Actos 9

1Entretanto, Saulo não pensava senão em ameaças de morte contra os discípulos do Senhor. Por isso foi ter com o chefe dos sacerdotes 2e pediu-lhe cartas de apresentação para as sinagogas da cidade de Damasco, e para lá prender os que seguiam o Caminho do Senhor. Quer fossem homens, quer fossem mulheres, ia levá-los presos para Jerusalém. 3Mas quando ia de viagem, já perto de Damasco, Saulo viu-se de repente envolvido pelo clarão duma luz que vinha do céu. 4Caiu por terra e ouviu então uma voz que dizia: «Saulo, Saulo, por que me persegues?» 5E ele perguntou: «Quem és tu, Senhor?» A voz respondeu-lhe: «Eu sou Jesus a quem tu persegues! 6Levanta-te, entra na cidade e lá te dirão o que deves fazer.» 7Os homens que viajavam com Saulo pararam assustados, porque ouviram a voz mas não viram ninguém. 8Saulo levantou-se do chão e tinha os olhos abertos mas não via nada. Tiveram que o levar pela mão para Damasco. 9Durante três dias ficou sem ver, e nesses dias não comeu nem bebeu. 10Em Damasco morava um crente, chamado Ananias, a quem o Senhor apareceu numa visão e lhe disse: «Ananias!» «Estou aqui, Senhor», respondeu ele. 11E o Senhor continuou: «Prepara-te, vai à Rua Direita e, em casa de Judas, pergunta por um homem de Tarso chamado Saulo. Ele está a orar 12e teve uma visão em que lhe apareceu um homem chamado Ananias, que entrou e impôs as mãos sobre ele para que tornasse a ver.» 13Ananias respondeu: «Senhor, tenho ouvido muita gente falar a respeito desse homem e de todo o mal que tem feito em Jerusalém contra os teus santos. 14Ele veio a Damasco com poderes que lhe deram os chefes dos sacerdotes para prender os que invocam o teu nome.» 15Mas o Senhor disse a Ananias: «Vai, porque eu escolhi esse homem para ir falar de mim aos pagãos, a reis e ao povo de Israel. 16Eu mesmo lhe mostrarei o muito que tem de sofrer por causa de mim.» 17Então Ananias foi, entrou em casa de Judas, impôs as mãos sobre Saulo e disse: « Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho, mandou-me vir ter contigo para que tornes a ver e fiques cheio do Espírito Santo.» 18Nisto, caíram dos olhos de Saulo uma espécie de escamas e ele voltou a ter vista. Então levantou-se e foi baptizado. 19E depois de comer, recuperou as forças. Saulo ficou alguns dias com os discípulos em Damasco. 20Começou então a pregar nas sinagogas dizendo que Jesus é o Filho de Deus. 21Todos os que o ouviam ficavam admirados e perguntavam: «Não era este homem que andava em Jerusalém a matar os que invocam o nome de Jesus? Não foi precisamente para os prender e levar aos chefes dos sacerdotes que ele veio aqui?» 22Mas Saulo estava cada vez mais forte e as provas que ele apresentava de que Jesus era o Messias confundiam os judeus que moravam em Damasco. 23Algum tempo depois, os judeus reuniram-se e resolveram matar Saulo. 24Mas ele soube desse plano. Como os judeus vigiavam as portas da cidade, de dia e de noite, para ver se o matavam, 25os discípulos de Saulo meteram-no dentro dum cesto e desceram-no, de noite, pelo muro da cidade. 26Quando Saulo chegou a Jerusalém quis juntar-se aos discípulos, mas todos tinham medo dele, pois não se convenciam que também ele fosse discípulo de Jesus. 27Foi então que Barnabé o foi apresentar aos apóstolos. Contou-lhes que Saulo tinha visto o Senhor no caminho de Damasco e que o Senhor tinha falado com ele. Contou-lhes também que, em Damasco, Saulo tinha falado corajosamente a respeito de Jesus. 28Depois disso, Saulo ficou em Jerusalém, andava com eles e falava de Jesus com toda a coragem. 29Conversava e discutia com os judeus de língua grega, mas eles andavam a ver se o matavam. 30Quando os irmãos perceberam isso, levaram Saulo para Cesareia e dali mandaram-no para Tarso. 31A igreja vivia então em paz por toda a região da Judeia, da Galileia e da Samaria. Tornava-se cada vez mais forte, aumentando em número, com a ajuda do Espírito Santo, e vivendo com grande respeito pelo Senhor. 32Pedro andava a visitar os santos por toda a parte e foi também ver os de Lida. 33Encontrou lá um homem chamado Eneias, que havia oito anos estava entrevado numa cama. 34Então Pedro disse-lhe: «Eneias, Jesus Cristo cura-te. Levanta-te e faz a tua cama.» Ele levantou-se logo. 35Todos os habitantes de Lida e da planície de Sarona o viram e tornaram-se crentes no Senhor. 36Havia na cidade de Jafa uma crente entre os discípulos chamada Tabita, nome que significa “Gazela”. Esta mulher passava a vida a fazer bem e a ajudar os necessitados. 37Naquela altura ela ficou doente e morreu. Depois de a lavarem, puseram o corpo num quarto do andar de cima. 38Como Jafa ficava perto de Lida, onde Pedro se encontrava, e os crentes sabiam que ele estava lá, enviaram dois homens com este recado: «Vem ter connosco, sem demora.» 39Pedro foi com eles. Quando chegou, levaram-no para o quarto onde estava o corpo. Todas as viúvas se puseram em volta de Pedro, chorando e mostrando os vestidos e outras roupas que Tabita tinha feito. 40Então Pedro mandou sair toda a gente do quarto. Ajoelhou-se, orou e virando-se para a morta disse: «Tabita, levanta-te!» Ela abriu os olhos, viu Pedro e sentou-se. 41Pedro pegou-lhe na mão e ajudou-a a levantar-se. Depois chamou os santos mais aquelas viúvas e apresentou-a viva. 42Isto veio a saber-se em toda a cidade de Jafa e muitos creram no Senhor. 43Pedro ficou em Jafa bastante tempo, em casa de um curtidor de peles chamado Simão.

will be added

X\