Provérbios 19

1Mais vale ser pobre e honrado do que insensato e caluniador. 2O entusiasmo sem conhecimento não é bom; as muitas pressas fazem tropeçar. 3A estupidez do homem fá-lo desviar-se do bom caminho, mas ele atribui as culpas ao SENHOR. 4Com riqueza multiplicam-se os amigos; ao pobre até o único amigo o abandona. 5A falsa testemunha não ficará sem castigo; o mentiroso não escapará. 6O homem importante tem muitos aduladores: todos são amigos de quem dá presentes. 7Se ao pobre até os seus irmãos o desprezam, com maior razão os seus amigos se afastam dele. Ele bem fala com eles, mas sem resultado. 8Quem aprende a reflectir trabalha para o seu próprio bem; quem se aplica ao entendimento encontra a felicidade. 9A falsa testemunha não ficará sem castigo; o mentiroso não escapará à morte. 10Não convém que o insensato viva entre delícias e muito menos que um escravo domine os grandes senhores. 11O homem inteligente domina a sua ira: sente honra em passar por cima das ofensas. 12A ira do rei é como o rugido do leão; a sua benevolência é como o orvalho sobre a erva. 13O filho insensato faz a ruína de seu pai; as recriminações da esposa são uma goteira que não pára. 14Dos pais recebem-se casas e bens; uma mulher sensata é dádiva do SENHOR. 15A preguiça faz dormir profundamente; a inacção faz passar fome. 16Quem guarda o mandamento guarda a sua vida; quem despreza o seu cumprimento morrerá. 17Quem faz bem ao pobre empresta ao SENHOR: ele lhe retribuirá o benefício. 18Corrige o teu filho porque isso traz esperança, mas não te irrites a ponto de lhe causar a morte. 19O homem que se encoleriza sofrerá o castigo: se o poupares, incita-lo a recomeçar. 20Ouve os conselhos e aceita a correcção; com o tempo acabarás por te tornar sábio. 21O homem elabora muitos planos, mas é a decisão do SENHOR que prevalecerá. 22O que se exige do homem é lealdade; mais vale ser pobre do que mentiroso. 23Respeitar o SENHOR conduz à vida, uma vida de abundância, ao abrigo do mal. 24O preguiçoso mete a mão no prato, mas nem sequer é capaz de a levar à boca. 25Castiga o arrogante e o insensato aproveitará a lição; repreende o homem sensato e ele compreenderá. 26O que maltrata o seu pai e expulsa a sua mãe é um filho indigno e infame. 27Meu filho, se deixares de escutar as advertências, também te afastarás das lições de sabedoria. 28A falsa testemunha troça da justiça; e a boca dos ímpios enche-se de iniquidade. 29Há castigos preparados para os insolentes e açoites para as costas dos insensatos.

will be added

X\