Oséas 11

1«Quando Israel era menino, eu o amei e desde o Egipto chamei-o por filho. 2Mas depois, quanto mais os chamava, mais eles se afastavam de mim. Ofereciam sacrifícios aos ídolos de Baal e queimavam incenso em honra dos falsos deuses. 3Fui eu que ensinei Efraim a dar os primeiros passos, segurando-o pelos braços. Mas não percebeu que era eu quem cuidava dele. 4Prendia-os com laços de delicadeza e de amor. Eu era para eles aquele que os poupava de apanharem com o chicote na cara: inclinava-me para lhes dar de comer. 5Terá que voltar para a terra do Egipto mas a Assíria é que será o seu rei. Tudo isto, porque recusou voltar para mim. 6Por isso, a espada será desembainhada contra as suas cidades, destruirá os sacerdotes de oráculo e devorará os conselheiros. 7O meu povo agarra-se à sua apostasia; por mais que lhes digam para se levantarem, não fazem caso nenhum. 8E, no entanto, como poderei deixar-te, Efraim? Como poderei entregar-te, Israel? Como poderia eu tratar-vos à maneira das cidades de Admá e de Seboim? Tal ideia dá voltas ao meu coração e comovem-se as minhas entranhas. 9Não cederei ao ardor da minha cólera, não pensarei mais em destruir Efraim. É que eu sou Deus e não um homem. No meio de ti, Efraim, sou o Deus santo e não o inimigo que invade a cidade. 10Os exilados virão atrás de mim, seu SENHOR; eu rugirei como um leão e perante tais rugidos, os seus filhos acorrerão pressurosos do outro lado do mar. 11Comovidos, virão do Egipto, como pardais em revoada e da Assíria como um bando de pombas. E eu farei que habitem de novo em sua casa. Palavra do SENHOR!»

will be added

X\