Ezequiel 33

1O SENHOR dirigiu-me a palavra e disse-me: 2«Homem, mostra ao teu povo o que vai acontecer, quando eu trouxer a guerra a um país. Os seus habitantes têm de escolher dentre eles um para sentinela. 3Quando a sentinela vê que o inimigo se aproxima, dá o alarme para prevenir toda a gente. 4Se alguém o ouvir, mas não quiser fazer caso, e o inimigo vier e o matar, essa pessoa é culpada da sua própria morte. 5Deve a morte a si mesma, porque não deu atenção ao alarme. Pois se tivesse prestado atenção, poderia ter escapado. 6Porém se a sentinela vê chegar o inimigo e não der o alarme, o inimigo virá e matará aqueles transgressores. Porém eu considero a sentinela responsável pela morte deles. 7E agora, homem, eu te nomeio sentinela para o povo de Israel. Deves transmitir-lhes o alarme que eu te comunicar. 8Se eu te avisar que um homem mau vai morrer e tu não o prevenires, para que mude o seu procedimento e possa salvar a vida, ele morrerá, como transgressor que é; mas eu considero-te responsável pela sua morte. 9Mas se tu avisares esse homem mau e ele não deixar de fazer o mal, então ele morrerá, como transgressor, mas a tua vida será poupada.» 10O SENHOR dirigiu-me a palavra e disse-me: «Lembra aos israelitas o que eles andam a dizer: “Sentimos o peso das nossas transgressões e do mal que temos feito. Sentimo-nos esmagados. Como poderemos sobreviver?” 11Diz-lhes que, tão certo como eu ser o Deus da vida, lhes garanto que não tenho prazer em ver um transgressor morrer. O que eu gostaria era de o ver deixar de pecar e viver. Ó Israel, deixa o mal que estás a fazer. Por que hás-de querer morrer? 12Agora, homem, mostra aos teus compatriotas que, quando um homem bom peca, o bem que ele fez não o salvará. Se um homem mau deixa de praticar o mal, não será castigado: mas se um homem justo começar a pecar, a sua vida não será poupada. 13Eu posso prometer a vida a um homem justo, mas se ele começar a pensar que o bem que praticou no passado chega, e começar a fazer o mal, eu não terei em consideração o bem que ele fez. Tal pessoa morrerá, por causa dos seus pecados. 14Eu posso avisar um homem mau que ele vai morrer, mas se ele deixar de fazer o mal e fizer o que é bem; 15por exemplo, se restituir aquilo que recebeu em depósito por um empréstimo ou devolver o que roubou; se ele deixar de pecar e seguir as leis que são fonte de vida, ele não morrerá, mas viverá. 16Perdoarei os pecados que ele cometeu e essa pessoa viverá, porque passou a fazer o que era bem. 17O teu povo diz que o que eu faço não está bem! Mas não! Pelo contrário, são eles que não procedem bem. 18Quando um homem justo deixa de praticar o bem e começa a fazer o mal, morrerá por causa do pecado que cometeu. 19Quando um injusto deixa de fazer o mal e começa a praticar o bem, essa pessoa salva a sua vida. 20Ó povo de Israel, dizem que sou eu que não procedo bem, mas o que eu faço é julgar-vos a cada um pelas suas obras.» 21No décimo segundo ano do nosso exílio, no dia cinco do décimo mês, um homem que conseguiu escapar de Jerusalém chegou junto de mim e contou-me que a cidade caiu na mão do inimigo. 22Na noite que precedeu a sua chegada, senti sobre mim a mão poderosa do SENHOR e restituiu-me a fala. Quando aquele homem chegou, na manhã seguinte, o SENHOR tinha-me restituído a fala e, dali em diante, não voltei a ficar mudo. 23O SENHOR dirigiu-me a palavra e disse-me: 24«Ezequiel, o povo que habita nas cidades de Israel, em ruínas, diz: “Abraão era um só homem e recebeu o país inteiro em propriedade. E agora, nós somos muitos; é evidente que esta terra nos pertence!” 25Mostra-lhes, por isso, o que eu, o SENHOR Deus, tenho para lhes comunicar: “Comem carne com sangue, adoram os ídolos e cometem assassinatos e ainda acham que a terra vos pertence? 26Põem a vossa confiança nas espadas, praticam acções abomináveis e cometem adultério com a mulher dos vossos compatriotas e ainda acham que a terra vos pertence? 27Diz-lhes que tão certo como eu vivo, eu, o SENHOR Deus, lhes garanto que o povo que habita nas cidades em ruínas será morto; os que vivem no país serão comidos por animais selvagens; e os que se escondem nas montanhas e nas grutas, morrerão de doença. 28Farei com que o país fique deserto e desolado e a grandeza de que se orgulhavam chegará ao fim. As montanhas de Israel ficarão tão desoladas que ninguém se atreverá a passar por elas. 29Quando eu castigar o povo, por causa das suas práticas abomináveis, e fizer do país um deserto, então ficarão a saber que eu sou o SENHOR.”» 30O SENHOR dirigiu-me a palavra e disse-me: «Homem, o teu povo anda a falar de ti. Quando se encontram junto aos muros da cidade ou à porta das casas, dizem entre si: “Vamos ouvir o que o SENHOR tem para nos dizer!” 31O meu povo aglomera-se à tua volta em grande número, para ouvir a tua mensagem, mas não fazem o que tu lhes dizes. Dizem palavras muito bonitas, mas o seu coração é profundamente interesseiro. 32Para eles, não és mais do que um cantor de cantigas agradáveis, que tem uma bela voz e toca muito bem. Ouvem as tuas palavras mas não obedecem a nada do que dizes. 33Porém quando as tuas palavras se cumprirem, e elas vão cumprir-se, então reconhecerão que havia um profeta no meio deles.»

will be added

X\