Jeremias 15

1Então o SENHOR disse-me: «Mesmo que Moisés e Samuel aqui estivessem a interceder, não teria misericórdia deste povo. Manda-os embora! Que eles saiam da minha vista! 2Se te perguntarem para onde devem ir, repete-lhes o que te disse: Cada um seguirá o caminho que lhe coube em sorte; uns para a morte natural e outros para a morte na guerra; uns para a morte pela fome e outros para o exílio. 3Eu, o SENHOR, decidi que quatro castigos cairão sobre eles: serão mortos na guerra; os seus cadáveres serão arrastados pelos cães; serão devorados pelas aves e os animais selvagens comerão os restos. 4Farei com que sejam um terror para as nações, por tudo o que Manassés, filho de Ezequias, fez em Jerusalém, quando era rei de Judá.» 5Diz o SENHOR: «Quem terá piedade de ti, ó Jerusalém? Quem chorará por ti? Quem se deterá no seu caminho, para saber como vais? 6Tu é que me rejeitaste, e me voltaste as costas. Palavra do SENHOR! Por isso, estendi a minha mão e te destruí, porque me cansei de me preocupar contigo. 7Em todas as cidades do país, vos atirei ao vento, como palha. Destruí o meu povo, matei os seus filhos, porque não deixaram o seu mau comportamento. 8Há mais viúvas na vossa terra do que grãos de areia no mar. Matei os vossos rapazes na sua juventude, e fiz as mães sofrer. Feri-os subitamente com angústia e terror. 9A mãe que tinha sete filhos ficou desgraçada e desmaiou. O seu dia tornou-se em trevas; e ela ficou coberta de vergonha. E deixarei que os vossos inimigos matem os que ainda sobrevivem. Palavra do SENHOR!» 10Como sou infeliz! Por que é que a minha mãe me trouxe ao mundo? Sou um homem contestado e perseguido por toda a gente. Nunca emprestei nem pedi dinheiro e contudo, todos me amaldiçoam. 11Disse o SENHOR: «Certamente te fortalecerei para teu bem e farei que o inimigo em tempo de dificuldade e angústia te dirija súplicas. 12Pode alguém partir o ferro, o ferro do norte ou o bronze?» 13O SENHOR disse-me: «Enviarei o inimigo para pilhar a riqueza e os tesouros do meu povo, a fim de os castigar pelos pecados cometidos em todo o país. 14Farei com que sejam escravos dos vossos inimigos em terra estranha, porque a minha ira é como o fogo, que vos consumirá.» 15Então eu disse: «SENHOR, tu sabes tudo. Lembra-te de mim e socorre-me. Vinga-me dos que me perseguem. Não sejas paciente com eles, se eu tiver que sofrer com isso. Lembra-te de que é por causa de ti que eles me insultam. 16Falaste-me e escutei as tuas palavras. Eu sou teu, ó SENHOR, todo-poderoso; por isso as tuas palavras encheram o meu coração de alegria e felicidade. 17Não passei o meu tempo a divertir-me, em alegres tertúlias. Por tua causa fiquei sozinho. Encheste-me de indignação pelo teu povo. 18Por que é que a minha dor não passa? Por que são as minhas feridas incuráveis? Por que não podem sarar? Tencionas desiludir-me constantemente, qual regato que seca no Estio?» 19O SENHOR replicou: «Se voltares, receber-te-ei, e ficarás ao meu serviço. Se, em vez de tolices, anunciares uma mensagem valiosa, serás novamente meu profeta. O povo voltará a ti, e não precisarás de ir ter com ele. 20Farei com que sejas um muro de bronze, indestrutível, diante deste povo. Lutarão contra ti, mas não te derrotarão. Pois eu estarei contigo para te proteger e guardar. Palavra do SENHOR! 21Hei-de socorrer-te e livrar-te do poder dos homens maus e violentos.»

will be added

X\