Ezequiel 32

1No décimo segundo ano do nosso exílio, no primeiro dia do décimo segundo mês, o SENHOR dirigiu-me a palavra e disse-me: 2«Homem, entoa uma lamentação sobre o rei do Egipto. Dá-lhe a seguinte mensagem da minha parte: “Tu assemelhavas-te a um leão entre as nações, porém mais pareces um crocodilo a agitar a água no rio. Remexes a água com as patas deixando o rio cheio de lodo. 3Mas eu, o SENHOR, te declaro que quando se reunirem à tua volta muitas nações, vou apanhar-te na minha rede, para a puxar em seguida para a margem. 4Vou atirar-te ao chão e abandonar-te em lugar ermo; vou atrair as aves e os animais de todo o mundo para te comerem. 5Espalharei por montes e vales os restos do teu cadáver. 6Derramarei o teu sangue até que ele corra pelas montanhas e encha os rios. 7Quando eu te destruir, cobrirei os céus e escurecerei as estrelas. O Sol esconder-se-á atrás das nuvens e a Lua não dará a sua luz. 8Por tua causa, apagarei todas as luzes do céu e mergulharei o teu país na escuridão. Palavra do SENHOR! 9Muitas nações e países de que nunca ouviste falar ficarão perturbados, quando eu espalhar a notícia da tua destruição. 10Sim, o que te vou fazer, levará muitas nações a ficarem estupefactas. Quando brandir a minha espada na sua frente, os reis encolher-se-ão cheios de medo. No dia em que caíres, todas elas tremerão de medo pelas suas próprias vidas. 11Pois eu, o SENHOR, te declaro que vais ser atingido pela espada do rei da Babilónia. 12Farei com que soldados de nações cruéis puxem das suas espadas e matem os teus súbditos. O teu povo, e tudo o mais de que tanto te orgulhas no Egipto, será destruído. 13Matarei o teu gado nas margens do Nilo, nem povo nem gado ficarão para enlodar mais a água. 14Farei com que as tuas águas se acalmem, e os teus rios correrão tranquilos como azeite. Palavra do SENHOR! 15Quando eu fizer do Egipto um país deserto e destruir todos os seus habitantes, tudo o que ali existe, então todos hão-de saber que eu sou o SENHOR.” 16Esta é a lamentação que devem cantar; será cantada pelas mulheres de todas as nações, lamentando a sorte do Egipto e do seu povo. Palavra do SENHOR!» 17No décimo segundo ano do nosso exílio, no décimo quinto dia do mesmo mês, o SENHOR dirigiu-me a palavra e disse-me: 18«Homem, faz uma lamentação pelo povo do Egipto. Manda-o juntamente com as outras nações poderosas para o mundo dos mortos, para as profundezas da terra, com os que descem à sepultura. 19Diz-lhes: “Pensam que são melhores do que os outros? Porém vão descer ao mundo dos mortos e ali ficarão entre os que não conhecem a Deus. 20Os habitantes do Egipto cairão juntamente com os que forem mortos na guerra. Uma espada está preparada para os matar a todos. 21Os maiores heróis e aqueles que lutaram pelo Egipto aclamarão os egípcios à sua chegada ao mundo dos mortos. Eles gritarão: ‘Estes pagãos foram mortos na guerra e desceram até cá. Ei-los que aqui jazem.’ 22Ali se encontra também a Assíria com as sepulturas dos seus soldados. Foram todos mortos na guerra, 23e as suas sepulturas estão situadas nos lugares mais recônditos do mundo dos mortos. Todos os seus soldados caíram em batalha e as suas sepulturas rodeiam o túmulo do rei. Quem diria que, antes, eram eles que aterrorizavam o mundo inteiro? 24O rei de Elam ali está com as sepulturas dos seus soldados. Foram todos mortos em batalha e desceram à cova, ao mundo dos mortos, como pagãos. Em vida espalharam o terror, mas agora estão ali, mortos na sepultura. 25O rei de Elam, jaz ao lado daqueles que foram mortos na guerra. Em vida, aqueles pagãos espalharam o terror; mas agora jazem ali, mortos e esquecidos, partilhando o destino dos que morreram na guerra. 26Mechec e Tubal também ali estão, rodeados pelas sepulturas dos seus soldados. Todos eles são pagãos e foram mortos na guerra. Porém quando estavam em vida, aterrorizavam o mundo inteiro. 27Não receberam uma sepultura honrosa, como outrora os heróis receberam, quando eram sepultados com toda a sua armadura: as espadas debaixo da cabeça e os escudos sobre o corpo. Estes heróis eram poderosos quando estavam vivos, e semeavam o terror entre os vivos. 28É assim que vocês morrerão, ó egípcios! E ficarão sepultados entre todos estes pagãos que foram mortos na guerra. 29Edom ali se encontra com os seus reis e governantes. Antes eram soldados poderosos, mas agora jazem no mundo dos mortos, com os pagãos, que foram mortos na guerra. 30Os príncipes do norte ali se encontram, bem como os de Sídon. Antes o seu poder semeava o terror, porém agora desceram à terra do esquecimento, com aqueles pagãos que foram mortos na guerra e desceram à sepultura envergonhados. Recebem o mesmo descrédito que os outros que desceram para debaixo da terra. 31O espectáculo daqueles que foram mortos na guerra servirá de algum conforto para o rei do Egipto e para o seu exército. Palavra do SENHOR! 32Eu fiz com que o rei do Egipto aterrorizasse os vivos, porém ele e o seu exército serão mortos e postos a descansar ao lado dos pagãos que morreram na guerra. Palavra do SENHOR!”»

will be added

X\