Lucas 12

1Entretanto, juntaram-se ali milhares de pessoas, que até se atropelavam umas às outras. Jesus começou por dizer primeiro aos discípulos: «Tenham cuidado com o fermento dos fariseus; isto é, o seu fingimento. 2Não há nada encoberto que não venha a descobrir-se, nem há nada escondido que não venha a saber-se. 3Por isso, tudo o que disserem na escuridão será ouvido à luz do dia, e aquilo que segredarem dentro de casa será apregoado em cima dos telhados.» 4Jesus continuou: «Digo-vos meus amigos: não temam os que matam o corpo e depois não podem fazer mais nada. 5Eu vou dizer-vos a quem devem temer: temam a Deus que, depois de tirar a vida, pode ainda lançar no inferno. A ele é que devem temer.» 6E disse ainda: «Não se vendem cinco pássaros por duas moedas? No entanto, Deus não se esquece de nenhum deles. 7Pois bem, até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Portanto, não temam, porque valem mais do que muitos pássaros.» 8«Digo-vos ainda que a todo aquele que se declarar a meu favor diante dos outros, o Filho do Homem fará o mesmo por ele diante dos anjos de Deus. 9Mas àquele que me negar diante dos outros, também ele o negará diante dos anjos de Deus. 10Deus perdoará àquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem, mas não perdoará ao que blasfemar contra o Espírito Santo. 11Quando vos levarem às casas de oração, ou à presença dos chefes e das autoridades, não se preocupem como terão de se defender ou com aquilo que terão de dizer, 12porque o Espírito Santo vos ensinará, nessa altura, o que deverão dizer.» 13Alguém do meio da multidão pediu a Jesus: «Mestre, diz ao meu irmão que divida a herança comigo.» 14Mas Jesus respondeu: «Amigo, quem me deu o direito de vos julgar ou fazer partilhas?» 15Depois dirigiu-se à multidão: «Tenham cuidado! Não se deixem dominar pela ganância, porque a vida de qualquer pessoa não depende da abundância dos seus bens.» 16A seguir apresentou-lhes esta parábola: «A quinta dum certo rico tinha dado uma grande colheita. 17E o rico pôs-se a pensar assim: “Que hei-de eu fazer? Não tenho onde guardar a minha colheita! 18Já sei: deito abaixo os celeiros e faço outros maiores, onde guardarei o trigo e todos os meus bens. 19Depois poderei dizer para comigo: És feliz! Tens em depósito tantos bens que te vão dar para muitos anos. Não te rales: come, bebe e diverte-te.” 20Mas Deus advertiu-o: “Louco, esta noite vais morrer, e o que tens guardado para quem será?”» 21Jesus concluiu: «Assim acontecerá àqueles que só amontoam riquezas para si, mas que não são ricos aos olhos de Deus.» 22E continuou a falar aos discípulos: «É por isso que eu vos digo: não andem preocupados com o que hão-de comer, nem com a roupa de que precisam para vestir. 23A vida é mais do que a comida e o corpo é mais do que a roupa. 24Reparem nos corvos: nem semeiam, nem colhem, nem têm despensas, nem celeiros, mas Deus dá-lhes de comer. Ora vocês valem muito mais do que as aves. 25Quem é que, por mais que se preocupe, poderá prolongar um pouco o tempo da sua própria vida? 26Portanto, se nem as coisas mais pequenas são capazes de fazer, por que se preocupam com as outras? 27Reparem como crescem os lírios que não fiam nem tecem. Contudo, digo-vos que nem o rei Salomão, que era riquíssimo, se vestiu como qualquer deles. 28Ora se Deus veste assim as plantas, que hoje estão no campo e amanhã são queimadas, quanto mais vos há-de vestir ó gente sem fé? 29Portanto, não estejam preocupados nem inquietos com o que hão-de comer e beber. 30Os pagãos é que se preocupam com tudo isso, mas o vosso Pai sabe muito bem do que precisam. 31Procurem primeiro o reino de Deus que tudo isso vos será dado.» 32Jesus continuou: «Não tenham medo, pequeno rebanho! O vosso Pai achou por bem dar-vos o seu reino. 33Vendam o que têm e dêem o dinheiro aos pobres. Arranjem bolsas que nunca se estraguem e depositem no Céu uma riqueza que não se esgota. Ali não chegam os ladrões, nem a traça. 34Pois onde tiverem a vossa riqueza, aí terão o coração.» 35Jesus acrescentou ainda: «Estejam sempre preparados e de lanternas acesas. 36Façam como aqueles empregados que estão à espera do patrão, que há-de voltar duma festa de casamento, para lhe abrirem a porta quando ele bater. 37Felizes são aqueles que o patrão encontrar acordados quando chegar. Acreditem no que vos digo: o patrão irá convidá-los a sentarem-se à mesa e será ele próprio a servi-los. 38Quer ele chegue à meia-noite quer de madrugada, felizes os que se mantiverem acordados. 39Lembrem-se disto: se o dono da casa soubesse a que horas vinha o ladrão não deixaria arrombar a casa. 40Portanto, estejam também preparados, porque o Filho do Homem virá quando menos o esperam.» 41Pedro perguntou-lhe: «Senhor, esta parábola é só para nós, ou é para toda a gente?» 42Jesus respondeu: «Como poderá mostrar-se fiel e prudente o empregado a quem o patrão deixou a tomar conta dos outros, para lhes dar a comida a horas? 43Feliz será aquele empregado a quem o patrão, quando vier, encontrar a proceder assim. 44Digo-vos que certamente o fará administrador de todos os seus bens. 45Mas que acontecerá se aquele empregado disser para consigo: “O meu patrão ainda se demora” e então começar a maltratar os colegas e se puser a comer e beber até ficar embriagado? 46Quando o patrão chegar, em dia e hora em que ele menos espera, irá aplicar-lhe um grande castigo, condenando-o como infiel. 47Este empregado, que conhecia a vontade do patrão, mas não se preparou nem fez nada de acordo com o que ele queria, será bastante castigado. 48Porém, o empregado que por ignorância fez coisas erradas será menos castigado. A quem muito for dado, muito se exigirá, e a quem muito for confiado, mais ainda se pedirá.» 49Prosseguiu Jesus: «Eu vim lançar fogo à Terra e quem me dera que já estivesse a arder! 50Tenho que passar por uma dura prova e estou angustiado até que isso aconteça! 51Julgam que vim trazer paz ao mundo? De modo nenhum: o que eu vim trazer foi a divisão. 52Pois daqui em diante, se houver cinco pessoas numa família, três estarão contra as outras duas, e as duas contra as três. 53Os pais estarão contra os filhos, e os filhos contra os pais; as mães contra as filhas, e as filhas contra as mães; as sogras contra as noras, e as noras contra as sogras.» 54E disse também à multidão: «Quando vêem uma nuvem levantar-se no Poente dizem logo: “Vem lá chuva.” E assim acontece. 55Quando o vento sopra do Sul, dizem: “Vai haver muito calor.” E assim acontece. 56Hipócritas! Se sabem compreender os sinais da Terra e do Céu, como é que não compreendem os da época em que vivem? 57Como é que não sabem julgar devidamente as coisas?» 58E acrescentou: «Quando tiveres que ir com um adversário à presença das autoridades, procura fazer as pazes com ele pelo caminho, não vá ele levar-te ao juiz e o juiz te entregue ao oficial de justiça para te meter na prisão. 59Digo-te que não sairás dali enquanto não pagares o último cêntimo.»

will be added

X\