Provérbios 24

1Não tenhas inveja dos homens maus, nem desejes a sua companhia, 2porque eles só pensam na violência e não falam senão em fazer mal. 3É preciso sabedoria para construir uma casa e inteligência para a tornar segura. 4Com experiência, enchem-se os quartos com objectos valiosos e de bom gosto. 5A sabedoria do homem faz a sua força e quem tem experiência aumenta o seu poder; 6deves fazer a guerra com bons planos, pois a vitória depende dos muitos conselheiros. 7A sabedoria é inacessível ao insensato, por isso, não sabe o que dizer na assembleia da cidade. 8Quem só pensa em fazer mal ganha fama de mal-intencionado. 9A insensatez só pensa no crime; e a insolência é abominação para os humanos. 10Se perdes a coragem, diante das dificuldades, é porque a tua força é fraca. 11Se puderes, salva os condenados à morte; ajuda os que são levados para o suplício; 12porque, se disseres que não sabias, Deus que, tudo sabe, te julgará. Ele vigia-te e sabe; ele paga a cada um segundo as suas acções. 13Come mel, meu filho, porque faz bem e o seu gosto vai-te ser agradável. 14Adquire a sabedoria e terás vida; se a encontrares terás futuro e a tua esperança não ficará frustrada. 15Não tentes, como um malfeitor, apropriar-te da casa do homem honesto, nem destruas a sua habitação, 16porque, ainda que venha a cair muitas vezes, outras tantas se levantará; porém os malfeitores são apanhados pela desgraça. 17Quando o teu inimigo cair não te regozijes, nem te alegres quando ele tropeçar na desgraça. 18O SENHOR veria isso com desagrado e deixaria de castigar o teu inimigo. 19Não te aflijas por causa dos malfeitores, nem sintas inveja dos homens perversos; 20porque o malfeitor não terá futuro e o perverso apagar-se-á como uma lâmpada. 21Meu filho, respeita o SENHOR e o rei e não te metas com quem gosta de revoltas, 22porque a sua ruína chega num instante e ninguém sabe a medida do castigo que os espera. 23Estas são também sentenças dos sábios: Não é bom fazer discriminação nos julgamentos. 24Se um juiz declarar inocente um malfeitor, os povos amaldiçoá-lo-ão e as nações o desprezarão. 25Porém os que condenarem o culpado serão louvados e recompensados com o reconhecimento de todos. 26O que responde com sinceridade dá provas de grande amizade. 27Arruma primeiro os teus negócios no exterior e trata bem dos teus campos; depois, podes edificar a tua casa. 28Não testemunhes sem razão contra ninguém, para não fazeres falsas afirmações. 29Não digas: «Vou fazer-lhe, a ele, o mesmo que ele me fez a mim; cada qual me paga conforme aquilo que fez.» 30Passei um dia pelo campo do preguiçoso e pela vinha do insensato; 31o que vi foi um terreno cheio de cardos, todo coberto de urtigas e o muro da cerca deitado abaixo. 32Ao ver isto, reflecti e tirei daí a seguinte lição: 33Dormes um pouco, dormitas um bocado, cruzas as mãos para dormires um pouco mais 34e a pobreza e a miséria virão atacar-te, como um vagabundo ou como um salteador armado.

will be added

X\