Actos 8

1Saulo era dos que tinham aprovado a morte de Estêvão. Nesse mesmo dia, teve início uma grande perseguição contra a igreja de Jerusalém. Todos os crentes, menos os apóstolos, se espalharam pelas povoações da Judeia e da Samaria. 2Entretanto alguns homens piedosos enterraram Estêvão e choraram muito por ele. 3Saulo, porém, queria acabar com a igreja. Entrava pelas casas, arrastava homens e mulheres e metia-os na cadeia. 4Aqueles que tinham sido espalhados pregavam o evangelho por toda a parte. 5Filipe foi à capital da Samaria e começou a falar ao povo acerca do Messias. 6As multidões prestavam muita atenção ao que Filipe dizia e observavam os sinais que ele fazia. 7Pois muitas pessoas que tinham espíritos maus ficaram curadas e os espíritos maus saíam delas soltando grandes gritos. Também muitos coxos e paralíticos foram curados. 8Deste modo, houve grande alegria naquela cidade. 9Porém, vivia lá um homem chamado Simão, que noutro tempo tinha praticado artes mágicas e causava admiração aos samaritanos, fazendo-se passar por uma pessoa extraordinária. 10Todos os habitantes da cidade o escutavam com muita atenção, do mais pequeno ao maior, e diziam: «Este homem é o poder de Deus, a que chamam o Grande Poder.» 11Prestavam-lhe muita atenção, porque durante muito tempo ele causou-lhes admiração com as suas artes mágicas. 12Mas quando Filipe lhes pregou a boa nova acerca do reino de Deus e de Jesus Cristo, eles creram e tanto homens como mulheres receberam o baptismo. 13Até o próprio Simão se tornou crente e recebeu o baptismo, passando a andar com Filipe. E, ao ver os sinais milagrosos e as grandes maravilhas que se faziam, ficava muito admirado. 14Quando os apóstolos que estavam em Jerusalém souberam que o povo de Samaria tinha recebido a palavra de Deus, mandaram para lá Pedro e João. 15Quando estes chegaram, oraram pelos crentes da Samaria para que recebessem o Espírito Santo, 16pois o Espírito Santo ainda não tinha descido sobre nenhum deles. Tinham apenas recebido o baptismo em nome do Senhor Jesus. 17Então Pedro e João impuseram as mãos sobre eles e assim receberam o Espírito Santo. 18Ao ver que as pessoas recebiam o Espírito Santo quando os apóstolos punham as mãos sobre elas, Simão ofereceu-lhes dinheiro: 19«Dêem-me também a mim esse poder para que quando eu impuser as mãos sobre alguém, essa pessoa receba o Espírito Santo.» 20Pedro respondeu-lhe: «Vai-te com o teu dinheiro para a perdição! Julgas que podes comprar com dinheiro os dons de Deus? 21Tu não tens direito a participar no nosso trabalho, porque o teu coração não é recto para com Deus. 22Arrepende-te do mal que fizeste e pede a Deus que te perdoe esses maus propósitos. 23Pois vejo que estás cheio de amargura e preso à tua maldade.» 24Simão respondeu-lhes: «Peçam vocês por mim ao Senhor para que nada do que disseram me aconteça.» 25Pedro e João voltaram para Jerusalém, depois de terem testemunhado e pregado a palavra do Senhor. E em muitas povoações da Samaria, por onde passavam, anunciaram o evangelho. 26Um anjo do Senhor disse um dia a Filipe: «Prepara-te e dirige-te para o sul, pelo caminho deserto que vai de Jerusalém a Gaza.» 27Filipe partiu logo. Quando ia a caminho, encontrou-se com um eunuco, que era alto funcionário, tesoureiro e administrador-geral de Candace, rainha da Etiópia. Ele tinha ido a Jerusalém para adorar a Deus. 28Estava agora de regresso ao seu país e, sentado no seu carro, lia o livro do profeta Isaías. 29Então o Espírito de Deus disse a Filipe: «Aproxima-te e acompanha esse carro.» 30Filipe acelerou o passo, chegou-se ao carro e, ouvindo o etíope a ler o livro do profeta Isaías, perguntou-lhe: «Tu entendes o que estás a ler?» 31Ele respondeu: «Como é que eu posso entender, se ninguém me explicar?» E convidou Filipe a subir e a sentar-se com ele no carro. 32A parte da Sagrada Escritura que ele estava a ler era esta: Como uma ovelha que é levada para o matadouro, como um cordeiro que fica calado diante do que o tosquia, também ele não abriu a sua boca. 33Foi humilhado e não se lhe fez justiça. Ninguém poderá falar dos seus descendentes, porque a sua vida foi tirada da terra. 34O etíope perguntou a Filipe: «Diz-me, por favor: de quem é que o profeta está a falar? Dele mesmo ou doutra pessoa?» 35Filipe, partindo daquela passagem da Escritura, anunciou-lhe a boa nova de Jesus. 36Ao chegarem a um lugar onde havia água, o etíope disse: «Temos aqui água! Há alguma coisa que impeça de eu ser baptizado?» 37[Filipe respondeu: «Se tu crês de todo o coração, não há nada que o impeça.» E ele respondeu: «Eu creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.»] 38Mandou então parar o carro, entraram os dois na água e Filipe baptizou-o. 39Quando saíram da água, o Espírito do Senhor levou dali Filipe, de modo que o eunuco não tornou a vê-lo, mas continuou a sua viagem cheio de alegria. 40Filipe encontrou-se na cidade de Azoto e, partindo dali, continuou a pregar o evangelho de povoação em povoação até chegar a Cesareia.

will be added

X\