Génesis 30

1Quando Raquel viu que não conseguia ter filhos de Jacob, começou a sentir ciúmes da irmã e disse ao marido: «Dá-me filhos, senão morro de desgosto.» 2Jacob ficou bastante aborrecido com Raquel e exclamou: «Será que eu sou Deus? Ele é que fez com que tu não pudesses ter filhos.» 3Raquel disse-lhe então: «Dou-te a minha escrava Bilá como esposa. Os filhos que ela tiver de ti há-de dá-los à luz no meu regaço e assim serão também meus filhos.» 4E assim, Raquel deu-lhe a sua serva como esposa. Jacob dormiu com ela 5e Bilá ficou grávida e deu à luz um filho. 6Exclamou então Raquel: «Deus fez-me justiça; ouviu o meu pedido e concedeu-me um filho.» Por isso, deu ao filho o nome de Dan. 7Bilá, escrava de Raquel, ficou de novo grávida e deu à luz outro filho de Jacob. 8E Raquel exclamou: «Deus pôs-me em concorrência com a minha irmã, mas consegui vencer.» E deu ao filho o nome de Neftali. 9Lia viu que já não voltava a ter mais filhos e deu a sua escrava Zilpa a Jacob, como esposa. 10Zilpa, escrava de Lia, deu à luz um filho de Jacob 11e Lia exclamou: «Que sorte!» Por isso, lhe deu o nome de Gad. 12Zilpa, escrava de Lia, voltou a dar à luz um outro filho de Jacob 13e Lia exclamou: «Que felicidade! As outras mulheres vão dar-me os parabéns!» E deu ao menino o nome de Asser. 14Na altura da ceifa do trigo, Rúben saiu pelos campos e encontrou uns frutos chamados mandrágoras e levou-as a Lia, sua mãe. Raquel pediu a Lia: «Dá-me, por favor, das mandrágoras que o teu filho trouxe.» 15Mas Lia respondeu: «Já achas pouco teres-me tirado o meu marido e ainda me queres tirar também as mandrágoras que o meu filho trouxe?» Raquel respondeu: «Pronto. Em troca dessas mandrágoras, podes dormir tu com ele esta noite.» 16Quando Jacob, à tardinha, regressava do campo, Lia saiu ao seu encontro e disse-lhe: «Hoje vens dormir comigo, porque já dei as mandrágoras que trouxe o meu filho, em troca disso.» E Jacob dormiu com ela aquela noite. 17Deus ouviu os pedidos de Lia e ela ficou de novo grávida e deu a Jacob o seu quinto filho. 18Lia exclamou: «Foi Deus que me recompensou por eu ter dado a minha serva como esposa ao meu marido.» E deu ao menino o nome de Issacar. 19Depois disso, Lia voltou a engravidar e deu a Jacob um filho pela sexta vez, 20e disse: «Deus ofereceu-me um magnífico presente. Agora o meu marido vai ter mais consideração por mim, porque já lhe dei seis filhos.» Por isso, deu ao menino o nome de Zabulão. 21Por fim, deu ainda à luz uma filha, a quem chamou Dina. 22Entretanto Deus lembrou-se de Raquel, atendeu os seus pedidos e deu-lhe a possibilidade de ter filhos. 23Assim ela ficou grávida e deu à luz um filho e exclamou: «Deus fez com que eu não voltasse a passar pela vergonha de não ter filhos.» 24E continuou: «Quem dera que o SENHOR me desse mais outro filho!» Por isso, deu àquele menino o nome de José. 25Depois de Raquel ter dado à luz José, Jacob disse a Labão: «Deixa-me ir para a terra onde nasci. 26Deixa-me levar as minhas esposas e filhos. Por elas tenho trabalhado ao teu serviço e sabes muito bem há quanto tempo eu estou a trabalhar para ti.» 27Labão respondeu-lhe: «Ouve-me, por favor! Eu soube pelos adivinhos que, por causa de ti, o SENHOR me tem abençoado. 28Diz-me então que salário pretendes, que eu to pagarei.» 29Jacob respondeu: «Sabes muito bem quanto trabalhei para ti e como cuidei dos teus rebanhos. 30Antes de eu chegar, eram pouco numerosos e depois cresceram imenso e o SENHOR abençoou-te com o meu trabalho. Mas quando é que eu vou começar a trabalhar também para a minha própria família?» 31Labão perguntou; «Quanto queres que te dê?» E Jacob respondeu: «Não tens que me pagar nada. Estou disposto a continuar a cuidar dos teus rebanhos, se concordares com uma coisa que te vou propor: 32hoje passarei revista ao rebanho e porei de parte todos os animais malhados e com manchas, todos os cordeiros negros e cabritos malhados e com manchas. Será isso a minha paga. 33E assim será fácil demonstrar a minha honestidade, no futuro, quando quiseres ver quanto é que eu ganhei. Todos os cabritos do meu rebanho que não forem malhados e manchados e os cordeiros que não forem negros é sinal que são roubados.» 34Labão respondeu: «Está bem. Pode ser assim mesmo.» 35Mas nesse mesmo dia, Labão retirou do rebanho todos os bodes com listras e manchas e todos os cabritos malhados e com manchas e todos os cordeiros negros e entregou-os ao cuidado dos seus filhos. 36Mandou que este rebanho fosse afastado para longe de Jacob, à distância de três dias de caminho. E Jacob continuou a pastorear o resto dos rebanhos de Labão. 37Mas Jacob arranjou varas verdes de choupo, de amendoeira e de plátano e fez nelas listras, retirando parte da casca e fazendo aparecer a parte branca do interior das varas. 38Espetou aquelas varas, assim preparadas, diante das ovelhas junto dos ribeiros e dos bebedouros onde o gado ia beber. Quando iam beber é que os machos as cobriam. 39E quando os machos as cobriam assim diante daquelas varas, as crias nasciam com listras e malhadas ou com manchas. 40Jacob separou esses animais e juntou-os com outros que eram malhados ou pretos nos rebanhos de Labão. E assim foi criando rebanhos próprios e que ele não misturava com os de Labão. 41Quando chegava a altura da cobrição dos animais mais fortes, Jacob voltava a colocar as varas à vista deles, junto dos ribeiros para que a cobrição se fizesse diante das varas listradas. 42Mas não colocava as varas diante dos animais mais fracos, de modo que os mais fracos ficavam para Labão e os mais fortes para Jacob. 43E assim Jacob foi enriquecendo cada vez mais e chegou a ter muitos rebanhos, servas, escravos, camelos e burros.

will be added

X\