João 4

1Jesus soube que os fariseus tinham ouvido dizer que ele fazia e baptizava mais discípulos do que João. 2Na verdade não era Jesus quem baptizava, mas sim os discípulos. 3Então deixou a Judeia e voltou para a Galileia. 4Na viagem, tinha de atravessar a Samaria. 5Chegou então a uma terra da Samaria que se chama Sicar, perto do terreno que o patriarca Jacob tinha dado a seu filho José. 6Era ali o lugar do poço de Jacob. Cansado da caminhada, Jesus sentou-se à beira do poço. Era por volta do meio-dia. 7Nisto, chegou uma mulher samaritana que ia tirar água ao poço e Jesus pediu-lhe de beber. 8Os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida. 9A mulher disse-lhe: «Mas como é que tu, um judeu, te atreves a pedir-me água a mim que sou samaritana?» De facto, os judeus não se davam bem com os samaritanos. 10«Se tu conhecesses o que Deus tem para dar», respondeu-lhe Jesus, «e quem é aquele que te está a pedir água, tu é que lhe pedirias e ele dava-te água viva.» 11Disse-lhe a mulher: «Nem sequer tens um balde e o poço é fundo! Donde é que tiras a água viva? 12O nosso antepassado Jacob deixou-nos este poço. Ele mesmo, os seus filhos e os seus rebanhos vinham aqui beber. Não me digas que és mais importante que Jacob.» 13«Quem bebe desta água», afirmou Jesus, «volta a ter sede, 14mas quem beber da água que eu lhe der, nunca mais há-de ter sede, porque a água que eu lhe der torna-se dentro dessa pessoa numa fonte que lhe dá a vida eterna.» 15A mulher pediu-lhe: «Senhor, dá-me então dessa água para eu nunca mais ter sede, nem precisar de vir buscar água a este poço.» 16Disse-lhe Jesus: «Vai chamar o teu marido e volta cá.» 17«Não tenho marido», disse ela. Jesus continuou: «Tens razão em dizer que não tens marido, 18porque já tiveste cinco e o que tens agora nem é teu marido. Disseste a verdade.» 19A mulher reconheceu então: «Senhor, estou a ver que és profeta! 20Os nossos antepassados samaritanos adoraram a Deus neste monte. Vocês dizem que só em Jerusalém é que se deve adorar a Deus.» 21«Acredita no que te digo, mulher!», declarou Jesus. «Chegou a hora em que não é neste monte nem em Jerusalém que hão-de adorar o Pai. 22Os samaritanos adoram a Deus sem o conhecerem bem; nós os judeus, sabemos o que adoramos porque a salvação vem dos judeus. 23Porém, está a chegar a hora — e é agora mesmo — em que aquele que adora o Pai o há-de adorar no Espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. 24Deus é espírito e os que o adoram devem fazê-lo no Espírito e em verdade.» 25A mulher disse então a Jesus: «Sei que o Messias, isto é, o Cristo, há-de vir. Quando ele vier há-de anunciar-nos todas essas coisas.» 26Respondeu-lhe Jesus: «Tu estás a falar com ele. Sou eu mesmo.» 27Nessa altura, chegaram os discípulos de Jesus e ficaram admirados quando o viram a falar com uma mulher. Mas nenhum se atreveu a perguntar: «Que procuras?» Ou: «Por que estás a falar com ela?» 28A mulher então deixou o cântaro, foi à cidade e disse ao povo: 29«Venham ver um homem que me disse tudo o que eu fiz. Não será este o Messias?» 30Eles saíram da cidade e foram ter com Jesus. 31Entretanto, os discípulos teimavam com Jesus para que comesse qualquer coisa. 32Mas ele respondeu-lhes: «Eu tenho uma comida que não conhecem.» 33Os discípulos começaram a dizer entre si: «Será que alguém lhe trouxe de comer?» 34Jesus declarou: «A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e terminar a sua obra. 35Não dizem que faltam ainda quatro meses para o tempo da ceifa? Pois eu digo-vos: Levantem os olhos e vejam como as searas já estão maduras para a ceifa. 36O ceifeiro recebe o seu salário e recolhe o grão para a vida eterna, de modo que se alegram ao mesmo tempo tanto o que semeia como o que ceifa. 37É bem verdade o que diz o ditado: “Um é o que semeia e outro o que ceifa.” 38Também eu vos enviei a ceifar o que não cultivaram. Outros cansaram-se a trabalhar e vocês recolheram o fruto do seu trabalho.» 39Muitos samaritanos daquela cidade acreditaram em Jesus, devido à palavra de testemunho daquela mulher: «Ele disse-me tudo o que eu fiz.» 40Por isso, quando foram ter com Jesus, estes samaritanos pediram-lhe que ficasse com eles. Ficou lá dois dias 41e muitos outros o aceitaram ao ouvirem-no falar. 42E diziam à mulher: «Agora cremos, não apenas por aquilo que tu nos contaste, mas porque nós mesmos o ouvimos. Temos a certeza que ele é verdadeiramente o Salvador do mundo.» 43Depois daqueles dois dias, Jesus saiu da Samaria para a Galileia. 44Ele mesmo tinha declarado que nenhum profeta é apreciado na sua própria terra; 45mas, ao chegar à Galileia, foi bem recebido pelos galileus, porque tinham visto tudo quanto fizera em Jerusalém, durante a festa, já que eles também tinham estado na festa. 46Em seguida, voltou a Caná da Galileia, onde tinha mudado a água em vinho. Havia lá um alto funcionário real que tinha um filho doente em Cafarnaum. 47Quando ouviu dizer que Jesus tinha chegado à Galileia, vindo da Judeia, foi ter com ele e pediu-lhe muito que fosse a sua casa para lhe curar o filho que estava à morte. 48Disse-lhe Jesus: «Só acreditam quando vêem sinais e prodígios!» 49O funcionário pediu-lhe uma vez mais: «Senhor, vem depressa comigo antes que o meu filho morra.» 50Jesus então tranquilizou-o: «Volta para casa, que o teu filho está salvo!» O homem acreditou na palavra de Jesus e foi para casa. 51Ainda ia a caminho quando os criados foram ao seu encontro para lhe dizerem que o filho estava melhor. 52Perguntou-lhes a que horas o filho tinha melhorado e responderam: «Já não tem febre desde ontem à uma hora da tarde.» 53O pai lembrou-se que tinha sido exactamente a essa hora que Jesus lhe dissera: «O teu filho está salvo.» E tanto ele como toda a sua família creram em Jesus. 54Foi este o segundo sinal que Jesus realizou ao ir da Judeia para a Galileia.

will be added

X\