3 João 1

1Eu, o ancião, dirijo-me ao meu amigo Gaio, a quem estimo verdadeiramente. 2Querido amigo! Acima de tudo, peço a Deus que tudo te corra bem e que estejas de boa saúde. Da tua saúde espiritual sei eu que estás bem. 3Fiquei muito contente em saber, por meio de alguns crentes que aqui chegaram, que és fiel à verdade, pois vives segundo a verdade. 4A minha maior alegria é saber que os meus filhos vivem de acordo com a verdade. 5Querido amigo, tu tens sido fiel em tudo o que fazes pelos irmãos, mesmo os que são de fora. 6Estes contaram à nossa igreja todo o amor que tens mostrado. Peço-te que continues a ajudá-los na sua viagem, da maneira que agrada a Deus. 7Na verdade, eles puseram-se a caminho para anunciarem Jesus Cristo, sem nada receberem dos pagãos. 8Por isso, nós temos a obrigação de sustentar esses homens e desta maneira tornamo-nos colaboradores na proclamação da verdade. 9Já escrevi uma carta à igreja. Mas Diótrefes, que quer mandar em tudo, não me dá aceitação. 10Quando eu aí for, hei-de pôr a claro as manobras que ele dirige contra mim por meio de palavras caluniosas. Mas não contente com isto, recusa-se a receber os irmãos que chegam de fora. E quando alguém os quer receber, ele opõe-se-lhe e expulsa-o da igreja. 11Querido amigo, não imites o que é mau, mas sim o que é bom. Aquele que faz o bem é de Deus, mas aquele que faz o mal não viu a Deus. 12Quanto a Demétrio, toda a gente diz bem dele, e a própria verdade fala a seu favor. Também nós damos testemunho disso e tu bem sabes que o nosso testemunho é verdadeiro. 13Tinha ainda muitas coisas para te dizer, mas não o quero fazer por carta. 14Espero ver-te em breve e então havemos de falar pessoalmente. 15Que a paz esteja contigo! Os teus amigos daqui mandam-te cumprimentos. Dá também aí cumprimentos a cada um dos amigos.

will be added

X\