Números 15

1O SENHOR disse a Moisés 2que fosse comunicar aos israelitas as seguintes ordens: «Quando entrarem no país que eu vou dar-vos, para nele habitarem, 3devem apresentar-me uma oferta, para ser queimada em minha honra, quer seja um holocausto ou um sacrifício de comunhão, em cumprimento duma promessa, ou como oferta voluntária ou por ocasião duma festa. Quando oferecerem uma cabeça de gado, miúdo ou graúdo, em sacrifício agradável ao SENHOR, 4devem apresentar também juntamente com o sacrifício uma oferta de cereais, consistindo em dois quilos da melhor farinha, amassada com um litro de azeite, 5e um litro de vinho por cada cordeiro oferecido em holocausto ou em sacrifício. 6Se se tratar do sacrifício dum carneiro, a oferta de cereais é de quatro quilos de farinha, amassada com litro e meio de azeite 7e ainda litro e meio de vinho como oferta agradável ao SENHOR. 8Se se tratar de oferecer um novilho em holocausto ou como sacrifício em honra do SENHOR, para cumprimento duma promessa ou como sacrifício de comunhão, 9devem acrescentar seis quilos de farinha amassada com dois litros de azeite 10e dois litros de vinho, como oferta para ser queimada e que será do agrado do SENHOR. 11Assim procederão igualmente quando tiverem que oferecer um touro, um carneiro, uma ovelha ou uma cabra. 12Conforme o número de animais que tiverem de oferecer, devem manter estas mesmas proporções, quanto às ofertas de cereais e de líquidos. 13Todos os habitantes devem cumprir isto, quando quiserem oferecer um sacrifício agradável ao SENHOR. 14Os estrangeiros que vivem temporariamente convosco e os que vivem convosco há várias gerações, quando quiserem apresentar uma oferta que seja do agrado do SENHOR, devem fazer exactamente da mesma maneira. 15Uma única lei será válida, para toda a assembleia, tanto para vós como para o estrangeiro, uma lei eterna para todos os vossos descendentes; vocês e o estrangeiro serão iguais diante do SENHOR. 16A lei e os deveres são iguais para vocês e para o estrangeiro que vive convosco.» 17O SENHOR disse a Moisés 18que comunicasse aos israelitas mais as seguintes ordens: «Quando entrarem na terra à qual eu vos vou conduzir 19e puderem finalmente comer do pão dessa terra, devem oferecer uma parte deles como tributo em honra do SENHOR. 20Da primeira massa, amassada de fresco, devem oferecer uma torta em tributo ao SENHOR, como a oferta de grão que me fazem a seguir à colheita. 21E esta obrigação de dar ao SENHOR as primícias da fornada é válida também para os vossos descendentes.» 22«Pode acontecer que alguma vez, deixem de cumprir involuntariamente algum destes mandamentos, que comuniquei a Moisés, 23ou qualquer outra ordem que vos dei por meio de Moisés, desde o dia em que os receberem e para sempre. 24Se for a comunidade inteira que cometeu essa falta involuntária, devem oferecer em holocausto, como oferta agradável ao SENHOR, um touro com a respectiva oferta de cereais e vinho, como está mandado, e um bode para um sacrifício pelo pecado. 25O sacerdote realizará por toda a comunidade dos israelitas o ritual do perdão e ficará perdoada, porque se tratou duma falta involuntária e já apresentaram a sua oferta, para ser queimada em minha honra, e o sacrifício pelo pecado. 26E ficarão perdoados tanto a comunidade dos israelitas como os estrangeiros que vivem com eles, porque a falta involuntária diz respeito a toda a população. 27Se a falta involuntária foi cometida por uma única pessoa, deve apresentar uma cabra de um ano como sacrifício pelo pecado. 28O sacerdote faz por ele o ritual do perdão, diante do SENHOR, e ficará perdoado. 29Quer sejam habitantes do país, quer sejam israelitas ou estrangeiros que vivem com eles, a mesma lei é válida em caso de faltas involuntárias. 30Mas se um habitante ou estrangeiro desobedecer voluntariamente a um destes mandamentos, ofendendo o SENHOR, será expulso deste povo, 31por ter desprezado as minhas ordens e os meus mandamentos. Assim sofrerá as consequências da sua falta.» 32Quando os israelitas estavam no deserto, encontraram, um dia, um homem que andava a apanhar lenha, no dia de sábado. 33Foram logo apresentá-lo a Moisés e Aarão e a toda a comunidade dos israelitas 34e guardaram-no preso até se decidir o que havia de ser feito dele. 35O SENHOR disse a Moisés: «Esse homem deve ser condenado à morte. Toda a comunidade o deve apedrejar até à morte, fora do acampamento.» 36Os israelitas levaram-no para fora do acampamento e apedrejaram-no, tal como o SENHOR tinha ordenado a Moisés. 37O SENHOR disse a Moisés 38que comunicasse aos israelitas as seguintes ordens: «Tanto vocês como os vossos descendentes devem usar franjas cosidas com linha de cor violeta nas vossas roupas. 39Ao olharem para essas franjas hão-de lembrar-se de cumprir todos os meus mandamentos e não se deixarão arrastar pelos vossos próprios pensamentos e desejos, pois são eles que vos arrastam para a infidelidade. 40Assim recordarão e cumprirão todos os meus mandamentos, para viverem consagrados ao vosso Deus. 41Sou eu o SENHOR, vosso Deus, quem vos tirou do Egipto, para ser realmente o vosso Deus. Sim, sou eu o SENHOR, vosso Deus.»

will be added

X\