dos dias dos pães asmos, navegámos de Filipos e, em cinco dias, fomos ter com eles a Troas, onde estivemos sete dias. 7E, no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e alargou a prática até à meia-noite. 8E havia muitas luzes no cenáculo, onde estavam juntos. 9E, estando um certo mancebo, por nome Eutico, assentado numa janela, caiu do terceiro andar, tomado de um sono profundo, que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo; e foi levantado morto. 10Paulo, porém, descendo, inclinou-se sobre ele e, abraçando-o disse: Não vos perturbeis, que a sua alma nele está. 11E subindo, e partindo o pão, e comendo, ainda lhes falou largamente até à alvorada; e assim partiu. 12E levaram vivo o mancebo, e ficaram não pouco consolados. 13Nós, porém, subindo ao navio, navegámos até Asson, onde devíamos receber Paulo, porque assim o ordenara, indo ele por terra. 14E, logo que se ajuntou connosco, em Asson, o recebemos, e fomos a Mitilene. 15E, navegando dali, chegámos no dia seguinte defronte de Quio, e no outro aportámos a Samos, e, ficando em Trogílio, chegámos no dia seguinte a Mileto. 16Porque já Paulo tinha determinado passar adiante de Éfeso, para não gastar tempo na Ásia. Apressava-se, pois, para estar, se lhe fosse possível, em Jerusalém, no dia de pentecostes. 17E de Mileto mandou a Éfeso, a chamar os anciãos da igreja. 18E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como, em todo esse tempo, me portei no meio de vós, 19Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações que, pelas ciladas dos judeus, me sobrevieram; 20Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, 21Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. 22E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há-de acontecer, 23Senão o que o Espírito Santo, de cidade em cidade, me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. 24Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus. 25E agora, na verdade, sei que todos vós, por quem passei, pregando o reino de Deus, não vereis mais o meu rosto. 26Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. 27Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus. 28Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho, sobre que o Espírito Santo vos constituíu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue. 29Porque eu sei isto, que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão ao rebanho; 30E que, de entre vós mesmos, se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si. 31Portanto, vigiai, lembrando-vos de que, durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós. 32Agora, pois, irmãos, encomendo-vos a Deus e à palavra da sua graça; a Ele, que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os santificados. 33De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestido. 34Vós mesmos sabeis que, para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram. 35Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. 36E, havendo dito isto, pôs-se de joelhos, e orou com todos eles. 37E levantou-se um grande pranto entre todos, e, lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam, 38Entristecendo-se muito, principalmente pela palavra que dissera, que não veriam mais o seu rosto. E acompanharam-no até ao navio.

will be added

X\