Deuteronómio 28

1«Mas se realmente obedeceres às ordens do SENHOR, teu Deus, pondo em prática todos os mandamentos que hoje te comunico, então o SENHOR, teu Deus fará de ti um povo superior entre todos os povos do mundo. 2Escuta a voz do SENHOR, teu Deus, e todas estas bênçãos virão sobre ti em abundância: 3Bendito sejas na cidade e bendito sejas no campo. 4Benditos sejam os teus filhos e o produto dos teus campos, as crias dos teus animais, os bezerros das tuas vacas e os cordeiros das tuas ovelhas. 5Bendito seja o teu cesto e a tua masseira de farinha. 6Bendito sejas quando voltas para casa, bendito sejas quando sais para a rua. 7Que o SENHOR derrote os inimigos que se levantarem contra ti. Virão contra ti por um caminho e fugirão de ti por sete. 8Que o SENHOR te mande sempre bênçãos, para os teus celeiros e para tudo o que fizeres. Que ele te abençoe na terra que te vai dar. 9Que faça de ti um povo consagrado ao SENHOR, como ele mesmo prometeu, na certeza de que cumprirás os mandamentos do SENHOR, teu Deus, e seguirás os seus caminhos. 10Então todos os povos da terra verão que pertences ao SENHOR e terão medo de ti. 11E o SENHOR mostrará ainda mais a sua bondade para contigo, dando-te filhos, dando crias aos teus animais e boas colheitas, na terra que o SENHOR prometeu que te havia de dar, por juramento feito aos teus antepassados. 12O SENHOR abrirá o seu magnífico tesouro e dos céus virá a chuva para a tua terra, no tempo devido; e abençoará os teus empreendimentos, para poderes emprestar a muitos povos e não teres necessidade de pedir emprestado. 13O SENHOR fará com que ocupes o primeiro lugar e não o último. Estarás sempre acima e nunca abaixo dos outros, se obedeceres aos mandamentos do SENHOR, teu Deus, que eu hoje te comunico, e os puseres sempre em prática, 14se não te afastares de nenhum deles nem para a direita nem para a esquerda, nem correres atrás de outros deuses para os adorar.» 15«Mas se não obedeceres às ordens do SENHOR, teu Deus, pondo em prática os seus mandamentos e as suas leis, que hoje te comunico, então cairão sobre ti todas estas maldições em abundância. 16Serás maldito na cidade e no campo. 17Será maldito o teu cesto e a tua masseira de farinha. 18Serão malditos os teus filhos, os frutos da tua terra, as crias das tuas vacas e das tuas ovelhas. 19Serás maldito ao entrares em casa e ao saíres para a rua. 20Em tudo o que fizeres, o SENHOR só te mandará infelicidade, desgraça e angústia e, em pouco tempo, serás destruído e desaparecerás, porque o abandonaste com o teu mau comportamento. 21O SENHOR mandará a peste que há-de acabar contigo na terra da qual vais tomar posse. 22O SENHOR há-de mandar-te doenças desconhecidas, febres, inflamações, epidemias, guerras, carestias e pragas, que te perseguirão até desapareceres. 23Por cima de ti, o céu será duro como o cobre e por baixo de ti a terra será como o ferro. 24Em vez de chuva para os teus campos, o SENHOR fará cair do céu pó e cinza, até que estejas destruído. 25Fará com que sejas derrotado pelos teus inimigos. Sairás contra eles por um só caminho e fugirás por sete. Todas as nações do mundo ficarão horrorizadas ao verem 26como o teu cadáver é comido pelas aves de rapina e pelos animais selvagens, sem que ninguém os espante. 27O SENHOR há-de fazer-te sofrer tumores, como os do Egipto, úlceras, sarna e tinha, e não conseguirás curar-te. 28Há-de mandar-te loucura, cegueira e demência; 29andarás às apalpadelas e às escuras em pleno dia, como um cego, sem conseguires encontrar o caminho e serás oprimido e explorado durante toda a vida, sem que ninguém te vá libertar. 30Pedes uma mulher em casamento, mas outro é que desfrutará dela; constróis uma casa, mas não consegues ir habitar nela; plantas uma vinha, mas não a vindimarás. 31Abaterão o teu boi diante de ti, mas tu não comes dele. O teu burro foi roubado e não volta mais para tua casa. Todo o teu rebanho caiu nas mãos dos teus inimigos e não há quem te ajude a recuperá-lo. 32Os teus filhos e filhas serão entregues a outros povos. Tu hás-de ver tudo isto, um dia e mais outro até que os teus olhos se cansem, mas não lhes conseguirás dar ajuda. 33O produto dos teus campos e todos os teus rendimentos serão devorados por um povo que não conheces e serás continuamente oprimido e maltratado. 34Ao veres todas estas coisas enlouquecerás. 35O SENHOR fará com que sofras de tumores nos joelhos e nas coxas, e dos pés à cabeça, sem conseguires alcançar a cura. 36O SENHOR fará com que te levem a ti e ao rei que elegeres para te governar para uma nação estrangeira, que nem tu nem os teus antepassados conheceram. Lá irás adorar outros deuses, de madeira e de pedra. 37Serás motivo de espanto, de conversa e de escárnio entre os povos para onde o SENHOR te vai levar. 38Semearás muito nos teus campos, mas colherás pouco. A maior parte será comida pelos gafanhotos. 39Plantarás vinhas e tratarás delas, mas não beberás vinho nem o armazenarás, porque será devorado pelo bicho. 40Terás oliveiras por toda a parte, mas não conseguirás obter azeite, porque as azeitonas caem todas. 41Criarás filhos e filhas, mas ficarás sem eles, porque serão levados para o exílio. 42Todas as árvores e produtos dos teus campos serão comidos pelos insectos. 43Os estrangeiros que vivem contigo tornar-se-ão cada vez mais fortes e poderosos e tu serás cada vez mais fraco. 44Eles terão riqueza para te emprestar e tu não terás nada para lhes emprestar. Eles serão o primeiro e tu o último. 45Todas estas maldições hão-de cair sobre ti. Hão-de perseguir-te e alcançar-te até te destruírem, por não teres obedecido ao SENHOR, teu Deus, cumprindo os seus mandamentos e as leis, que te deu. 46Estas coisas serão para ti e para todos os teus descendentes um sinal e um sério aviso, 47por não teres servido o SENHOR, teu Deus, com alegria e entusiasmo, quando tinhas tudo em abundância. 48Terás que servir os teus inimigos, que o SENHOR mandará contra ti e terás de passar fome, sede, falta de roupa e de tudo o que é indispensável. O SENHOR há-de sujeitar-te à mais dura escravidão, até ficares desfeito. 49Do país mais distante do mundo, o SENHOR mandará vir contra ti um povo, do qual tu nem percebes a língua, que cairá sobre ti, rápido como uma águia. 50É um povo cruel que não respeita os velhos nem tem piedade dos novos. 51Devorará o produto dos teus animais e dos teus campos, deixando-te morrer à míngua. Não te deixará nem trigo, nem vinho, nem azeite, nem bezerros nem cordeiros até morreres de fome. 52Cercará todas as tuas cidades, até caírem os muros altos e fortificados, nos quais punhas toda a confiança. Irá cercar todas as cidades da terra que o SENHOR, teu Deus, te deu. 53Terás de comer os teus próprios filhos e filhas, que o SENHOR, teu Deus, te deu, tão grande será a angústia e o aperto em que ficarás com o cerco dos teus inimigos. 54Mesmo os mais sensíveis e delicados hão-de olhar com desconfiança para o seu irmão, para a esposa que ele ama, e para os filhos que ainda não matou. 55Tem medo de ser obrigado a repartir com eles a carne de um filho que vai comer, ao ver-se sem mais nada, apertado pelo cerco a que os inimigos sujeitarão as tuas cidades. 56A mulher mais sensível e delicada, que nem conseguia poisar o seu pé descalço no chão, de tão delicada e sensível que era, olhará com desconfiança para o esposo que ela ama e para os seus filhos e filhas. 57Tem medo de repartir com eles o filho que vai dar à luz e a placenta que sairá das suas entranhas, que ela espera comer sozinha, às escondidas, ao ver-se sem nada, por causa do apertado cerco a que os inimigos sujeitarão as tuas cidades. 58Se não cumprires todos os mandamentos desta lei, escritos neste livro, respeitando o SENHOR, teu Deus, que é poderoso e terrível, 59ele fará cair sobre ti e sobre os teus descendentes as desgraças mais impressionantes, males enormes e horríveis, doenças malignas e terríveis. 60Fará com que recaiam sobre ti todas as pragas do Egipto, que te deixaram tão impressionado, para nunca mais te deixarem. 61Muitas outras desgraças e doenças, que não estão aqui mencionadas, enviará o SENHOR contra ti, até que sejas destruído. 62E tu, que eras um povo tão numeroso como as estrelas do céu, ficarás reduzido a um pequeno número de pessoas, tudo por não teres obedecido à voz do SENHOR, teu Deus. 63E assim como o SENHOR sentia satisfação em te fazer bem e em te tornar mais numeroso, assim também sentirá satisfação em te deixar morrer e destruir, até seres arrancado da terra de que vais tomar posse. 64O SENHOR há-de espalhar-te por todos os países, dum extremo ao outro da terra, onde irás adorar outros deuses, de madeira e de pedra, deuses que nem tu nem os teus antepassados reconheciam. 65Mas enquanto viveres com esses povos, não terás sossego nem os teus pés terão descanso. O SENHOR fará com que o teu coração esteja sempre ansioso, os teus olhos cansados e a tua alma cheia de tristeza. 66Sentirás a vida sempre presa por um fio, vivendo na angústia dia e noite, sem querer acreditar que ainda estás vivo. 67De manhã dirás: “Quem dera que já fosse noite” e, à noite, exclamarás: “Quem dera que já fosse manhã”, tão grande é o medo que tens e tão terrível o espectáculo que os teus olhos vêem. 68O SENHOR fará com que sejas levado de novo ao Egipto, de barco, para lá seres vendido como escravo aos teus inimigos sem que ninguém te vá resgatar. E isto acontecerá, apesar de o SENHOR te ter dito um dia que nunca mais deviam voltar a fazer o caminho de regresso para o Egipto.» 69São estes os termos da aliança, que o SENHOR comunicou a Moisés e que fez com o povo de Israel na região de Moab, depois daquela que já tinha feito com eles no monte Horeb.

will be added

X\