Génesis 26

1Houve outra vez muita fome no país, tal como tinha havido no tempo de Abraão. E Isaac refugiou-se em Guerar, na terra dos filisteus, onde era rei Abimelec. 2O SENHOR apareceu-lhe e disse-lhe: «Não vás para o Egipto, mas fica na terra que eu te indicar. 3Podes morar nesta terra, que eu hei-de ajudar-te e abençoar-te. Com efeito, hei-de dar-te a ti e aos teus descendentes toda esta terra, cumprindo assim o juramento que já fiz a Abraão, teu pai. 4Hei-de dar-te tantos descendentes como estrelas tem o céu e a eles hei-de dar toda esta terra. Todos os povos do mundo serão abençoados pelos teus descendentes, 5pois Abraão ouviu o meu chamamento e cumpriu as minhas recomendações, mandamentos, preceitos e leis.» 6Isaac ficou a viver em Guerar 7e os homens da região faziam-lhe perguntas a propósito da sua mulher. Ele respondia sempre que era sua irmã, porque tinha medo de dizer que era sua mulher, não fossem eles matá-lo para ficarem com Rebeca, que era muito bonita. 8Passou-se bastante tempo e um dia Abimelec, rei dos filisteus, estava à janela quando viu Isaac a acariciar Rebeca, sua mulher. 9Abimelec chamou por Isaac e disse-lhe: «Mas afinal ela é tua mulher! Como é que tu me disseste que era tua irmã?» Isaac respondeu: «Eu tive medo que me mandassem matar por causa dela.» 10Abimelec replicou: «Pensa bem no mal que nos podias causar. Um qualquer deste povo podia ter dormido com a tua mulher e tu também serias responsável por esse crime.» 11Abimelec mandou então proclamar por entre todo o seu povo: «Quem se atrever a tocar neste homem ou na sua mulher será condenado à morte.» 12Naquele ano, Isaac semeou um campo e a colheita rendeu cem vezes mais que a semente; o SENHOR abençoou-o realmente. 13Isaac foi enriquecendo dia a dia e chegou a ser dono de uma riqueza considerável. 14Tinha rebanhos de ovelhas e de vacas e muitos criados, de modo que até os filisteus começaram a ter inveja dele. 15Por isso, foram-se aos poços que tinham aberto os criados de Abraão, pai de Isaac, enquanto Abraão vivia, e entupiram-nos enchendo-os de terra. 16Abimelec disse então a Isaac: «Sai desta terra, porque já estás muito mais rico do que nós.» 17Isaac saiu dali e foi acampar na ribeira de Guerar, onde ficou a viver. 18Então Isaac desentupiu os poços que tinham sido abertos no tempo de Abraão, seu pai, e que os filisteus tinham entupido, depois da morte de Abraão. E deu a cada um desses poços o mesmo nome que eles tinham no tempo de Abraão. 19Também na ribeira de Guerar os servos de Isaac abriram um poço e encontraram água nascente. 20Por isso, os pastores de Guerar entraram em conflito com os de Isaac, dizendo que aquela nascente lhes pertencia. Isaac chamou-lhe o poço do “Conflito”, porque foi por causa daquele poço que tinham entrado em conflito com ele. 21Os criados de Isaac abriram um outro poço e os pastores de Guerar reclamaram aquele também e Isaac deu-lhe o nome de “Reclamação”. 22Isaac afastou-se dali e voltou a abrir outro poço e ninguém mais voltou a levantar questões sobre ele. Isaac deu-lhe o nome de “Largueza”, porque dizia ele: «Agora o SENHOR deu-nos largueza e seremos um povo numeroso nesta terra.» 23Dali foi para Bercheba. 24E na primeira noite que lá passou, o SENHOR apareceu a Isaac e disse-lhe: «Eu sou o Deus de Abraão, teu pai; não tenhas medo, porque estou do teu lado. Por causa do meu servo Abraão, hei-de abençoar-te e dar-te numerosa descendência.» 25Isaac construiu ali um altar e adorou o SENHOR. Montou ali a sua tenda e os servos de Isaac abriram um poço. 26Um dia Abimelec saiu de Guerar com o seu conselheiro Auzat e com Picol, chefe do seu exército, para irem ter com Isaac. 27Ao vê-los, Isaac perguntou: «Se não me aceitam e até me expulsaram da vossa terra, por que é que vêm agora ter comigo?» 28Eles responderam: «É que nós vimos que o SENHOR está do teu lado e pensámos que era bom fazermos um tratado contigo; gostávamos de fazer contigo uma aliança.» 29Seria o seguinte: «Tu comprometias-te a não nos fazer mal nenhum, tal como nós te não fizemos mal, muito pelo contrário sempre te tratámos bem e deixámos-te sair à vontade, de modo que agora te podes considerar uma pessoa abençoada pelo SENHOR.» 30Isaac ofereceu-lhes um banquete e eles comeram e beberam. 31No dia seguinte, pela manhã, juraram um ao outro cumprir aquela aliança. Isaac despediu-se deles e eles partiram dali como amigos. 32Naquele mesmo dia, os criados de Isaac foram levar-lhe notícias sobre um poço que tinham aberto e disseram-lhe: «Já encontrámos água.» 33Isaac deu-lhe o nome de Bercheba, isto é, “Juramento”. Por isso, aquela cidade ainda hoje se chama Bercheba. 34Quando Esaú tinha quarenta anos de idade casou com Judite, filha de um hitita chamado Beri, e com Bassemat, filha doutro hitita, chamado Elon. 35Estas mulheres causaram muita amargura a Isaac e a Rebeca.

will be added

X\