Levítico 11

1O SENHOR disse a Moisés e a Aarão 2que comunicassem aos israelitas as seguintes ordens: «De todos os animais que vivem em terra, são estes os que podem comer: 3Todos os que tiverem a unha do pé dividida em dois cascos diferentes e forem ruminantes, desses podem comer. 4Por isso, não devem comer dos seguintes, ainda que sejam ruminantes ou tenham a unha dividida: o camelo, pois rumina mas não tem a unha dividida; devem considerá-lo impuro; 5o coelho, que rumina mas não tem a unha dividida; devem considerá-lo impuro; 6a lebre, que rumina, mas não tem a unha dividida; devem considerá-la impura; 7o porco, que tem a unha dividida em dois cascos, mas não rumina; devem considerá-lo impuro. 8Não devem comer a carne de nenhum destes animais nem devem tocar no seu cadáver. Devem considerá-los impuros. 9Dos animais que vivem na água, podem comer de todos os que têm barbatanas e escamas, quer sejam do mar quer sejam dos rios. 10Mas dos répteis e animais que vivem na água e que não têm escamas e barbatanas não devem comer; são uma coisa imunda. 11Considerem-nos uma coisa imunda; não comam da sua carne e considerem o seu cadáver como uma imundície. 12Portanto, qualquer animal aquático sem escamas nem barbatanas, considerem-no imundo. 13Das aves, devem também considerar imundas e portanto não devem comer das seguintes: a águia, o xofrango, o esmerilhão, 14o falcão e todas as espécies de abutres, 15todas as espécies de corvos, 16a avestruz, a andorinha, a gaivota e todas as espécies de gaviões, 17a coruja, o milhafre e o mocho, 18o íbis, o pelicano e o corvo marinho, 19a cegonha, toda a espécie de garças, o faisão e o morcego. 20Todos os insectos voadores que andam com quatro patas devem considerá-los coisas imundas. 21Só podem comer dos insectos voadores que andam com quatro patas que tiverem as pernas traseiras maiores do que as dianteiras, para com elas poderem saltar. 22Podem comer, portanto, dos seguintes: gafanhoto, locusta, saltão e grilo, em qualquer das suas espécies. 23Mas os outros insectos que andam com quatro patas devem considerá-los imundos.» 24«Quem tocar no cadáver dum dos animais referidos ficará impuro durante todo aquele dia. 25Quem transportar o cadáver dum deles tem de lavar as suas roupas e fica impuro todo o dia. 26Quem tocar em qualquer animal que não tiver dois cascos diferentes nem for ruminante, ainda que tenha a parte superior da unha dividida, ficará impuro. 27Considerem também impuros todos os animais quadrúpedes que caminham sobre a planta dos pés. Quem tocar no cadáver dum deles ficará impuro durante todo aquele dia. 28E quem transportar o cadáver dum deles terá de lavar as suas roupas e ficará impuro durante todo aquele dia. Considerem-nos como coisas impuras. 29Dos bichos que vivem em terra, devem considerar impuros: a toupeira, o rato e o lagarto em todas as suas espécies, 30o ouriço cacheiro, o crocodilo, a salamandra, a lagartixa e o camaleão. 31São esses que devem considerar imundos dentre os répteis. E quem tocar neles, depois de estarem mortos, ficará impuro durante todo aquele dia. 32E tudo aquilo sobre o que eles caírem ao morrer, sejam utensílios de madeira, roupas, peles ou sacos, seja o que for de que as pessoas se sirvam para qualquer tarefa, fica impuro. Devem meter esse objecto em água e considerá-lo impuro durante todo aquele dia. Depois ficará de novo puro. 33Se algum desses animais cair dentro dum recipiente de barro, o recipiente tem que ser quebrado e aquilo que se encontrar dentro ficará impuro. 34Se se derrama água desse recipiente sobre um alimento permitido, este fica impuro; do mesmo modo, se se trata duma bebida permitida, ficará também impura. 35Qualquer objecto sobre o qual cair o cadáver dum desses animais ficará impuro; se for um forno ou um fogão, devem destruí-los: são impuros e devem considerá-los como tais. 36Contudo, se for uma fonte ou uma cisterna, a água ficará pura; mas aquele que tocar no cadáver desses animais ficará impuro. 37Se o cadáver cair sobre sementes destinadas à sementeira, essa semente ficará pura; 38mas se a semente foi molhada com água e um cadáver desses animais caiu sobre ela, devem considerá-la impura. 39Quando morrer um animal dos comestíveis, aquele que tocar no seu cadáver ficará impuro durante todo esse dia. 40Aquele que comer do animal morto tem de lavar as suas roupas e fica impuro durante todo o dia; e quem transportar o seu cadáver tem de lavar as suas roupas e fica impuro durante todo o dia. 41Os répteis que rastejam pelo chão são coisas imundas; não se devem comer, 42tanto os que se arrastam sobre o ventre como os que caminham com quatro patas ou com muitas. Não os devem comer, porque são coisas imundas. 43Não se sujem com uma imundície dessas, para não ficarem impuros, ao contacto com eles. 44Eu sou o SENHOR, vosso Deus. Comportem-se como pessoas santas, porque eu sou santo! E não se sujem com esses animais que se arrastam pelo chão! 45Na verdade, eu sou o SENHOR que vos fez sair do Egipto, para ser o vosso Deus. Sejam, por isso, santos, porque eu sou santo! 46Estas são as normas relativas aos animais, às aves e a todos os seres vivos que vivem na água e a todos os répteis que rastejam pelo chão. 47Elas servem para distinguir o que é impuro do que é puro e os que se podem comer dos que se não podem comer.»

will be added

X\