Isaías 42

1Eis o meu servo, que eu seguro pela mão, aquele que eu decidi escolher. Coloquei nele o meu espírito, para que leve às nações o que é direito. 2Ele não grita, não levanta a voz, nem se farão ouvir nas ruas os seus discursos. 3Não quebra a cana curvada, não apaga a mecha que ainda fumega. Mas há-de promover o direito entre as nações. 4Não vacila nem se deixará abater, até estabelecer na terra o direito e as leis que os povos das ilhas esperam dele. 5Assim fala o SENHOR Deus, que criou os céus e os estendeu, que consolidou a terra com a sua vegetação, que deu a vida às populações que a habitam, e anima os que nela se movem: 6«Eu, o SENHOR, chamei-te e levo-te pela mão, para seres instrumento de justiça; formei-te para garante da minha aliança com o povo, para seres luz das nações, 7para dares aos cegos a luz dos olhos, para tirares da cadeia os prisioneiros, e da masmorra os que habitam nas trevas.» 8Eu sou o SENHOR; este é o meu nome. A ninguém cedo a minha glória, nem aos ídolos o louvor que me é devido. 9Os primeiros acontecimentos já se realizaram, anuncio agora outros novos, e comunico-os a vós antes que apareçam. 10Cantem ao SENHOR um cântico novo, louvem-no desde os confins da terra, vós que percorreis o mar e tudo o que o enche, vós que habitais nas ilhas longínquas. 11Entoem cânticos nas cidades do deserto, nos acampamentos dos que habitam em Quedar; exultem os habitantes de Petra, e soltem gritos de alegria do cimo das suas montanhas. 12Cantem a glória do SENHOR, anunciem o seu louvor, nas ilhas distantes. 13O SENHOR avança como um herói, como um guerreiro, enche-se de coragem! Lança um grito de guerra muito forte, enfrentando com valentia os seus inimigos. 14Desde há muito que guardo silêncio, que estou calado e aguento. Mas agora vou gritar como uma mulher a dar à luz, que grita e se sente sufocada e oprimida. 15Vou devastar montes e colinas, secar toda a sua verdura, converter os rios em terra firme e secar as lagoas. 16Vou levar os cegos por um caminho que não conhecem. Vou guiá-los por carreiros que ignoram. Mudarei diante deles as trevas em luz e os obstáculos em estrada plana. É este o projecto que vou realizar por eles e de modo algum os abandonarei. 17Fiquem para trás cobertos de vergonha, os que põem a confiança nos ídolos e que dizem a imagens de metal: «Vós sois os nossos deuses!» 18Ouçam, ó surdos! Ó cegos, olhem e vejam! 19Quem é cego, senão o meu servo? E quem é surdo como o mensageiro que eu envio? Quem é cego como o que eu restabeleci, tão cego como o servo do SENHOR? 20Ele viu muitas coisas, mas sem as entender, ouviu de ouvidos abertos, mas sem nada compreender. 21O SENHOR foi benevolente, por fidelidade ao seu plano, mostrou como a sua lei é grande e magnífica. 22Eis este povo saqueado e despojado! Todos os valentes foram feitos prisioneiros e encerrados em masmorras. Eram saqueados, sem que ninguém os libertasse; eram despojados e ninguém dizia: «Restitui!» 23Quem de vós prestará atenção a estas coisas? Quem está atento para compreender o futuro? 24Quem entregou Jacob aos saqueadores e Israel aos que o despojaram? Não foi o SENHOR contra quem pecámos? É que não quisemos seguir os seus caminhos nem obedecer à sua lei! 25O SENHOR derramou sobre Israel o furor da sua ira e a violência da guerra; rodeou-o de chamas, mas ele não compreendeu, incendiou-o, mas ele não o levou a sério.

will be added

X\