Salmos 49

1Ao director do coro. Salmo da colecção dos descendentes de Corá. 2Oiçam bem isto, povos da terra; escutem, habitantes do mundo, 3sejam ricos ou pobres, poderosos ou humildes. 4Vou falar-lhes com sabedoria e expressar-lhes os meus pensamentos mais profundos; 5prestarei atenção ao ensino dos sábios e explicarei o seu sentido profundo ao som da lira. 6Por que hei-de eu temer os dias maus, quando me cercar a maldade dos meus inimigos? 7Eles confiam nas suas riquezas e gabam-se de terem muitos bens. 8Infelizmente, ninguém pode resgatar-se a si próprio nem pagar a Deus o devido preço. 9O resgate de uma vida é muito caro; todo o dinheiro seria pouco; 10não chegaria para o livrar da morte e para que vivesse eternamente. 11Repara, que até os sábios morrem, como morrem os loucos e os estúpidos, deixando aos outros os seus bens. 12O sepulcro será o seu lugar eterno, a sua habitação para sempre, mesmo os que deram o seu nome a terras! 13O homem dependente da riqueza não durará; como todos os animais, também ele tem que morrer. 14Este é o caminho daqueles que só em si confiam; o destino dos que se deleitam nas suas palavras. 15Estão condenados a morrer como ovelhas e a morte será o seu pastor; cairão nas suas goelas como animais; a sua força será consumida e devorada pelo sepulcro. 16Mas Deus há-de resgatar a minha vida, e arrancar-me ao poder da morte. 17Não te preocupes se alguém enriquece, se aumenta o luxo da sua casa. 18Quando ele morrer nada levará consigo; a sua fortuna não o acompanhará, 19mesmo que nada lhe tivesse faltado em vida. Ainda que as pessoas te louvem por seres rico, 20juntar-te-ás na morte aos antepassados, que não voltarão mais a ver a luz. 21A grandeza de um homem não o salva da morte; como todos os animais também ele tem que morrer.

will be added

X\