Josué 18

1Todo o povo de Israel se reuniu em assembleia em Silo para ali estabelecer a tenda do encontro depois de terem subjugado o país. 2Mas dentre os israelitas, havia ainda sete tribos que não tinham recebido a sua parte. 3Josué disse então ao povo reunido: «Até quando terão preguiça em ocupar a terra que o SENHOR, Deus de vossos pais, vos deu? 4Escolham três homens de cada tribo, que eu os mandarei percorrer toda a região para me trazerem uma descrição das terras, com vista à distribuição que tem de fazer-se. 5Dividirão o território em sete partes, deixando a sul, Judá com os seus territórios e a parte de José também com os seus territórios, a norte. 6Depois de terem feito a divisão do território em sete partes, apresentem-me o plano e eu tirarei as sortes diante do SENHOR, nosso Deus. 7Aos levitas não será sorteada qualquer parte do território, pois a sua herança é serem sacerdotes do SENHOR. Quanto às tribos de Gad e de Rúben e à primeira metade da tribo de Manassés, essas já receberam a sua parte, que lhes deu Moisés, servo do SENHOR, a oriente do Jordão.» 8Quando os homens se puseram a caminho, Josué recomendou-lhes: «Vão por toda a região e façam a descrição pormenorizada de tudo e depois venham ter comigo, para que eu tire as sortes aqui, em Silo, na presença do SENHOR.» 9Eles foram então percorrer o país, dividiram-no com as suas cidades em sete partes, pondo tudo por escrito. Depois voltaram para junto de Josué, no acampamento de Silo. 10Josué repartiu então o território pelos israelitas, segundo as suas famílias, ali em Silo, na presença do SENHOR. 11Feito o sorteio, a tribo de Benjamim ficou com a sua parte entre o território de Judá e o dos descendentes de José. 12A sua fronteira, do lado norte, partia do Jordão, seguia pelo planalto a norte de Jericó, subia pela montanha em direcção a poente e terminava no deserto de Bet-Aven. 13Dali passava à cidade de Luz, isto é Betel, pelo lado sul, e descia a Atarot-Adar, no monte que está a sul de Bet-Horon-de-Baixo. 14A fronteira voltava depois para o lado do Mediterrâneo pela encosta sul do monte que está em frente de Bet-Horon, terminando em Quiriat-Baal, ou seja Quiriat-Iarim, cidade da tribo de Judá. Era esta a fronteira ocidental. 15Do lado sul, a fronteira partia da extremidade de Quiriat-Iarim em direcção à nascente de Neftoa. 16Descia até à extremidade do monte que está em frente do vale do filho de Hinom a norte do vale dos refaítas. Descia depois pelo vale de Hinom, até ao limite medirional dos jebuseus, na direcção de En-Roguel. 17Depois estendia-se para norte até En-Chemes, avançava para Guelilot, que está em frente da subida de Adumim e descia até à pedra de Boan, nome de um filho de Rúben. 18Passava depois pela vertente setentrional em frente de Arabá, descia a Arabá, 19seguia pela encosta de Bet-Hogla, a norte, para terminar na extremidade norte do mar de Sal, na foz do Jordão. Era esta a fronteira sul. 20A fronteira oriental era constituída pelo rio Jordão. Tais eram os limites do território que receberam as famílias da tribo de Benjamim. 21As cidades com que ficaram foram as seguintes: Jericó, Bet-Hogla, Emec-Quecis, 22Bet-Arabá, Semaraim, Betel, 23Avim, Pará, Ofra, 24Cafar-Amonai, Ofni e Gueba. Ao todo, doze cidades com as suas aldeias. 25Além destas, Guibeon, Ramá, Berot, 26Mispá, Cafira, Moça, 27Reguem, Jirpiel, Tarala, 28Sela, Elef, Jebus, que é Jerusalém, Guibeá e Quiriat. No total, catorze cidades com as suas aldeias. Tal foi a parte do território que coube às famílias da tribo de Benjamim.

will be added

X\