Job 19

1Job replicou então: 2«Até quando me vão atormentar e ferir com as vossas palavras? 3Já por dez vezes me insultaram. Não têm vergonha de me ultrajar assim? 4Se eu tivesse cometido algum erro, isso diria respeito somente a mim. 5Mas já que me vêm acusar e discutir comigo para me envergonhar, 6fiquem sabendo que foi Deus que me desorientou, atirando sobre mim a sua rede. 7Se eu gritar injustiça, não obtenho resposta; se peço socorro, ninguém me vem defender. 8Ele tapou-me o caminho, não consigo passar; e cobre de escuridão o meu caminho. 9Tirou-me a minha coroa de honra, levou-me a coroa que eu trazia na cabeça. 10Deixou-me completamente arruinado e desfeito, tirou-me a esperança, como quem arranca uma planta. 11Voltou-se contra mim enfurecido e tratou-me como um inimigo seu. 12As suas tropas vêm em força, abrem caminho contra mim e fazem cerco à volta da minha casa. 13Deus levou os meus familiares para longe de mim e os meus amigos tratam-me como um estranho. 14Os meus parentes abandonaram-me e os meus conhecidos esqueceram-se de mim. 15Os que moravam e serviam em minha casa consideram-me como um estranho, tornei-me para eles um desconhecido. 16Chamei o meu empregado e ele não respondeu, tive que lhe pedir por favor. 17A minha mulher acha-me repugnante e os meus próprios filhos não gostam de mim. 18Até as crianças me desprezam; levanto-me e dizem mal de mim. 19Os que eram do meu grupo têm horror de mim, aqueles de quem eu gostava voltaram-se contra mim. 20Os meus ossos estão colados à pele e os dentes saem descarnados das gengivas. 21Intercedam por mim, meus amigos, intercedam por mim, porque a mão de Deus foi muito dura para comigo. 22Por que é que me perseguem, como Deus? Não ficam satisfeitos sem me devorar? 23Oxalá as minhas palavras pudessem ser escritas e gravadas numa inscrição ou num livro! 24Quem me dera que fossem gravadas a ferro e chumbo, para ficarem eternamente marcadas na pedra! 25Eu sei que o Deus da vida é o meu libertador e ele tem a última palavra contra a morte. 26E, depois de assim se ter desfeito a minha pele, de novo vivo, poderei ver a Deus. 27Hei-de vê-lo a meu favor, hei-de vê-lo com os meus olhos, sem estranhar. O meu coração anseia por que isso aconteça. 28Podereis dizer: “Como é que o vamos perseguir? Mas a raiz da questão está em mim” 29Mas temam a Deus que, com a espada do seu furor, vos pode castigar pelos vossos crimes. E ficarão a saber que Deus faz justiça.»

will be added

X\