Salmos 59

1Ao director do coro. Como «Não destruas». Poema da colecção de David. Recordando a ocasião em que Saul mandou cercar a sua casa para o matar. 2Meu Deus, livra-me dos meus inimigos; protege-me dos que avançam contra mim. 3Livra-me dos malfeitores e salva-me dos homens sanguinários. 4Ó SENHOR, repara como armam emboscadas contra a minha vida; conspiram contra mim os poderosos, sem que eu tenha cometido nenhuma transgressão. 5Sem eu ter feito mal, agitam-se e preparam-se. Repara, SENHOR! Desperta e vem em meu auxílio! 6Tu, SENHOR, Deus todo-poderoso, Deus de Israel, desperta e castiga toda esta gente; não tenhas compaixão desses traidores. 7Regressam pela tarde e percorrem a cidade, ladrando como cães. 8As suas palavras ferem como espadas e dizem, a gritar, em tom feroz: «Quem é que nos ouve?» 9Mas tu, SENHOR, vais rir-te deles; farás troça de toda esta gente. 10Em ti estarei protegido, meu Deus, pois tu és a minha fortaleza e protecção. 11Deus, que me ama, virá ao meu encontro e me fará ver a derrota dos meus inimigos. 12Ó Deus, mata-os, para que o meu povo não se esqueça; desbarata-os e humilha-os com o teu poder. Senhor, tu és o nosso protector! 13Eles pecam em tudo o que dizem; que sejam vítimas do seu próprio orgulho e das suas maldições e mentiras! 14Extermina-os, consome-os na tua ira, de modo que deixem de existir e saibam que Deus reina em Israel e que o seu reino abrange toda a terra! 15Regressam pela tarde e percorrem a cidade, ladrando como cães. 16Vagueiam à procura de comida e, se não se fartam, rondam durante a noite. 17Eu, porém, cantarei o teu poder; pela manhã, anunciarei alegremente o teu amor, porque tu foste a minha protecção, o meu refúgio no dia da angústia. 18A ti, meu Deus, cantarei hinos, porque tu és a minha fortaleza e protecção; tu és o Deus que me ama!

will be added

X\