Lucas 2

1Por essa altura, o imperador Augusto decretou que se fizesse o recenseamento de toda a população do Império Romano. 2Foi o primeiro recenseamento quando Quirino era governador da Síria. 3Todos iam inscrever-se, cada um na sua cidade. 4Por isso José partiu de Nazaré, na província da Galileia, e foi para a cidade de David que se chama Belém, na província da Judeia. Como José era descendente de David, 5foi lá inscrever-se levando consigo Maria, sua noiva, que estava grávida. 6Enquanto estavam em Belém, chegou o momento de Maria dar à luz. 7Nasceu-lhe então o menino, que era o seu primeiro filho. Envolveu-o em panos e deitou-o numa manjedoura, por não conseguirem arranjar lugar na casa. 8Naquela região havia pastores que passavam a noite no campo guardando os rebanhos. 9Apareceu-lhes um anjo e a luz gloriosa do Senhor envolveu-os. Ficaram muito assustados, 10mas o anjo disse-lhes: «Não tenham medo! Venho aqui trazer-vos uma boa nova que será motivo de grande alegria para todo o povo. 11Pois nasceu hoje, na cidade de David, o vosso Salvador que é Cristo, o Senhor! 12Poderão reconhecê-lo por este sinal: encontrarão o menino envolvido em panos e deitado numa manjedoura.» 13Nisto, juntaram-se ao anjo muitos outros anjos do céu louvando a Deus e cantando: 14«Glória a Deus no mais alto dos céus e paz na Terra aos homens a quem ele quer bem!» 15Mal os anjos partiram para o Céu, os pastores disseram uns para os outros: «Vamos a Belém para vermos o que o Senhor nos deu a conhecer.» 16Foram a toda a pressa e lá encontraram Maria e José, e o menino, que estava deitado na manjedoura. 17Depois de verem tudo isto, puseram-se a contar a toda a gente o que lhes fora dito a respeito daquele menino. 18Todos os que ouviram o que os pastores diziam ficavam muito admirados. 19Porém Maria guardava todas estas coisas no seu coração e meditava nelas. 20Os pastores foram-se embora, e pelo caminho cantavam louvores a Deus, por tudo o que tinham ouvido e visto, exactamente como lhes fora anunciado. 21Quando o menino tinha oito dias, circuncidaram-no e puseram-lhe então o nome de Jesus, tal como o anjo indicara antes de ele ser concebido. 22Chegado o tempo da cerimónia da sua purificação, conforme a Lei de Moisés, levaram o menino ao Templo de Jerusalém para o apresentarem ao Senhor. 23É que na Lei de Deus está escrito: Se o primeiro filho que nascer for menino, deverá ser consagrado ao Senhor. 24José e Maria ofereceram também um sacrifício, como manda a lei: um par de rolas ou dois pombinhos. 25Ora vivia nessa altura em Jerusalém um homem chamado Simeão. Era justo e muito piedoso e esperava a consolação de Israel. O Espírito Santo estava com ele 26e tinha-lhe assegurado que não havia de morrer sem ver o Messias enviado por Deus. 27Simeão foi ao templo guiado pelo Espírito Santo. E quando os pais do menino Jesus o iam apresentar, para cumprir o que a lei mandava a respeito dele, 28Simeão tomou-o nos braços, deu graças a Deus e disse: 29«Agora, Senhor, já podes deixar partir em paz o teu servo conforme a tua palavra! 30Já vi com os meus olhos a tua salvação 31que preparaste para todos os povos. 32Luz de revelação para os pagãos e glória para Israel, teu povo.» 33Tanto o pai como a mãe de Jesus estavam admirados com o que se dizia dele. 34Simeão abençoou-os e disse a Maria sua mãe: «Este menino é para muitos em Israel motivo de ruína ou salvação. Ele é sinal de divisão entre os homens, 35para revelar os pensamentos escondidos de muitos. Uma grande dor, como golpe de espada, trespassará a tua alma.» 36Vivia também em Jerusalém uma profetisa chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Asser. Já tinha oitenta e quatro anos de idade e tinha-lhe morrido o marido ao fim de sete anos de casada. 37Depois continuou sempre viúva e não saía do templo, onde adorava a Deus, de dia e de noite, com jejuns e orações. 38Ana apareceu naquele momento e começou também a louvar a Deus. E falava do menino a todos os que esperavam que Deus salvasse Jerusalém. 39Depois de terem cumprido tudo o que a Lei de Deus manda fazer, José e Maria voltaram com Jesus para a sua terra, Nazaré da Galileia. 40O menino crescia e tornava-se mais forte e cheio de sabedoria. E a graça de Deus estava com ele. 41Todos os anos os pais de Jesus iam a Jerusalém à festa da Páscoa. 42Quando o menino tinha doze anos, foram lá como de costume. 43Passados os dias da festa, José e Maria voltaram para casa, mas Jesus ficou em Jerusalém sem os pais darem por isso. 44Julgavam que ele vinha com algum grupo pelo caminho. Ao fim de um dia de viagem, começaram a procurá-lo entre os parentes e os amigos, 45mas não o encontraram. Voltaram por isso a Jerusalém à sua procura. 46Ao fim de três dias descobriram-no dentro do templo, sentado entre os doutores. Escutava o que eles diziam e fazia-lhes perguntas. 47Todos os que o ouviam ficavam maravilhados com a sua inteligência e as suas respostas. 48Quando os pais o viram, ficaram muito impressionados e a mãe disse-lhe: «Filho, por que nos fizeste isso? O teu pai e eu temos andado aflitos à tua procura.» 49Jesus respondeu-lhes: «Por que é que me procuravam? Não sabiam que eu tinha de estar na casa de meu Pai?» 50Mas eles não compreenderam o que lhes disse. 51Jesus voltou então com eles para Nazaré, e continuou a ser-lhes obediente. Sua mãe guardava atentamente todas estas coisas no coração. 52Jesus crescia em sabedoria, idade e graça diante de Deus e dos homens.

will be added

X\