Oséas 4

1Ouçam a palavra do SENHOR, habitantes de Israel. O SENHOR chama a tribunal os habitantes do país: «Não há lealdade, nem bondade, nem conhecimento de Deus nesta terra. 2Amaldiçoa-se, atraiçoa-se, assassina-se e rouba-se; os adultérios multiplicam-se e os homicídios sucedem-se uns aos outros. 3Por isso, a seca vai causar estragos no país: os seus habitantes vão morrer, juntamente com os animais do campo e as aves do céu; e até os peixes vão desaparecer.» 4«Que ninguém acuse, nem repreenda, eu é que te vou acusar, ó sacerdote! 5Tu hás-de tropeçar, durante o dia, e o teu aliado, o profeta, há-de tropeçar de noite; a tua própria pátria ficará destruída. 6O meu povo está destruído, porque não me reconhece. E o culpado és tu, que os impediste de me conhecerem. Também eu te afastarei de mim, e não serás mais meu sacerdote. 7Todos os sacerdotes pecaram contra mim; também eu mudarei a sua dignidade em vergonha. 8Alimentam-se dos sacrifícios que o meu povo me oferece pelos pecados e só desejam que o povo continue a pecar. 9Mas os sacerdotes serão tratados como o povo: vou castigá-los por causa dos seus maus caminhos, e terão que pagar pelas suas más acções. 10Comerão, mas não ficarão saciados, prostituir-se-ão, mas isso não dará fruto. Eles esqueceram-me, a mim, o SENHOR, para praticarem a prostituição. 11A vida desregrada e as bebedeiras fazem perder o juízo ao meu povo. 12Andam a consultar os ídolos de madeira; é a um pedaço de madeira que eles vão pedir que lhes revele qualquer mistério. O desejo de prostituição extravia-os, e, assim, afastam-se do seu Deus. 13Fazem banquetes pagãos no cimo das montanhas, e nas colinas sobe o fumo dos seus sacrifícios, debaixo dos carvalhos, dos choupos e terebintos, cuja sombra lhes é agradável. É por tudo isto que as vossas filhas se prostituem e as vossas noras cometem adultério. 14Mas não vou castigar as vossas filhas por se prostituírem, nem as vossas noras por cometerem adultério, pois são os homens que vão ter com as prostitutas e oferecem sacrifícios com as prostitutas dos templos. E um povo sem juízo é um povo perdido. 15Se tu, Israel, praticas a prostituição, que ao menos Judá não cometa tais faltas! Deixem de frequentar o lugar santo de Guilgal, deixem de subir a Bet-Aven, deixem de jurar, dizendo: “Juro pelo Deus vivo!” 16Se Israel é como uma vaca brava a morrer, poderá o SENHOR deixá-los pastar em campo aberto? 17O povo de Efraim apegou-se aos ídolos. Deixem-no! 18Quando terminam as suas bebedeiras, entregam-se à vida de prostituição. Os seus chefes gostam de viver na desonra. 19Um furacão vai envolvê-los nas suas asas, e hão-de ter vergonha dos seus sacrifícios.»

will be added

X\