2 Samuel 13

1E ACONTECEU, depois disto, que, tendo Absalão, filho de David, uma irmã formosa, cujo nome era Tamar, Amnon, filho de David, amou-a. 2E angustiou-se Amnon, até adoecer, por Tamar, sua irmã, porque era virgem; e parecia aos olhos de Amnon dificultoso fazer-lhe coisa alguma. 3Tinha, porém, Amnon um amigo, cujo nome era Jonadab, filho de Simea, irmão de David; e era Jonadab homem mui sagaz. 4O qual lhe disse: Por que tu, de manhã em manhã, tanto emagreces, sendo filho do rei? não mo farás saber a mim? Então lhe disse Amnon: Amo a Tamar, irmã de Absalão, meu irmão. 5E Jonadab lhe disse: Deita-te na tua cama, e finge-te doente; e, quando teu pai te vier visitar, dize-lhe: Peço- te que minha irmã Tamar venha, e me dê de comer pão, e prepare a comida diante dos meus olhos para que eu a veja e coma da sua mão. 6Deitou-se, pois, Amnon, e fingiu-se doente; e, vindo o rei visitá-lo, disse Amnon ao rei: Peço- te que minha irmã Tamar venha, e prepare dois bolos diante dos meus olhos, para que eu coma de sua mão. 7Mandou, então, David a casa, a Tamar, dizendo: Vai a casa de Amnon, teu irmão, e faze-lhe alguma comida. 8E foi Tamar a casa de Amnon, seu irmão (ele, porém, estava deitado), e tomou massa, e a amassou e fez bolos diante dos seus olhos, e cozeu os bolos. 9E tomou a sertã, e os tirou diante dele; porém ele recusou comer. E disse Amnon: Fazei retirar a todos da minha presença. E todos se retiraram dele. 10Então disse Amnon a Tamar: Traze a comida à câmara, e comerei da tua mão. E tomou Tamar os bolos que fizera, e os trouxe a Amnon, seu irmão, à câmara. 11E chegando-lhos, para que comesse, pegou dela, e disse-lhe: Vem, deita-te comigo, irmã minha. 12Porém ela lhe disse: Não, irmão meu, não me forces, porque não se faz assim em Israel; não faças tal loucura. 13Porque, aonde iria eu com a minha vergonha? E tu serias como um dos loucos de Israel. Agora, pois, peço- te que fales ao rei, porque não me negará a ti. 14Porém ele não quis dar ouvidos à sua voz; antes, sendo mais forte do que ela, a forçou, e se deitou com ela. 15Depois, Amnon a aborreceu, com grandíssimo aborrecimento, porque maior era o aborrecimento com que a aborrecia do que o amor com que a amara. E disse-lhe Amnon: Levanta-te, e vai-te. 16Então ela lhe disse: Não há razão de me despedires assim; maior seria este mal do que o outro que já me tens feito. Porém não lhe quis dar ouvidos. 17E chamou seu moço que o servia, e disse: Deita a esta fora, e fecha a porta após ela. 18E trazia ela uma roupa de muitas cores (porque assim se vestiam as filhas virgens dos reis, com capas), e seu criado a deitou fora, e fechou a porta após ela. 19Então Tamar tomou cinza sobre a sua cabeça, e a roupa de muitas cores que trazia rasgou; e pôs as mãos sobre a cabeça, e foi-se andando e clamando. 20E Absalão, seu irmão, lhe disse: Esteve Amnon, teu irmão, contigo? Ora, pois, irmã minha, cala-te; é teu irmão. Não se angustie o teu coração por isto. Assim ficou Tamar, e esteve solitária, em casa de Absalão, seu irmão. 21E, ouvindo o rei David todas estas coisas, muito se acendeu em ira. 22Porém Absalão não falou com Amnon, nem mal, nem bem; porque Absalão aborrecia a Amnon, por ter forçado a Tamar, sua irmã. 23E aconteceu que, passados dois anos inteiros, Absalão tinha tosquiadores em Baal-asor, que está junto a Efraim: e convidou Absalão a todos os filhos do rei. 24E veio Absalão ao rei, e disse: Eis que teu servo tem tosquiadores; peço que o rei e os seus servos venham com o teu servo. 25O rei, porém, disse a Absalão: Não, filho meu, não vamos todos juntos, para não te sermos pesados. E instou com ele; porém ele não quis ir, mas o abençoou. 26Então disse Absalão: Quando não, deixa ir connosco Amnon, meu irmão. Porém o rei lhe disse: Para que iria contigo? 27E, instando Absalão com ele, deixou ir com ele a Amnon, e a todos os filhos do rei. 28E Absalão deu ordem aos seus moços, dizendo: Tomai sentido; quando o coração de Amnon estiver alegre do vinho, e eu vos disser: Feri a Amnon, então o matareis; não temais; porventura não sou eu quem vo-lo ordenou? Esforçai-vos, e sede valentes. 29E os moços de Absalão fizeram a Amnon como Absalão lho havia ordenado. Então todos os filhos do rei se levantaram, e montaram, cada um, no seu mulo, e fugiram. 30E aconteceu que, estando eles ainda no caminho, veio a nova a David, de que se dizia: Absalão feriu a todos os filhos do rei, e nenhum deles ficou. 31Então o rei se levantou, e rasgou os seus vestidos, e se lançou por terra; da mesma maneira todos os servos estavam com vestidos rotos. 32Mas Jonadab, filho de Simea, irmão de David, respondeu, e disse: Não diga o meu senhor que mataram a todos os mancebos, filhos do rei, porque só morreu Amnon; porque assim o tinha resolvido fazer Absalão, desde o dia em que ele forçou a Tamar, sua irmã. 33Não se lhe meta, pois, agora, no coração do rei, meu senhor, tal coisa, dizendo: Morreram todos os filhos do rei; porque só morreu Amnon. 34E Absalão fugiu; e o mancebo que estava de guarda levantou os seus olhos, e olhou; e eis que muito povo vinha pelo caminho por detrás dele, pela banda do monte. 35Então disse Jonadab ao rei: Eis aqui vêm os filhos do rei; conforme à palavra do teu servo, assim sucedeu. 36E aconteceu que, quando acabou de falar, os filhos do rei vieram, e levantaram a sua voz, e choraram; e também o rei e todos os seus servos choraram com mui grande choro. 37Assim Absalão fugiu, e se foi a Talmai, filho de Amiúd, rei de Gesur. E David trouxe dó por seu filho todos aqueles dias. 38Assim Absalão fugiu, e foi para Gesur, e esteve ali três anos. 39Então tinha o rei David saudades de Absalão; porque já se tinha consolado acerca de Amnon, que era morto.

will be added

X\