Isaías 44

1«Mas agora ouve-me, Jacob, meu servo, Israel, o meu escolhido. 2Eu o SENHOR que te fiz e te formei, e desde o seio materno te auxilio, tenho a dizer-te o seguinte: “Não tenhas medo, meu servo Jacob, meu querido, meu povo escolhido. 3Vou derramar água sobre o que tem sede e fazer correr riachos sobre a terra árida. Vou derramar o meu espírito sobre os teus filhos e a minha bênção sobre os teus descendentes. 4Crescerão como erva junto das fontes, como salgueiros junto de água corrente. 5Um dirá: ‘Eu sou do SENHOR’, um outro reclamará para si o nome de Jacob, outro escreverá na mão: ‘Pertenço ao SENHOR’ e terá orgulho no nome de Israel.”» 6Eis o que declara o SENHOR, rei de Israel, o seu protector, o SENHOR do Universo: «Eu sou o primeiro e o último; fora de mim não há outro deus. 7Quem há semelhante a mim? Que se apresente e fale! Terá de me dizer e explicar quem é que, desde sempre, anunciou o futuro, e pode revelar as coisas que estão para vir? 8Não tenham medo, nem se perturbem: não fui eu que desde há muito o anunciei? Vós sois testemunhas. Haverá outro Deus além de mim? Não conheco outra rocha de refúgio.» 9«Os fabricantes de ídolos nada são; as suas imagens preciosas de nada valem e as suas testemunhas nada vêem e nada sabem e assim vão ficar decepcionados. 10Quem é que fabrica um deus ou faz uma imagem se não é para tirar algum proveito? 11Todos os seus devotos ficarão confundidos, pois os artistas que os fabricam não passam de homens. Que eles se reúnam e compareçam todos: ficarão a tremer e cheios de vergonha. 12O ferreiro trabalha o metal, leva-o à bigorna e vai-o modelando com o martelo, trabalha-o com os braços robustos; passa fome, cansa-se, não bebe e fica esgotado. 13Quanto ao que trabalha com a madeira, toma as suas medidas, faz o desenho, desbasta a madeira com o cinzel, modela-a com a lima; dá-lhe o aspecto duma figura humana e depois coloca-a num templo. 14Põe de reserva um cedro para cortar, escolhe uma azinheira ou um carvalho que deixa crescer entre as árvores da floresta. Ou então planta um pinheiro que há-de crescer com a chuva. 15Para as pessoas, a sua madeira serve para o lume; apanham-na para se aquecerem ou cozerem o pão. Ou então fazem dela um deus e adoram-no, fabricam uma imagem e inclinam-se diante dela. 16Queimam no fogo metade da madeira, assam a carne sobre as brasas, comem-na e ficam satisfeitos; ou, então, aquecem-se e dizem: “Como é bom estar quentinho e ver o fogo a arder!” 17Com a outra metade da madeira fazem um deus, um ídolo que adoram, inclinando-se diante dele e dirigem-lhe esta oração: “Salva-me, pois tu és o meu deus!” 18Esta gente não compreende nem percebe! Têm olhos para ver e não vêem, têm mente mas não entendem. 19Não reflectem, não têm o bom senso, nem a inteligência para pensarem: “Queimei metade no fogo, cozi o meu pão sobre as brasas, assei a carne para comer; e vou fazer do resto um ídolo abominável, e inclinar-me diante dum pedaço de madeira?” 20Esta gente alimenta a cabeça de cinzas, o seu espírito extraviado desencaminha-os. Não conseguem libertar-se, dizendo: “O que eu tenho na minha mão direita não passa de um falso deus.”» 21Lembra-te, Jacob, destas coisas, pois tu, Israel, és meu servo. Formei-te para estares ao meu serviço. Nunca te esquecerei, Israel. 22Dissipei como névoa as tuas revoltas, como nuvem os teus pecados; volta para mim, porque eu te resgatei. 23Alegrem-se os céus, pelo que o SENHOR fez! Gritem de júbilo, profundezas da terra! Montanhas, árvores e florestas rompam em aclamações, porque o SENHOR resgatou Jacob, manifesta a sua glória em Israel. 24Assim diz o SENHOR, teu redentor, que te formou desde o ventre materno: «Eu, o SENHOR, é que criei tudo; sozinho estendi os céus. Quando firmei a terra, quem estava comigo? 25Reduzo a nada os presságios dos magos, faço delirar os adivinhos, obrigo os sábios a recuar; e mostro que o seu saber é estupidez. 26Mas realizo as palavras dos meus servos, faço cumprir os planos dos meus mensageiros! Digo a Jerusalém: “Serás repovoada”, às cidades de Judá: “Sereis reconstruídas.” Pois hei-de levantar as suas ruínas. 27Digo às profundezas do mar: “Transformem-se em terra árida; que as vossas torrentes fiquem secas.” 28Digo a Ciro: “És o pastor que eu escolhi!” Ele cumprirá em tudo a minha vontade: fará com que Jerusalém seja reedificada e o templo reconstruído.»

will be added

X\