Isaías 7

1No tempo em que Acaz, filho de Jotam e neto de Uzias, era rei de Judá, aconteceu que o rei da Síria, chamado Recin e o rei de Israel, chamado Peca, que era filho de Remalias, vieram atacar a cidade de Jerusalém. Mas não a conseguiram conquistar. 2Acaz e a sua corte foram informados de que os arameus tinham acampado em Efraim. O rei e o seu povo, perante a notícia, ficaram com o coração em sobressalto e agitados, como as árvores da floresta pelo vento. 3O SENHOR disse então a Isaías: «Vai ter com o rei Acaz e leva contigo o teu filho Chear-Jachub. Ele encontra-se no extremo do canal da piscina superior, na direcção da calçada do Lavadouro 4E dir-lhe-ás: “Está atento e tem calma. Não tenhas medo nem te acobardes, por causa da cólera de Recin, o arameu, e do filho de Remalias. Não são mais que dois tições fumegantes. 5De facto, a Síria, Peca e as tropas de Efraim resolveram acabar contigo, pois disseram: 6‘Avancemos contra Judá, vamos sitiá-la, obrigá-la a render-se a nós e instalemos como rei o filho de Tabiel.’” 7Mas eis o que diz o SENHOR Deus: “Tal coisa não acontecerá: 8Damasco é a capital da Síria, e Recin é quem manda em Damasco. Daqui a sessenta e cinco anos Efraim deixará de ser um povo. 9Samaria é a capital de Efraim e Peca, o filho de Remalias, só manda em Samaria. Se não acreditarem, não estarão seguros!”» 10O SENHOR mandou Isaías levar outra mensagem a Acaz: 11«Pede ao SENHOR, teu Deus, um sinal, venha ele do fundo do abismo ou do alto do céu.» 12Mas Acaz respondeu: «Não farei tal coisa, não quero provocar o SENHOR.» 13Isaías disse-lhe então: «Ouve-me bem, herdeiro da dinastia de David! Não vos basta cansarem a paciência dos homens, para cansarem também agora a paciência do meu Deus? 14Pois bem, é o próprio Senhor que vos vai dar um sinal: a jovem mulher está grávida e vai dar à luz um filho e pôr-lhe-á o nome de Emanuel. 15Comerá requeijão e mel, até chegar à idade de saber rejeitar o mal e escolher o bem. 16Mas antes que a criança saiba rejeitar o mal e escolher o bem, o território dos dois reis que tu tanto temes será abandonado pelos seus habitantes.» 17«O SENHOR fará vir para ti, para o teu povo e para a tua dinastia dias tais como não houve desde que Efraim se separou de Judá. É a invasão do rei da Assíria. 18Vai chegar o dia em que o SENHOR, com um assobio, fará vir as moscas dos confins do delta do Egipto e as abelhas da terra da Assíria. 19Virão e pousarão todas juntas nos vales escarpados e nas fendas das rochas, em todos os matos e em todos os bebedouros. 20Num destes dias, o Senhor alugará uma navalha do outro lado do rio Eufrates isto é, o rei da Assíria, e rapará a vossa cabeça, a vossa barba e todos os pêlos do vosso corpo. 21Nesses tempos, cada um criará uma vaca e duas ovelhas; 22haverá tão grande abundância de leite que a alimentação será de requeijão. Todos os que ficarem no país hão-de comer requeijão e mel. 23Nesses tempos, uma vinha com mil cepas no valor de mil moedas de prata, produzirá silvas e cardos. 24Só se poderá entrar no país com arcos e flechas, porque estará coberto de silvas e cardos. 25As colinas que antes eram cultivadas à enxada e onde não havia perigo de alastrarem silvas e cardos, apenas servirão para pasto dos bois, para serem pisadas pelos carneiros.»

will be added

X\