Salmos 7

1Lamentação, que David entoou ao Senhor sobre o benjaminita Cuche. 2SENHOR, meu Deus, em ti confio; salva-me e livra-me de todos os que me perseguem! 3Doutro modo, eles destroçam-me como um leão, despedaçam-me, sem que ninguém me valha. 4SENHOR, meu Deus, se eu fiz algum mal, se as minhas mãos cometeram algum crime, 5se paguei ao meu amigo o bem com o mal, se oprimi sem razão o meu inimigo, 6então, que o meu inimigo me persiga e me alcance, me atire por terra e me desfaça em pó. 7Ergue-te, na tua ira, SENHOR, e faz frente à fúria dos meus inimigos. Desperta, meu Deus, e pronuncia a sentença. 8Que a assembleia das nações se junte à tua volta. Tu as dominas do alto do teu trono. 9Que o SENHOR julgue as nações. Julga-me, SENHOR, segundo a minha justiça e segundo a minha inocência, ó Altíssimo. 10Põe fim à malícia dos maus e fortalece os justos, tu que examinas os pensamentos e sentimentos, tu que és justo, ó Deus. 11O Deus altíssimo é o meu protector, ele que salva os de coração sincero. 12Deus é um juiz justo, um Deus que condena sempre a maldade. 13Se o homem não se volta para Deus, ele afiará a sua espada; já tem o seu arco curvado e preparado 14e para ele aponta as setas inflamadas. Ele tem prontas as suas armas mortais. 15O homem mau concebe a iniquidade, gera a maldade e dá à luz a mentira. 16Cavou um buraco bem profundo mas caiu no fosso que preparou. 17A sua maldade e violência recairão sobre a sua própria cabeça. 18Louvarei o SENHOR, porque ele é justo: cantarei louvores ao SENHOR, o Altíssimo.

will be added

X\