2 Reis 23

1ENTÃO o rei ordenou, e todos os anciãos de Judá e de Jerusalém se ajuntaram a ele. 2E o rei subiu à casa do Senhor, e, com ele, todos os homens de Judá, e todos os moradores de Jerusalém, e os sacerdotes, e os profetas, e todo o povo, desde o mais pequeno até ao maior: e leu, aos ouvidos deles, todas as palavras do livro do concerto, que se achou na casa do Senhor. 3E o rei se pôs em pé, junto à coluna, e fez o concerto perante o Senhor, para andarem com o Senhor, e guardarem os seus mandamentos, e os seus testemunhos, e os seus estatutos, com todo o coração, e com toda a alma, confirmando as palavras deste concerto que estavam escritas naquele livro; e todo o povo esteve por este concerto. 4E o rei mandou ao sumo sacerdote Hilquias, e aos sacerdotes da segunda ordem, e aos guardas do umbral da porta, que se tirassem do templo do Senhor todos os vasos que se tinham feito para Baal, e para o bosque, e para todo o exército dos céus: e os queimou fora de Jerusalém, nos campos de Cedron, e levou as cinzas deles a Betel. 5Também destituiu os sacerdotes que os reis de Judá estabeleceram para incensarem sobre os altos, nas cidades de Judá e ao redor de Jerusalém, como também os que incensavam a Baal, ao sol, e à lua, e aos mais planetas, e a todo o exército dos céus. 6Também tirou da casa do Senhor o ídolo do bosque, para fora de Jerusalém, até ao ribeiro de Cedron, e o queimou junto ao ribeiro de Cedron, e o desfez em pó, e lançou o seu pó sobre as sepulturas dos filhos do povo. 7Também derribou as casas dos rapazes escandalosos que estavam na casa do Senhor, em que as mulheres teciam tendas para o ídolo do bosque. 8E trouxe a todos os sacerdotes, das cidades de Judá, e profanou os altos em que os sacerdotes incensavam, desde Geba até Berseba: e derribou os altos das portas que estavam à entrada da porta de Josué, o chefe da cidade, e que estavam à mão esquerda daquele que entrava pela porta da cidade. 9Mas os sacerdotes dos altos não sacrificavam sobre o altar do Senhor em Jerusalém; porém comiam pães asmos no meio dos seus irmãos. 10Também profanou a Tofeth, que está no vale dos filhos de Hinom, para que ninguém fizesse passar a seu filho, ou sua filha, pelo fogo a Moloch. 11Também tirou os cavalos que os reis de Judá tinham destinado ao sol, à entrada da casa do Senhor, perto da câmara de Natan-melech, o eunuco que estava no precinto: e os carros do sol queimou a fogo. 12Também o rei derribou os altares que estavam sobre o terraço do cenáculo de Acaz, os quais fizeram os reis de Judá; como também o rei derribou os altares que fizera Manassés, nos dois átrios da casa do Senhor; e, esmigalhados, os tirou dali, e lançou o pó deles no ribeiro de Cedron. 13O rei profanou, também, os altos que estavam defronte de Jerusalém, à mão direita do monte de Mashith, os quais edificara Salomão, rei de Israel, a Astaroth, a abominação dos sidónios, e a Camos, a abominação dos moabitas, e a Milcom, a abominação dos filhos de Amon. 14Semelhantemente, quebrou as estátuas, e cortou os bosques, e encheu o seu lugar com ossos de homens. 15E também o altar que estava em Betel, e o alto que fez Jeroboão, filho de Nebat, que tinha feito pecar a Israel; juntamente com aquele altar, também, o alto derribou; queimando o alto, em pó o desfez, e queimou o ídolo do bosque. 16E, virando-se Josias, viu as sepulturas que estavam ali no monte, e enviou, e tomou os ossos das sepulturas, e os queimou sobre aquele altar, e assim o profanou, conforme a palavra do Senhor, que apregoara o homem de Deus, quando apregoou estas palavras. 17Então disse: Que é este monumento que vejo? E os homens da cidade lhe disseram: É a sepultura do homem de Deus que veio de Judá e apregoou estas coisas que fizeste contra este altar de Betel. 18E disse: Deixai-o estar; ninguém mexa nos seus ossos. Assim deixaram estar os seus ossos com os ossos do profeta que viera de Samaria. 19De mais disto, também, Josias tirou todas as casas dos altos que havia nas cidades de Samaria, e que os reis de Israel tinham feito para provocarem o Senhor à ira; e lhes fez conforme todos os actos que tinha praticado em Betel. 20E sacrificou todos os sacerdotes dos altos, que havia ali, sobre os altares, e queimou ossos de homens sobre eles: depois voltou a Jerusalém. 21E o rei deu ordem a todo o povo, dizendo: Celebrai a páscoa ao Senhor, vosso Deus, como está escrito no livro do concerto. 22Porque nunca se celebrou tal páscoa, como esta, desde os dias dos juízes que julgaram a Israel, nem em todos os dias dos reis de Israel, nem tão-pouco dos reis de Judá. 23Porém, no ano décimo oitavo do rei Josias, esta páscoa se celebrou ao Senhor, em Jerusalém. 24E também os adivinhos, e os feiticeiros, e os terafins, e os ídolos, e todas as abominações que se viam na terra de Judá e em Jerusalém, os extirpou Josias, para confirmar as palavras da lei, que estavam escritas no livro que o sacerdote Hilquias achara na casa do Senhor. 25E antes dele, não houve rei semelhante, que se convertesse ao Senhor, com todo o seu coração, e com toda a sua alma, e com todas as suas forças, conforme toda a lei de Moisés: e depois dele, nunca se levantou outro tal. 26Todavia, o Senhor se não demoveu do ardor da sua grande ira, ira com que ardia contra Judá, por todas as provocações com que Manassés o tinha provocado. 27E disse o Senhor: Também a Judá hei-de tirar de diante da minha face, como tirei a Israel, e rejeitarei esta cidade de Jerusalém que elegi, como também a casa de que disse: Estará ali o meu nome. 28Ora o mais dos sucessos de Josias, e tudo quanto fez, porventura não está escrito no livro das crónicas dos reis de Judá? 29Nos seus dias, subiu Faraó Neco, rei do Egipto, contra o rei da Assíria, ao rio Eufrates: e o rei Josias lhe foi ao encontro: e, vendo-o ele, o matou em Megido. 30E seus servos o levaram morto, de Megido, e o trouxeram a Jerusalém, e o sepultaram na sua sepultura: e o povo da terra tomou a Joacaz, filho de Josias, e o ungiram, e o fizeram rei, em lugar de seu pai. 31Tinha Joacaz vinte e três anos de idade quando começou a reinar, e três meses reinou em Jerusalém: e era o nome da sua mãe Hamutal, filha de Jeremias, de Libna. 32E fez o que parecia mal aos olhos do Senhor, conforme tudo o que fizeram seus pais. 33Porém, Faraó Neco o mandou prender em Ribla, em terra de Amath, para que não reinasse em Jerusalém: e à terra impôs a pena de cem talentos de prata e um talento de ouro. 34Também, Faraó Neco estabeleceu rei a Eliaquim, filho de Josias, em lugar de seu pai Josias, e lhe mudou o nome em Joaquim: porém a Joacaz tomou consigo, e veio ao Egipto e morreu ali. 35E Joaquim deu aquela prata e aquele ouro a Faraó; porém, fintou a terra, para dar esse dinheiro, conforme o mandado de Faraó: a cada um, segundo a sua avaliação, exigiu a prata e o ouro do povo da terra, para o dar a Faraó Neco. 36Tinha Joaquim vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar, e reinou onze anos em Jerusalém: e era o nome da sua mãe Zebuda, filha de Pedaia, de Ruma. 37E fez o que parecia mal aos olhos do Senhor, conforme tudo quanto fizeram seus pais.

will be added

X\