Ezequiel 44

1O homem conduziu-me à porta exterior do templo, do lado oriental. A porta estava fechada 2e o SENHOR disse-me: «Esta porta ficará fechada e nunca deverá ser aberta. Nenhum ser humano a deve usar, porque eu, o SENHOR Deus de Israel, passei por ela. Deve permanecer fechada. 3O príncipe, contudo, como soberano, poderá ir ali para comer uma refeição sagrada na minha presença. Mas deve chegar e retirar-se pelo pórtico interior da mesma porta.» 4Em seguida o homem conduziu-me pela porta norte, até à entrada do templo. Olhei e vi que o templo do SENHOR estava cheio do esplendor da sua gloriosa presença. Inclinei-me até ao chão, de rosto em terra, 5e o SENHOR disse-me: «Homem, toma nota de tudo o que vires e ouvires. Vou mostrar-te todas as leis e regulamentos relativos ao templo. Toma nota das pessoas que nele podem entrar e das que não podem. 6Transmite ao povo rebelde de Israel a seguinte mensagem do SENHOR Deus: “Ó povo de Israel, estou farto das coisas abomináveis, que vocês fizeram no passado! 7Profanaram o meu templo, deixando que estrangeiros, pagãos que me não obedecem, entrassem no templo, quando a gordura e o sangue dos sacrifícios me estavam a ser oferecidos. Assim o meu povo quebrou as obrigações da minha aliança, fazendo todas essas coisas abomináveis. 8Não cuidaram do ritual sagrado do meu templo; mas pelo contrário, entregaram-no a estrangeiros. 9Por isso, eu, o SENHOR Deus, declaro que nenhum estrangeiro não circuncidado, ninguém que me desobedeça poderá entrar no meu templo, nem mesmo o estrangeiro que mora com o meu povo de Israel.”» 10«Os levitas que, juntamente com o povo de Israel, me abandonaram e adoraram os ídolos, receberão o castigo merecido. 11Podem servir-me no templo na qualidade de porteiros e cumprindo outras tarefas no templo; podem matar os animais que o povo oferecer para holocaustos e sacrifícios, e devem igualmente servir o povo. 12Mas por terem dirigido o culto de ídolos em nome do povo de Israel, e dessa maneira terem induzido o meu povo a pecar, eu, o SENHOR Deus, declaro solenemente que serão castigados como merecem. 13Não me devem servir como sacerdotes nem se devem aproximar de nada que me seja consagrado nem entrar no lugar santíssimo. E sofrerão cheios de vergonha o castigo por causa das coisas abomináveis que fizeram. 14Encarrego-os unicamente dos serviços secundários, que são necessários para o funcionamento do templo.» 15«Os sacerdotes da tribo de Levi, que são descendentes de Sadoc, não deixaram de me servir com fidelidade no templo, mesmo quando o resto do povo de Israel me voltou as costas a mim, seu SENHOR. Por isso, são eles que me devem servir e vir à minha presença, para me oferecer a gordura e o sangue dos holocaustos. Palavra do SENHOR! 16Apenas eles devem entrar no meu templo, servir no meu altar e encarregar-se do serviço sagrado no templo. 17Quando entrarem pela porta que leva ao átrio interior do templo, devem vestir-se de linho. Não devem usar nada feito de lã, quando estiverem de serviço no átrio interior ou no templo. 18Para não suarem, devem usar turbantes de linho e calças de linho, sem cinto. 19Antes de saírem ao átrio exterior, onde o povo se encontra, devem despir as roupas que usaram, quando estiveram de serviço no templo, e deixá-las nos lugares sagrados destinados para o efeito. Devem usar outras roupas a fim de não colocarem o povo em contacto com o vestuário sagrado. 20Os sacerdotes não devem nunca rapar a cabeça nem deixar o cabelo ficar comprido. Devem cortá-lo normalmente. 21Os sacerdotes não devem beber vinho antes de entrar no átrio interior. 22Nenhum sacerdote deve casar-se com uma mulher divorciada; só pode casar com uma israelita solteira ou com a viúva de outro sacerdote. 23Os sacerdotes devem ensinar o meu povo a distinguir entre o que é sagrado e o que não é; entre o que é ritualmente puro e o que não é. 24Quando surgir uma disputa legal, os sacerdotes devem julgar e decidir o caso segundo as minhas leis. Devem celebrar as minhas festas religiosas, conforme as minhas leis e regulamentos; e devem guardar o sábado como dia santo. 25Um sacerdote não deve tocar num cadáver, a menos que se trate dos seus pais, filhos ou irmãos, ou ainda de uma irmã solteira, porque ficaria ritualmente impuro. 26Depois de se ter purificado de novo, deve esperar sete dias 27e ir em seguida ao átrio interior do templo, para oferecer um sacrifício de purificação, a fim de que possa de novo servir no templo. Palavra do SENHOR! 28Aos sacerdotes pertence o sacerdócio como a herança que se transmite de geração em geração. Os sacerdotes não devem possuir terras em Israel, pois eu sou para eles tudo aquilo de que eles necessitam. 29As ofertas de cereais, as ofertas pelo perdão dos pecados e de reparação serão a comida dos sacerdotes; tudo o que me for destinado em Israel ficará para eles. 30Os sacerdotes deverão receber o melhor das primeiras colheitas e de tudo o que me for oferecido ritualmente. Cada vez que vocês fizerem pão, devem dar ao sacerdote a melhor farinha, para que eu abençoe as vossas casas. 31Os sacerdotes nunca devem comer aves nem animais que tenham tido uma morte natural, ou que tenham sido mortos por outro animal.»

will be added

X\