Salmos 32

1Poema da colecção de David. Feliz aquele a quem foram perdoadas as culpas, a quem foram desculpados os pecados. 2Feliz o homem em cuja consciência não há maldade e em quem o SENHOR não encontra iniquidade. 3Enquanto eu escondia as minhas faltas, chorava todo o dia e o meu corpo definhava. 4Pois dia e noite me castigavas com mão pesada! Fui consumido pelo calor do Verão. 5Confessei-te os meus pecados e não escondi as minhas culpas, dizendo: «Eu te confesso as minhas iniquidades, ó SENHOR, meu Deus.» E tu perdoaste a culpa do meu pecado. 6Por isso, nos momentos de angústia, todos os fiéis te invocarão; e, mesmo que transbordem águas caudalosas, elas não chegarão junto deles. 7Tu és o meu refúgio: tu me salvarás da angústia. És a minha protecção: tu me livrarás e guardarás. 8«Vou ensinar-te e mostrar-te o caminho que deves seguir; guiar-te-ei sem te perder de vista. 9Não sejas como o cavalo ou como a mula, que não têm entendimento e precisam de cabresto e freio, para os dominares e te poderes aproximar.» 10Muitas coisas fazem sofrer os maus, mas o amor do SENHOR rodeia os que nele confiam. 11Alegrem-se os justos e regozijem-se no SENHOR, cantem com alegria, todos os que são rectos de coração!

will be added

X\