2 Samuel 13

1Absalão, filho de David, tinha uma irmã muito bonita, chamada Tamar. Um dia aconteceu que Amnon, que também era filho de David, mas de mãe diferente, se apaixonou por Tamar. 2E de tal modo se apaixonou que acabou por ficar doente, pois Tamar ainda era virgem e ele achava que era impossível encontrar-se com ela. 3Mas Amnon tinha um amigo muito esperto. Chamava-se Jonadab e era filho dum irmão de David chamado Chamá. 4Este perguntou a Amnon: «Que é que se passa contigo, ó príncipe, que dia após dia pareces andar mais abatido? Não mo queres dizer?» Amnon confidenciou-lhe: «Estou apaixonado por Tamar, a irmã do meu irmão Absalão.» 5Então Jonadab aconselhou-o: «Deita-te na cama e finge-te doente. Quando teu pai te vier ver, diz-lhe: “Por favor, manda a minha irmã Tamar vir ter comigo, para me dar de comer e preparar a comida diante de mim. Se eu comer das mãos dela, já ganho apetite.”» 6Amnon deitou-se e fingiu-se doente. Quando o rei o veio visitar, disse-lhe: «Por favor, manda a minha irmã Tamar vir ter comigo! Que ela me prepare, aqui, na minha presença, dois pasteizinhos e mos dê de comer.» 7Então David mandou dizer a Tamar, que estava em sua casa: «Peço-te que vás a casa do teu irmão Amnon e lhe prepares alguma coisa de comer, para ele ficar melhor.» 8Tamar dirigiu-se a casa do seu irmão Amnon, que estava deitado. Pegou na farinha, amassou-a e fez os pastéis à vista dele. 9Depois de estarem prontos, pegou na sertã e ofereceu a comida a Amnon. Mas este não quis comer e disse: «Mandem sair toda a gente.» Imediatamente saíram todos. 10Depois disse a Tamar: «Traz a comida ao meu quarto, pois só serei capaz de comer se fores tu a dar-ma.» Tamar pegou nos pastéis que tinha cozinhado e levou-os ao quarto do seu irmão. 11Quando ela se aproximou dele com a comida, Amnon agarrou-a e disse-lhe: «Vem, minha irmã, e deita-te comigo.» 12Mas ela respondeu-lhe: «Não, meu irmão. Não me desonres, porque isso é proibido em Israel. Não cometas uma tal infâmia! 13O que será de mim, se tu me desonrares? E também tu serás para sempre um desgraçado em Israel. Fala ao rei, que ele não se vai opor a que eu seja tua mulher.» 14Mas Amnon não a quis ouvir e, como era mais forte do que ela, violentou-a e desflorou-a. 15Em seguida, Amnon começou a sentir por ela uma aversão tal que ainda era maior do que o amor que antes lhe tinha. Tomado desta aversão, disse-lhe: «Levanta-te e vai-te embora.» 16Ela respondeu-lhe: «Não me expulses, porque esta maldade ainda seria pior que a que me acabas de fazer.» Mas ele não lhe deu ouvidos. 17Chamou o seu criado e ordenou-lhe: «Põe esta mulher na rua, longe de mim, e depois fecha a porta.» 18O criado cumpriu as ordens: pô-la na rua e fechou a porta. Tamar vestia uma túnica de mangas compridas, que era o vestido próprio das filhas do rei, enquanto solteiras. 19Rasgou a túnica, colocou cinza na cabeça, e, com as mãos postas em cima da cabeça, pôs-se a caminho aos gritos. 20Quando o seu irmão Absalão a viu, perguntou-lhe: «Foi o teu irmão Amnon que te fez isso? Não o digas a ninguém, porque ele é teu irmão. Não te apoquentes demasiado.» E Tamar ficou em casa do seu irmão Absalão, triste como uma mulher abandonada. 21Quando o rei David teve conhecimento de tudo isto, ficou muito aborrecido. 22Por seu lado, Absalão deixou de falar a Amnon, e odiava-o por ter desonrado a sua irmã Tamar. 23Dois anos mais tarde, por altura da tosquia das suas ovelhas, em Baal-Haçor, perto da cidade de Efraim, Absalão convidou para um banquete todos os filhos do rei. 24Foi ter com o rei e disse-lhe: «Chegou o tempo da tosquia do meu rebanho. Que o rei e os seus oficiais se dignem vir à festa deste seu servo.» 25Mas o rei respondeu-lhe: «Não, meu filho, não podemos ir todos, para não teres demasiadas despesas.» Absalão ainda insistiu, mas o rei não quis ir e mandou-o embora com a sua bênção. 26Absalão ainda replicou: «Se o rei não quer vir, permita que pelo menos nos acompanhe o meu irmão Amnon.» E o rei perguntou-lhe: «Por que é que tu queres que ele te acompanhe?» 27Absalão insistiu e o rei acabou por deixar ir Amnon e os seus outros filhos com ele 28E deu estas ordens aos seus criados: «Estejam atentos! Quando Amnon se mostrar alegre, por causa do vinho, e eu vos der o sinal para o matar, matem-no. Não tenham medo, pois eu assumo toda a responsabilidade. Sejam corajosos e valentes!» 29Os criados de Absalão cumpriram as suas ordens, matando Amnon. Então todos os outros filhos do rei se levantaram à pressa, montaram nas suas mulas e fugiram. 30Ainda eles iam a caminho, quando chegou a David o rumor de que Absalão tinha morto todos os seus filhos, sem escapar nenhum deles. 31Então o rei levantou-se, rasgou as suas vestes em sinal de dor e prostrou-se por terra. E todos os oficiais ali presentes rasgaram também as suas vestes. 32Mas Jonadab, o filho de Chamá, irmão de David, disse: «Ó rei, meu senhor, não pense que foram assassinados todos os filhos do rei. Amnon deve ter morrido porque Absalão jurou matá-lo, desde o dia em que ele violou a sua irmã Tamar. 33Portanto, não acredite no boato de que todos os príncipes foram mortos, porque só Amnon é que morreu.» 34Entretanto Absalão pusera-se em fuga. E o soldado que estava de sentinela viu de repente muita gente a descer pelo caminho de Horonaim, pela encosta da montanha. 35E Jonadab disse ao rei: «Vá ver que são os filhos do rei, tal como eu lhe tinha dito.» 36Mal ele tinha acabado de falar, chegaram os filhos do rei, que começaram a gritar e a chorar. E tanto o rei como os seus oficiais choravam igualmente, derramando abundantes lágrimas. 37Absalão fugiu e foi ter com Talmai, filho de Amiud, rei de Guechur, enquanto David todos os dias se lamentava pela morte do seu filho Amnon. 38Absalão que fugira para Guechur ficou durante três anos. 39Mas depois, o rei David esqueceu um pouco mais a morte de Amnon e deixou de ter ressentimento contra Absalão.

will be added

X\