Actos 11

1Os apóstolos e os outros irmãos da Judeia souberam que também os que não eram judeus tinham recebido a palavra de Deus. 2Por isso, quando Pedro chegou a Jerusalém foi criticado pelos que eram adeptos da circuncisão. 3«Entraste em casa de pessoas não circuncidadas e até comeste com elas!», diziam-lhe eles. 4Então Pedro contou-lhes ponto por ponto o que se tinha passado: 5«Estava eu na cidade de Jafa, a orar, quando tive uma visão. Vi uma coisa parecida com uma grande toalha, que descia do céu presa pelas quatro pontas, e que veio até junto de mim. 6Olhei bem para dentro e vi animais de quatro patas, feras, bichos que rastejavam e aves. 7Depois ouvi uma voz que me dizia: “Vamos, Pedro! Mata e come!” 8Mas eu respondi: De modo nenhum, Senhor! Nunca comi nada sujo nem impuro. 9A voz replicou-me: “Não chames impuro ao que Deus tornou puro.” 10Isto aconteceu três vezes, até que a toalha foi de novo retirada para o céu. 11Nisto, chegaram à casa onde eu estava hospedado três homens que vinham de Cesareia à minha procura. 12O Espírito de Deus disse-me para ir com eles sem preocupação. Estes seis irmãos da cidade de Jafa também foram comigo. Entrámos na casa de Cornélio 13que nos contou então como viu diante dele, em sua casa, um anjo que lhe disse: “Manda alguns homens a Jafa buscar Simão Pedro. 14Ele te dirá como tu e a tua família podem ser salvos.” 15Quando comecei a falar-lhes, desceu sobre eles o Espírito Santo, tal como tinha descido sobre nós no princípio. 16Lembrei-me então de que o Senhor tinha dito: “É verdade que João baptizou em água, mas vocês serão baptizados no Espírito Santo.” 17De facto, Deus concedeu-lhes o mesmo dom que a nós, por também eles terem crido no Senhor Jesus Cristo. Quem era eu então para poder resistir à vontade de Deus?» 18Quando os crentes de Jerusalém ouviram estas coisas acalmaram e louvaram a Deus: «Portanto, Deus deu também aos que não são judeus a oportunidade de se arrependerem e de conseguirem assim a vida eterna!» 19Entretanto, os crentes tinham-se dispersado por causa da perseguição que começou com a morte de Estêvão. Uns foram até à Fenícia, Chipre e Antioquia e anunciavam a palavra de Deus só aos judeus. 20Outros, que eram de Chipre e de Cirene, foram até à cidade de Antioquia e ali pregavam também aos gregos anunciando-lhes a boa nova a respeito do Senhor Jesus. 21A mão do Senhor estava com eles e muita gente acreditou e se converteu ao Senhor. 22Esta notícia chegou aos ouvidos dos crentes da igreja de Jerusalém que mandaram Barnabé a Antioquia. 23Quando ele lá chegou e viu os efeitos da graça de Deus ficou muito contente. E aconselhou todos a continuarem, com todo o coração, a serem fiéis ao Senhor. 24Barnabé era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. Assim muita gente se converteu ao Senhor. 25Barnabé foi depois à cidade de Tarso buscar Saulo. 26Quando o encontrou, levou-o para Antioquia. Estiveram ali durante um ano com os crentes daquela igreja e ensinavam muita gente. Foi em Antioquia que os discípulos foram pela primeira vez chamados “cristãos”. 27Nesse tempo, alguns profetas foram de Jerusalém para Antioquia. 28Um deles, chamado Ágabo, pôs-se de pé entre os crentes e disse, por inspiração do Espírito Santo, que ia haver uma grande fome em todo o mundo. Essa fome veio quando Cláudio era imperador. 29Então os cristãos de Antioquia resolveram mandar uma ajuda aos irmãos que viviam na Judeia. Cada um deu conforme podia. 30E mandaram essa ajuda por meio de Barnabé e Saulo, para a entregarem aos responsáveis da igreja de Jerusalém.

will be added

X\