Joel 4

1Fiquem a saber que, naqueles dias e no momento em que restaurar Judá e Jerusalém, 2eu reunirei todos os povos estrangeiros e farei com que desçam ao vale de Josafat. Então pedirei contas a esses povos por causa do que fizeram aos israelitas, o povo que me pertence: dispersaram-no entre as nações estrangeiras e repartiram entre si o meu país. 3Repartiram o meu povo, à sorte: vendiam rapazes para comprarem prostitutas, vendiam raparigas para comprarem vinho para beber. 4E vós também, cidades de Tiro e Sídon e todos os territórios dos filisteus, que quereis de mim? Querem vingar-se de mim? Querem receber a paga? Se é essa a vossa intenção, pronta e rapidamente farei com que a paga caia sobre vós. 5Roubaram o meu dinheiro e o meu ouro, levaram para os vossos templos os meus objectos preciosos. 6Venderam os habitantes de Judá e de Jerusalém aos gregos, para os afastarem dos seus territórios. 7Mas eu vou fazer com que eles regressem dos lugares onde os venderam e farei com que a paga caia sobre vós. 8Venderei os vossos filhos e as vossas filhas aos habitantes de Judá, e eles os venderão ao povo longínquo dos sabeus. Sou eu, o SENHOR, quem o declara. 9Apregoem isto entre as nações: «Declarem a guerra santa, alistem os soldados, que todos os guerreiros se aproximem e se ponham em ordem de batalha. 10Transformem os vossos arados em espadas, as vossas foices em lanças, e que até o medroso diga: “Sou um herói!” 11Venham depressa, povos das redondezas, reúnam-se no mesmo vale!» E tu, SENHOR, conduz os teus guerreiros contra eles. 12«Que as nações se ponham em marcha e venham ao vale de Josafat. É lá que eu, o SENHOR, me vou sentar, para julgar todos os povos das redondezas. 13Peguem na foice, porque a seara está madura, venham pisar, porque o lagar está cheio, as tinas transbordam porque a maldade deles é grande.» 14Multidões e mais multidões chegam ao vale da Decisão: aproxima-se o dia do castigo do SENHOR nesse vale. 15O Sol e a Lua obscurecem-se, as estrelas perdem o seu brilho. 16O SENHOR rugirá desde Sião, levantará a sua voz em Jerusalém. O céu e a terra hão-de tremer, mas o SENHOR protege o seu povo, pois é um refúgio para os israelitas. 17Então conhecereis que eu sou o SENHOR, vosso Deus, que habito em Sião, minha montanha santa. Jerusalém será de novo um lugar santo e nunca mais os estrangeiros a irão conquistar. 18Naqueles dias, os montes destilarão mosto, as colinas jorrarão leite, a água correrá em todos os regatos de Judá; do templo do SENHOR brotará uma fonte, que aumentará a ribeira das Acácias. 19O Egipto será terra desolada, Edom será um deserto seco e desolado, porque usaram de violência contra Judá matando pessoas inocentes. 20Judá e Jerusalém existirão sempre e serão continuamente habitadas. 21Vingarei a sua morte, os inimigos não ficarão impunes, e o SENHOR habitará em Sião.

will be added

X\