Lamentações 3

1Eu sou aquele que conheceu a miséria provocada pelo chicote da ira do SENHOR. 2Ele fez-me andar por um caminho de escuridão, sem nenhuma luz. 3A sua mão não me larga um momento, a cada hora do dia. (Bete) 4A minha carne e a minha pele estão chupadas; até os ossos ele me partiu. 5Construiu à minha volta uma barreira feita de amargura e de dor. 6Fez-me habitar na escuridão como aqueles que morreram há muito. (Guimel) 7Ele emparedou-me, sem me deixar sair, e prendeu-me com correntes. 8Ainda que eu peça socorro, em altos gritos, ele recusa ouvir a minha oração. 9Bloqueou a minha passagem com pedras e fez-me seguir por um caminho errado. (Dálete) 10Foi para mim como um urso em emboscada, como um leão escondido na mata. 11Fez-me sair do meu caminho despedaçou-me e deixou-me destroçado. 12Esticou o seu arco e fez de mim alvo das suas flechas. (Hê) 13As flechas da sua aljava trespassaram os meus rins. 14Toda a gente se ri de mim e me põe a ridículo, sem cessar. 15Fez-me comer ervas amargas, deu-me a beber bebidas venenosas. (Vau) 16Atirou comigo ao chão, quebrando-me os dentes nas pedras. 17A minha vida não conhece sossego, já não sei o que é ser feliz. 18Exclamei: «Estou sem futuro! Já nada espero do SENHOR!» (Zaiin) 19A recordação da minha miséria e angústia é como fel e veneno. 20Tudo o que me aconteceu não se apaga da minha memória. 21Por outro lado, pensando bem, acho que devo ter esperança. (Hete) 22A compaixão do SENHOR por nós não se esgotou ainda, o seu amor não chegou ao fim. 23A sua bondade é renovada cada manhã e grande é a sua fidelidade. 24Digo para comigo: «O SENHOR é tudo para mim por isso confiarei nele. (Tete) 25O SENHOR é bom para aqueles que nele confiam, para quem se volta para ele. 26Convém esperar em silêncio pela libertação que virá do SENHOR. 27É útil que um homem leve sobre os ombros as obrigações assumidas na sua juventude; (Jode) 28que se recolha em silêncio, quando o SENHOR o põe à prova; 29que se deite de rosto em terra, na esperança da intervenção do SENHOR! 30Que não fuja com a face, quando lhe batem, e suporte as ofensas com paciência. (Cafe) 31Porque o Senhor não é daqueles que rejeitam alguém para sempre. 32Mesmo se faz sofrer, não deixa de amar porque é grande a sua bondade. 33Não é por gosto que ele humilha e faz sofrer um ser humano. (Lâmede) 34Quando são espezinhados os prisioneiros duma terra; 35e quando se violam os direitos dum homem, desafiando o Deus altíssimo; 36quando a justiça é mal aplicada, certamente que o SENHOR não aprova. (Mem) 37Quem é que controla os acontecimentos? Não é só o SENHOR quem decide? 38Não é a palavra do Altíssimo que decide o bem-estar ou a desgraça? 39Então de que se pode queixar o homem, se ainda está vivo, apesar dos seus pecados? (Num) 40Examinemos bem o nosso comportamento e voltemos para o SENHOR. 41Oremos de todo o coração, de mãos estendidas para o Deus dos céus. 42Revoltámo-nos e transgredimos as tuas ordens, e tu, SENHOR, não nos perdoaste. (Sâmeque) 43Na tua cólera, tu perseguiste-nos e massacraste-nos sem piedade. 44Encobriste-te por detrás de uma nuvem, de modo que as nossas orações não chegam a ti. 45Fizeste de nós lixo e desperdício, no meio dos outros povos. (Pê) 46Os nossos inimigos abrem a sua boca, para nos provocarem. 47O terror e a armadilha estão diante de nós com a devastação e a ruína. 48Os meus olhos vertem torrentes de lágrimas, por causa do desastre do meu povo. (Aiin) 49Os meus olhos são fontes inesgotáveis que não cessam de chorar, 50até que o SENHOR se incline, lá do alto, e veja! 51Já me doem os olhos de chorar pelo que aconteceu às mulheres da minha cidade. (Tsadê) 52Aqueles que me buscam sem razão perseguiram-me como se fosse um pássaro; 53encerraram-me vivo num poço e taparam-no com uma pedra. 54A água subia acima da minha cabeça e pensei que estava perdido. (Cofe) 55Lá do fundo, chamei por ti, SENHOR, do mais profundo do poço. 56Ouve o meu grito! Não feches os ouvidos ao meu pedido de ajuda! 57Quando te chamei, tu aproximaste-te e disseste-me: “Não temas.” (Reche) 58Senhor, tu defendeste a minha causa e salvaste-me a vida. 59SENHOR, tu viste como me trataram injustamente, sê tu o meu justo juiz. 60Viste como se vingaram de mim, e como maquinaram intrigas contra mim. (Chim) 61SENHOR, tu ouviste os seus insultos e todo o mal que me quiseram fazer. 62Ouviste como os meus inimigos abriram a boca, para murmurar contra mim, sem cessar. 63Olha bem para o que eles fazem pois escarnecem de mim com as suas canções. (Tau) 64SENHOR, trata-os a eles como me trataram a mim. 65Torna-os cegos de entendimento e que isso seja a tua maldição contra eles. 66Persegue-os com a tua cólera, até que desapareçam da terra.»

will be added

X\