Provérbios 20

1O vinho torna o homem arrogante; as bebidas fortes incitam-no ao distúrbio; quem a isso se entrega nunca será sábio. 2A ira do rei é como o rugido do leão; aquele que o provoca põe a sua vida em perigo. 3É uma honra para o homem acabar com as discussões; os insensatos envolvem-se nelas. 4O preguiçoso não lavra no tempo da sementeira: no tempo da colheita, procura, mas nada encontra. 5Os pensamentos do homem são como as águas fundas, mas o homem inteligente sabe lá chegar. 6Muitos homens apregoam a sua bondade, mas é difícil encontrar um de confiança! 7O justo leva uma vida honesta; felizes serão os seus filhos, mais tarde! 8Quando o rei toma assento no tribunal, castiga os culpados e expulsa-os da sua presença. 9Quem pode dizer que tem a consciência tranquila e que está limpo de qualquer pecado? 10Utilizar pesos falsos e medidas falsas são duas coisas que o SENHOR detesta. 11Até a criança dá a conhecer, pelos seus actos, se o seu proceder é recto e honesto. 12Olhos para ver e ouvidos para escutar, ambos são obra do SENHOR. 13Se passas o tempo a dormir, ficarás pobre: mantém-te desperto e terás pão de sobra. 14«Não presta, não presta!» — diz o comprador; mas, quando se afasta, gaba-se da boa compra. 15Falar com sabedoria é mais precioso do que ouro e rubis em abundância. 16Se alguém ficar por fiador de um desconhecido, exige-lhe a roupa como penhor pelo estranho. 17O pão roubado é saboroso, mas depois deixa a boca áspera. 18Quando fizeres projectos, aconselha-te bem; quando fizeres guerra, prepara a boa estratégia. 19O mexeriqueiro não sabe guardar segredos; evita as pessoas que falam de mais. 20O que amaldiçoa o pai e a mãe verá extinguir-se a sua luz no meio da escuridão. 21Fortuna que começa demasiado rapidamente não dá prosperidade até ao fim. 22Não te queiras vingar do mal que te fizeram: põe a tua confiança no SENHOR e ele te livrará. 23O SENHOR detesta que se usem pesos falsos; balanças falsificadas são um crime. 24O SENHOR é quem dirige a vida do homem; ninguém conhece o seu próprio destino. 25É perigoso fazer promessas apressadas ao SENHOR e só reflectir depois de fazer o voto. 26O rei sábio separa os maus e faz passar sobre eles a roda. 27A consciência é a lâmpada que o SENHOR dá ao homem para iluminar o mais profundo do seu ser. 28A bondade e a fidelidade protegem o rei; é com a bondade que ele mantém o seu poder. 29O orgulho dos jovens está na sua força; a honra dos velhos está nos seus cabelos brancos. 30A dor do castigo limpa o mal; e as pancadas curam o mais fundo do homem.

will be added

X\