Marcos 10

1Jesus saiu dali e foi para a região da Judeia, para a outra margem do rio Jordão. Juntou-se-lhe outra vez uma grande multidão que ele ensinava como de costume. 2Alguns fariseus aproximaram-se e perguntaram-lhe, para o experimentar, se é lícito ao homem divorciar-se da sua mulher. 3Jesus replicou: «O que é que Moisés deixou escrito?» 4Eles responderam: «Moisés autorizou o homem a passar uma declaração de divórcio e a mandar a mulher embora.» 5Então Jesus explicou: «Moisés escreveu isso por saber que o vosso coração é duro. 6Mas desde o princípio do mundo, Deus criou os dois; o homem e a mulher. 7Por isso, o homem deixará o pai e a mãe para se unir à sua mulher, 8e os dois serão como uma só pessoa, de modo que não são dois mas um só. 9Portanto, ninguém separe o que Deus uniu.» 10Ao chegarem a casa, os discípulos voltaram a fazer perguntas a Jesus sobre este assunto. 11Ele esclareceu-os: «Todo o homem que se divorciar da sua mulher e casar com outra comete adultério contra a primeira. 12E da mesma forma, se uma mulher se divorciar do marido e casar com outro homem também comete adultério.» 13Algumas pessoas apresentavam crianças a Jesus para as abençoar, mas os discípulos repreendiam essas pessoas. 14Reparando nisso, Jesus indignou-se e disse aos discípulos: «Deixem as crianças vir ter comigo! Não as estorvem, pois o reino de Deus é dos que são como elas. 15Lembrem-se disto: quem não for como uma criança, para aceitar o reino de Deus, não entrará nele.» 16Depois tomou as crianças nos braços e abençoou-as pondo as mãos sobre elas. 17Quando Jesus saiu dali e se pôs a caminho, correu para ele um certo homem que se ajoelhou e perguntou: «Bom Mestre, que hei-de fazer para herdar a vida eterna?» 18Jesus respondeu-lhe: «Por que me chamas bom? Só Deus é bom e mais ninguém. 19Com certeza que sabes os mandamentos: Não mates ninguém, não cometas adultério, não roubes, não levantes falso testemunho, não enganes os outros, respeita o teu pai e a tua mãe.» 20E o homem disse: «Mestre, desde pequeno que cumpro todos esses mandamentos.» 21Jesus olhou para ele com amizade e afirmou-lhe: «Ainda te falta uma coisa. Vai, vende o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu. Depois segue-me.» 22Ele ficou triste com aquelas palavras e foi-se embora desgostoso, pois tinha muitos bens. 23Jesus voltou-se para os discípulos e disse-lhes: «É muito difícil os ricos entrarem no reino de Deus!» 24Os discípulos ficaram perturbados com aquelas palavras. Mas Jesus acrescentou: «Meus filhos, como é difícil entrar no reino de Deus! 25É mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha do que um rico entrar no reino de Deus.» 26Os discípulos estavam cada vez mais admirados com o que ouviam e perguntavam uns aos outros: «Nesse caso, quem é que se pode salvar?» 27Jesus olhou para eles e afirmou: «O que é impossível aos homens, a Deus não é; pois para ele tudo é possível.» 28Então Pedro dirigiu-se a Jesus: «Olha que nós deixámos tudo para sermos teus discípulos.» 29Jesus respondeu: «Pois eu garanto-vos que todo aquele que tenha deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou terras por minha causa e por causa do evangelho, 30receberá cem vezes mais, ainda neste mundo, em casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras, e também perseguições. E no outro mundo receberá a vida eterna. 31Muitos dos que agora são os primeiros, serão os últimos e os últimos serão os primeiros.» 32Seguiam pelo caminho em direcção a Jerusalém, indo Jesus à frente dos discípulos. Estavam preocupados e os que o acompanhavam iam cheios de medo. Jesus chamou outra vez os doze discípulos à parte e começou a dizer-lhes tudo o que lhe ia acontecer: 33«Escutem! Vamos para Jerusalém, onde o Filho do Homem será entregue aos chefes dos sacerdotes e aos doutores da lei. Eles vão condená-lo à morte e entregá-lo aos pagãos, 34os quais vão troçar dele, cuspir-lhe, bater-lhe e matá-lo. Mas ao terceiro dia ele há-de ressuscitar.» 35Tiago e João, filhos de Zebedeu, aproximaram-se de Jesus e disseram: «Mestre, queremos fazer-te um pedido.» 36E Jesus perguntou: «O que querem que vos faça.» 37E eles disseram: «Deixa-nos ocupar os dois primeiros lugares quando estiveres no teu reino glorioso.» 38Jesus retorquiu: «Nem sabem o que me estão a pedir. Porventura podem beber o cálice que eu bebo e ser baptizados com o baptismo com que eu sou baptizado?» 39«Podemos, sim!», disseram. Então Jesus acrescentou: «Realmente, ainda hão-de beber o cálice que eu bebo e ser baptizados com o baptismo com que eu sou baptizado, 40mas quanto a ocuparem os dois primeiros lugares não depende de mim. Esses lugares são para quem Deus os preparou.» 41Os outros dez discípulos ouviram a conversa e ficaram indignados com Tiago e João. 42Então Jesus chamou-os a todos para perto de si e explicou: «Como sabem, os que governam os povos têm domínio sobre eles e os poderosos são os que sobre eles exercem autoridade. 43Mas convosco não pode ser assim. Pelo contrário, aquele que quiser ser grande deve servir os outros, 44e aquele que entre vós quiser ser o primeiro será o servo de todos. 45Pois também o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para resgate de muitos.» 46Chegaram a Jericó. E quando Jesus ia a sair da cidade com os discípulos e muito povo, estava um cego, chamado Bartimeu, filho de Timeu, a pedir esmola à beira do caminho. 47Mal o cego ouviu dizer que era Jesus de Nazaré que por ali passava, pôs-se a clamar muito alto: «Jesus, Filho de David, tem piedade de mim!» 48Muitas pessoas repreendiam-no e mandavam-no calar, mas ele continuava ainda mais alto: « Filho de David, tem piedade de mim!» 49Então Jesus parou e mandou-o chamar. Foram chamá-lo e disseram-lhe: «Anima-te e vem daí que ele está a chamar-te.» 50O cego atirou a capa para o lado, levantou-se e caminhou para Jesus 51que lhe perguntou: «Que queres que eu te faça?» Ele respondeu: «Oh Mestre! Queria voltar a ver!» 52Jesus disse-lhe: «Está bem! A tua fé salvou-te.» Naquele mesmo instante Bartimeu ficou a ver e seguia também com Jesus pelo caminho.

will be added

X\