Jeremias 30

1O SENHOR dirigiu a Jeremias as seguintes ordens: 2«Sou eu, o SENHOR, Deus de Israel, que te falo. Escreve num rolo tudo o que eu te falei, 3porque há-de vir o tempo em que restabelecerei o meu povo, Israel e Judá. Hei-de trazê-los para a terra que dei aos seus antepassados e tomarão posse dela novamente. Palavra do SENHOR!» 4Esta é a mensagem que o SENHOR dirige ao povo de Israel e Judá: 5«Ouvi um grito de terror, um grito de medo e não de paz. 6Procurem investigar para ver se um homem pode dar à luz uma criança. Por que vejo então cada homem com as mãos no estômago, como se fosse uma mulher com dores de parto? Por que estão todos tão pálidos? 7Eis que vem um dia terrível; nenhum outro se lhe pode comparar, tempo de angústia para o povo de Israel! Mas ele sairá da provação são e salvo!» 8Diz o SENHOR todo-poderoso: «Quando esse dia vier, quebrarei o jugo que têm à volta do pescoço e arrancarei as correntes, para que não sejam mais escravos de estrangeiros. 9Hão-de servir-me a mim, o SENHOR seu Deus, e a um descendente de David, que lhes darei como rei. 10Povo meu, não tenhas receio; povo de Israel, não te atemorizes. Palavra do SENHOR! Livrar-te-ei dessa terra distante, livrarei os teus filhos do exílio, voltarás a viver em paz e segurança e ninguém te meterá mais medo. 11Eu estou contigo e irei em teu socorro. Destruirei todas as nações por onde te espalhei, mas não te destruirei a ti. Porém não podia deixar de te castigar, mas fi-lo com equidade. Palavra do SENHOR!» 12O SENHOR diz ao seu povo: «As vossas feridas são incuráveis; os vossos males não têm remédio. 13Não há ninguém que cuide de vós, não há remédio para as vossas feridas, nem há esperança de restabelecimento. 14Todos os teus amantes se esqueceram de ti, já não querem saber de ti. Ataquei-te como se fosse teu inimigo; o vosso castigo foi severo, por causa dos muitos pecados, pois a vossa maldade é grande. 15Por que te queixas das tuas feridas, da tua dor que não tem cura? Se vos castiguei assim, foi por causa dos muitos pecados, porque a vossa maldade é grande. 16Porém agora aqueles que vos devoram vão ser devorados, e todos os vossos inimigos serão levados prisioneiros. Os que vos oprimiam serão oprimidos e os que vos sujeitaram à pilhagem sofrerão a pilhagem também. 17Restabelecer-vos-ei de novo; curarei as vossas feridas, apesar dos vossos inimigos dizerem: “ Sião caiu em desgraça; ninguém quer saber dela.” Palavra do SENHOR!» 18Diz o SENHOR: «Reconduzirei o meu povo à sua terra e terei misericórdia das suas famílias; Jerusalém será reconstruída sobre as ruínas e o seu palácio, convenientemente restaurado. 19Os que lá vivem cantarão louvores; gritarão de alegria. Farei com que cresçam e se tornem um povo numeroso, deixarão de ser desprezados porque os vou encher de honras. 20Restaurarei o antigo poder da nação e firmá-la-ei de novo, na minha presença, e castigarei todos os que a oprimirem. 21Da própria nação será o seu chefe e do meio do povo virá quem o governe. Deixarei que eles se aproximem de mim, pois mais ninguém se atreve a aproximar-se de mim por própria iniciativa. Palavra do SENHOR! 22Vocês serão o meu povo, e eu serei o vosso Deus.» 23A ira do SENHOR é uma tempestade, um vendaval que cai em redemoinho sobre os maus. 24Não passará até cumprir tudo o que o SENHOR decidiu. Um dia os maus entenderão o significado destas palavras.

will be added

X\