Génesis 35

1Deus disse a Jacob: «Sai daqui, vai viver para Betel e constrói lá um altar ao Deus que te apareceu, quando ias a fugir do teu irmão, Esaú.» 2Jacob deu então a todos os da sua família e aos que o acompanhavam a seguinte ordem: «Deitem fora todos os deuses estranhos que trazem convosco. Purifiquem-se e vistam outra roupa. 3Vamos sair daqui e dirigir-nos para Betel. Quero construir lá um altar ao Deus que me ajudou, quando eu estava em aflição, e que sempre me acompanhou por onde tenho andado.» 4Deram então a Jacob todos os deuses estranhos que traziam consigo e os brincos que usavam nas orelhas. E Jacob enterrou tudo debaixo da azinheira que estava junto de Siquém. 5Puseram-se a caminho e Deus fez com que os habitantes das cidades à sua volta tivessem muito medo deles, de modo que ninguém saiu em perseguição de Jacob e dos seus. 6Jacob chegou com todos os seus a Luz, localidade da terra de Canaã, que se chama também Betel. 7Lá edificou um altar e chamou àquele lugar santuário do Deus de Betel, porque Deus ali se lhe tinha revelado, quando ele ia a fugir do seu irmão. 8Débora, ama de Raquel, morreu e foi sepultada perto de Betel, debaixo do carvalho; por isso, Jacob deu-lhe o nome de Carvalho do Pranto. 9Deus apareceu de novo a Jacob, depois de este ter regressado da Mesopotâmia, e abençoou-o 10com estas palavras: «O teu nome é Jacob, mas já não serás conhecido pelo nome de Jacob. Serás conhecido pelo nome de Israel.» Deus deu-lhe o nome de Israel 11e declarou-lhe ainda: «Eu sou o Deus supremo. Que sejas fértil e que os teus descendentes se multipliquem, de modo que deles se cheguem a formar um e muitos povos e chegue a haver reis entre os teus descendentes. 12A terra que já dei a Abraão e a Isaac vou dar-ta a ti agora e hei-de dá-la igualmente aos teus descendentes, depois de ti.» 13Depois de Deus se ter retirado de junto dele, 14Jacob levantou, naquele mesmo lugar onde Deus tinha falado com ele, um monumento de pedra e consagrou-o, derramando sobre a pedra vinho e azeite. 15Deste modo, Jacob deu o nome de Betel àquele lugar onde Deus tinha falado com ele. 16Partiram de Betel e, quando estavam ainda a alguma distância de Efrata, Raquel sentiu as dores de parto e teve um parto bastante difícil. 17Ao vê-la assim em dificuldades, a parteira disse-lhe: «Não tenhas medo! Tens aqui outro rapaz!» 18Ao morrer, antes de dar o último suspiro, Raquel deu ao seu filho o nome de Benoni. Mas o pai mudou-lhe o nome para Benjamim. 19Raquel morreu e foi sepultada junto do caminho para Efrata, isto é, Belém. 20Jacob levantou então um monumento sobre o túmulo dela, que ainda hoje se chama monumento do túmulo de Raquel. 21Israel prosseguiu viagem e foi colocar a sua tenda para além de Migdal-Éder. 22Quando já estava a viver naquela região, Rúben foi ter com Bilá, concubina de seu pai, e dormiu com ela. Mas o assunto chegou ao conhecimento do pai. Jacob tinha doze filhos. 23Nascidos de Lia, eram Rúben, o filho mais velho, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zabulão; 24nascidos de Raquel, eram José e Benjamim; 25nascidos de Bilá, escrava de Raquel, eram Dan e Neftali; 26nascidos de Zilpa, escrava de Lia, eram Gad e Asser. Estes filhos nasceram-lhe quando Jacob se encontrava ainda na Mesopotâmia. 27Jacob foi ver depois o seu pai, Isaac, em Mambré, também chamada Quiriat-Arbá, isto é, Hebron. Antes de Isaac, já Abraão ali tinha vivido também. 28Isaac tinha cento e oitenta anos de idade quando morreu. 29Viveu feliz até essa idade avançada e foi juntar-se aos seus antepassados. Os seus filhos, Esaú e Jacob, deram-lhe sepultura.

will be added

X\