Jeremias 50

1Esta é a mensagem que o SENHOR transmitiu ao profeta Jeremias acerca da cidade da Babilónia e dos seus habitantes: 2«Dai as notícias às nações de modo que todos ouçam! Anunciem-nas; não façam segredo! Babilónia caiu! O deus Bel foi humilhado; Marduc, despedaçado! Os ídolos da Babilónia foram humilhados e as suas horríveis imagens foram quebradas! 3Uma nação veio do norte atacar a Babilónia e fazer dela um deserto. Homens e animais fugiram e ninguém mais lá habita. 4Quando chegar esse dia, os filhos de Israel e de Judá virão chorar, à procura do SENHOR, seu Deus. Palavra do SENHOR! 5Procurarão saber o caminho para Sião e seguirão por ele. Farão comigo uma aliança eterna que nunca mais será revogada. 6O meu povo é como as ovelhas que se perderam do pastor e se dispersaram pelos montes. Vaguearam por toda a parte e já não sabem onde moram. 7Todos os inimigos que os encontram atacam-nos e dizem: “Eles pecaram contra o SENHOR; por isso, podemos afligi-los à vontade; eles deviam ter confiado no SENHOR, como fizeram os seus antepassados.” 8Filhos de Israel e de Judá, fujam da Babilónia! Deixem o país! Sejam os primeiros a sair; como os carneiros, sempre à frente do rebanho! 9Do norte vou mandar nações poderosas para atacarem a Babilónia. Farão guerra ao país e tomá-lo-ão. Caçadores experimentados que são, a sua pontaria nunca erra o alvo. 10A Babilónia será pilhada e quem a pilhar nadará em abundância. Palavra do SENHOR! 11Habitantes da Babilónia, vocês saquearam a minha nação e estão orgulhosos e satisfeitos com isso. Ficaram inchados como uma bezerra gorda e portaram-se como cavalos que relincham. 12Porém a vossa terra natal será humilhada e desgraçada. A Babilónia será pequena entre todas as nações; será como um deserto árido, sem água. 13Por causa da minha ira, ninguém habitará na Babilónia; cairá em ruínas; e quem por lá passar ficará impressionado com tais desgraças. 14Archeiros, preparem-se para atacar a Babilónia, e cerquem-na de todos os lados. Atirem as vossas setas contra ela, porque pecou contra o SENHOR. 15Façam ouvir o grito de guerra à volta dessa cidade! Eis que a Babilónia se entregou. Os seus muros e torres cederam e foram deitados abaixo É a vingança do SENHOR contra os babilónios. Vinguem-se deles e tratem-nos como eles fizeram a outros. 16Não os deixem semear os seus campos, nem fazer as suas colheitas. Todo o estrangeiro que lá habitar terá medo do exército invasor e fugirá para o seu próprio país. 17O povo de Israel tornou-se como ovelhas, perseguidas e espalhadas pelos leões. Primeiro foram devorados pelo rei da Assíria; em seguida o rei Nabucodonosor da Babilónia triturou os seus ossos. 18Por isso, declara o SENHOR todo-poderoso, Deus de Israel: “Vou castigar o rei Nabucodonosor e o seu país, tal como fiz com o rei da Assíria. 19Reconduzirei o povo de Israel ao seu país. Comerão do fruto do monte Carmelo e da região de Basã; alimentar-se-ão sem restrições do fruto dos territórios de Efraim e Guilead. 20Quando vier esse tempo, não se encontrará pecado em Israel, nem maldade em Judá, porque perdoarei a esse povo, a quem salvei a vida. Palavra do SENHOR!”» 21«Assaltem a terra de Merataim e os moradores de Pecod. Matem-nos e destruam-nos. Façam tudo o que eu vos ordenar. Palavra do SENHOR! 22Ouve-se o ruído da batalha por toda a terra; a derrocada é enorme. 23Como é possível? A Babilónia, que esmagou o mundo como um martelo, está agora destruída diante das outras nações! 24Tu fizeste guerra contra mim, ó Babilónia, e foste apanhada na armadilha que te coloquei; sem o saberes, ficaste prisioneira. 25Abri o arsenal das minhas armas e na minha ira as tirei cá para fora, porque eu, o SENHOR todo-poderoso, tenho uma obra a realizar na Babilónia. 26Ataquem-na por todos os lados e abram os seus celeiros! Amontoem os despojos, como se fosse trigo! Destruam o país sem deixar nada! 27Matem as suas tropas, dêem cabo deles! Os habitantes da Babilónia estão condenados! Chegou o momento de serem castigados. 28Ouçam como os que fugiram da Babilónia vêm anunciar a Jerusalém como o SENHOR se vingou dos babilónios, pelo que fizeram ao seu templo. 29Chamem todos os que manejam o arco e as flechas para que cerquem e ataquem a Babilónia, de modo que ninguém escape. Façam-nos pagar tudo o que fizeram e tratem-nos como eles trataram os outros, porque se comportaram com orgulho contra mim, o SENHOR, o santo de Israel. 30Por isso, os seus jovens serão mortos nas ruas da cidade, e os seus soldados serão desbaratados num só dia. Palavra do SENHOR! 31Tu, Babilónia, estás cheia de orgulho. Por isso, eu me volto contra ti! Chegou o dia em que te vou castigar. Palavra do SENHOR, Deus todo-poderoso! 32A tua nação orgulhosa tropeçará e cairá e ninguém virá em teu auxílio. Deitarei fogo às tuas cidades e tudo à sua volta será destruído.» 33Assim diz o SENHOR todo-poderoso: «O povo de Israel e de Judá está oprimido. São guardados em segurança pelos que os capturaram e não deixam ir embora. 34Mas aquele que vem em seu socorro é poderoso! É o SENHOR todo-poderoso. Ele defenderá a sua causa e trará paz à terra, juntamente com o castigo sobre o povo da Babilónia. 35Morte à Babilónia! — declara o SENHOR. Morte aos seus habitantes, aos seus governantes e aos seus sábios. 36Morte aos seus profetas mentirosos! Morte aos seus soldados, que ficaram aterrorizados! 37Destruam os seus cavalos e carros! Morte aos seus mercenários, pois são fracos! Apoderem-se dos seus tesouros e despojos. 38Tragam a seca à sua terra, e sequem-lhes os rios. Pois a Babilónia tem ídolos horríveis, que fizeram perder o juízo aos habitantes. 39Por isso, a Babilónia será assolada por chacais e por aves de mau agouro. E nunca mais será habitada. 40Terá o mesmo fim de Sodoma e Gomorra, que eu destruí junto com as cidades vizinhas. Nunca mais serão habitadas. Palavra do SENHOR! 41Eis que vem aí um povo do norte, de longe, que é uma nação poderosa. São reis poderosos que se preparam para a guerra. 42Pegaram em arcos e espadas; são cruéis e não têm piedade. O seu ruído é semelhante ao mar bravo, quando galopam a cavalo. Estão prontos para fazer guerra contra a Babilónia. 43O rei da Babilónia ouve as notícias e as suas mãos desfalecem. Está angustiado, como se fosse uma mulher que vai dar à luz. 44Eu, o SENHOR, virei como um leão que sai das matas do Jordão e farei com que os babilónios fujam da sua cidade. Escolherei um chefe para governar a nação. Quem se me pode comparar? Quem ousa enfrentar-me? Que governante poderá resistir diante de mim? 45Por isso, prestem atenção aos planos que tenho contra a cidade da Babilónia e contra os seus habitantes. Até os seus filhos serão arrastados para fora e todos ficarão horrorizados. 46Quando a Babilónia cair, haverá tal ruído, que a terra tremerá e os gritos de alarme serão ouvidos pelas outras nações.»

will be added

X\