Cantares 5

1Eu entrei no meu jardim, ó minha amiga, minha noiva. Já colhi a minha mirra e ervas perfumadas; já provei o mel do meu favo; já bebi o meu vinho e o meu leite. Companheiros: comam, bebam e embriaguem-se de amor! 2Enquanto eu dormia, o meu coração estava acordado; ouvi o meu amado bater à porta: 3Já me despi! Como podia voltar a vestir-me? Já lavei os pés! Como poderia voltar a sujá-los! 4O meu amado meteu a mão pela fresta da porta e as minhas entranhas estremeceram. 5Levantei-me para abrir a porta ao meu amado. As minhas mãos e os meus dedos estavam cobertos de mirra, que escorria pela fechadura. 6Abri a porta ao meu amado, mas, ele já se tinha ido embora, já lá não estava. Eu tinha estremecido, quando ele falou. Procurei-o, mas não o encontrei; chamei por ele, mas não me respondeu. 7Encontrei os guardas, que faziam a ronda na cidade, e eles bateram-me e feriram-me; os guardas das muralhas tiraram-me o meu manto. 8Eu vos peço, mulheres de Jerusalém! Se encontrarem o meu amado, digam-lhe que morro de amor. 9Que tem o teu amado mais que os outros, formosa entre as formosas? Que tem de especial o teu amado, para nos fazeres tal pedido? 10O meu amado distingue-se entre dez mil pelo seu aspecto forte e bronzeado. 11A sua cabeça é ouro puro. Os seus cabelos ondulados são negros como um corvo. 12Os seus olhos são duas pombas junto das águas correntes, pombas lavadas em leite junto das águas correntes. 13As suas faces são um jardim perfumado onde crescem plantas aromáticas. Os seus lábios são açucenas; deles goteja bálsamo de mirra. 14As suas mãos são argolas de ouro engastadas de rubis; o seu corpo é de marfim polido coberto de safiras. 15As suas pernas são colunas de mármore assentes em bases de ouro puro; o seu aspecto é distinto, elegante como os cedros do Líbano. 16A sua boca é só doçura; todo ele é encanto. Assim é o meu amado, o meu amigo, mulheres de Jerusalém.

will be added

X\