Provérbios 16

1O homem faz projectos, mas o SENHOR tem a última palavra. 2Ao homem parece-lhe bom tudo o que faz, mas o SENHOR é quem julga as intenções. 3Confia os teus assuntos ao SENHOR e realizar-se-ão os teus projectos. 4O SENHOR criou tudo com um propósito; o homem mau está destinado ao castigo. 5O SENHOR detesta os orgulhosos; tarde ou cedo, eles terão o seu castigo. 6Com amor e verdade se perdoa o pecado; o mal evita-se respeitando o SENHOR. 7Quando o SENHOR aprova a conduta de alguém, até reconcilia com ele os inimigos. 8Mais vale pouco, mas ganho honestamente, do que grandes rendimentos com injustiça. 9O homem faz os seus planos, mas é o SENHOR quem dirige a realização. 10O rei fala com toda a autoridade; não se engana quando pronuncia uma sentença. 11O SENHOR exige as balanças certas e decide os pesos que se devem utilizar. 12É intolerável que os reis pratiquem más acções; só a prática da justiça dá firmeza ao trono. 13O rei deseja que se lhe fale abertamente e gosta de quem lhe diz a verdade. 14A ira do rei é perigo de morte, mas o homem sensato pode esconjurá-lo. 15Na serenidade do rosto do rei está a vida; a sua benevolência é como chuva refrescante. 16Mais vale adquirir sabedoria do que ouro; mais vale ter entendimento do que prata. 17O caminho dos honestos afasta-se do mal; quem resguarda a sua conduta, guarda a sua alma. 18O orgulho conduz ao fracasso; a arrogância conduz à queda. 19Mais vale viver modestamente com os pobres, do que repartir tesouros com os soberbos. 20Quem escuta os bons ensinamentos encontra a felicidade. Ditoso aquele que confia no SENHOR! 21Chama-se inteligente ao que pensa sabiamente; quanto mais uma palavra for amável, mais convence. 22Possuir bom senso é ter uma fonte de vida; os insensatos têm o castigo na sua própria loucura. 23As pessoas sensatas reflectem antes de falar e assim utilizam palavras mais convincentes. 24As palavras amáveis são como um favo de mel: agradáveis ao gosto e reconfortantes para o corpo. 25Há caminhos que ao homem parecem rectos, mas que afinal conduzem à morte. 26A fome estimula a actividade do trabalhador, pois ele quer saciar o seu apetite. 27O malfeitor é um forno de desgraça: as suas palavras são fogo abrasador. 28O homem rebelde provoca contendas; o caluniador divide amigos íntimos. 29O homem violento engana o seu semelhante e arrasta-o para o mau caminho. 30Pisca o olho quem pensa fazer mal; morde os lábios quem já o fez. 31Os cabelos brancos são uma coroa de glória, quando embranquecem no caminho da honradez. 32Vale mais ser paciente do que ser valente; mais vale saber-se dominar a si mesmo do que conquistar uma cidade. 33O homem lança os dados no saco, mas é o SENHOR quem dá a decisão.

will be added

X\